O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

HÁ DIAS ASSIM


Sim, há dias assim.

Em que nos invade a nostalgia de algo que não conhecemos, a saudade de um tempo que não vivemos. Em que nos apetece caminhar sob a chuva, sentir o cheiro gostoso da terra molhada.

Um dia de sorrateira preguiça; quando nos furtamos ao trabalho e buscamos a doçura da inatividade total. Um dia em que olhamos para o vazio e nos integramos à chuva que cai.

Um dia para sentar num banco de praça; para abrir o guarda-chuva e ouvir o tamborilar das gotas, enquanto o pensamento viaja pelo passado e sonhos imprecisos visitam o futuro.

Um dia para não pensar na vida. Para abandonar as preocupações e os cuidados, para esquecer o mundo e as suas exigências. Um dia para não ser; um dia para apenas viver.

Um dia sem dores e sem alegrias; sem solidão e sem amores, sem direitos e sem deveres. Um dia perdido em nossas vidas, um hiato no tempo; um dia que esqueceremos amanhã.

Um dia com a irresponsabilidade da infância e o desapego da velhice. Em que não existem regras, em que não abrigamos remorsos nem esperanças, em que nos perdemos de nós.

Um dia em que sentimos a nossa transitoriedade, enquanto a canção da Eternidade se faz ouvir em nossos corações; em que nos sentimos parte do Universo que nos cerca.

Um dia em que o orgulho e os preconceitos perdem toda razão de ser. Em que o próprio tempo não existe; em que a paz não é uma conquista, mas a forma natural de viver.

Um dia sem horas, sem horários, sem convenções e restrições. Um dia sem tabus, sem crenças e sem incredulidades, sem certezas e sem dúvidas. Sem perguntas e sem respostas.

Um dia para não amar, um dia para não odiar. Um dia sem medos e sem coragem; sem desafios, sem vitórias e sem derrotas. Um dia para respirar, andar e descansar. Um dia para existir.

Um dia sem pais e sem filhos, sem laços e sem asas. Sem o sagrado e o profano; um dia cinzento, onde tudo se confunde na mesma penumbra e as cores não atraem os nossos olhos.

Sim, há dias assim.

Em que a Vida repousa em nós.    


Texto inspirado pela magnífica foto do site 1000 Imagens. 

44 Comentários:

Blogger Olhos de mel disse...

Oie Árabe; lindo e melancólico texto! Esse dia também cheguei a senti, quando distante me encontrei, nas névoas que encobriam a paisagem e a frieza congelava a alma.
Sim! Há dias em nos sentimos que fora do tempo, da vida.
E nesse dia em que apenas o sentimento era poder estar com você mesmo, lhe inspirou a escrever esse poema tão doce, tão suave e tão lindo.
Gostei demais da musica e da imagem! Aliás foi um casamento perfeito!
Bom fim de semana! Beijos

7 de setembro de 2012 18:14  
Blogger Antônio Lídio Gomes disse...

Assalamaleihum irmão.
Estou sentindo você hoje um tanto introspectivo...
Não gosto de vê-lo assim Mas Allãh sabe de tudo.
Um abraço fraterno deste irmão.
الله أكبر

7 de setembro de 2012 18:33  
Anonymous Anônimo disse...

Saudações!

Entendo o que você disse.

Já passei por essa vivência várias vezes. E sempre depois dela eu vivi uma mudança de vida.

Eu senti que nesse dia minha alma fez um balanço existencial.

Já aprendi a dizer num dia como esse: ''Seja feita a tua vontade, Pai Absoluto''.

Num dia desses sabemos realmente o que significa a Humildade.

Gratidão

Paz

Peregrinus

8 de setembro de 2012 00:35  
Blogger Carla Fernanda disse...

E eu gosto desses dias em off...

Beijos e bom fim de semana!!

8 de setembro de 2012 04:21  
Blogger Ailime disse...

Meu amigo Árabe,
Que belíssimo texto!
E se há dias assim! Desde criança que gosto desses dias assim de chuva, mesmo que salpicada eu sinto-me mais tranquila, mais serena, mais comigo e com Deus.
E é tão bom como diz um filósofo português, Tolentino de Mendonça, que nos adentremos.
Tenha um lindo fim de semana e uma semana cheia de muita luz e esperança.
Abraço-o com a minha amizade.

8 de setembro de 2012 09:18  
Blogger ISA disse...

E se os há!! Caro Árabe, os mesmos são muitas vezes a N/ calma e libertação interior, podemos também encarar esses dias, como sinal de uma mensagem de gratidão.

Abraço amigo
Bom Fim-de-Semana

8 de setembro de 2012 15:19  
Blogger CamilaSB disse...

«Um dia para respirar, andar e descansar. Um dia para existir»
Esses dias "assim" também passam por mim, algumas vezes... sobretudo no Outono e no Inverno... e, quando acontecem, abandono-me à «doçura da inactividade total»
Como sempre, um belo texto, amigo. Gostei imenso!
Um grande abraço com carinho e amizade :) Boa semana!

8 de setembro de 2012 16:35  
Blogger Ana Carla disse...

Alguns dias são janelas no tempo, não são dias. São aquele espaço pra gente avaliar. Outros dias são pra fora, só ação! Passam que a gente nem vê. Bom domingo!

9 de setembro de 2012 11:30  
Blogger Paula Barros disse...

Há dias assim. Concordo.

10 de setembro de 2012 04:57  
Blogger Silenciosamente ouvindo... disse...

Meu querido e estimado amigo,
venho sobretudo saber como se
encontra. O seu texto como
sempre maravilhoso.
Desejo de que esteja bem melhor.
Um grande beijinho
Irene Alves

10 de setembro de 2012 11:40  
Blogger TITA disse...

Há dias em que o deserto é fértil...e nos faz florescer.Lindo!Um abraço.

10 de setembro de 2012 16:22  
Blogger ✿ chica disse...

Lindo e realmente há dias e DIAS!!! abração, bom te ver e ler,chica e fica bem!

12 de setembro de 2012 10:40  
Blogger Sherazade disse...

Querido Árabe; esses momentos existem e nos levam a uma viagem ao nosso interior. São momentos reflexivos.
Lindo demais, viu?
Beijos

12 de setembro de 2012 21:43  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Olhos de Mel. Acho que todos temos os nossos dias assim, não é? Bom resto de semana!

13 de setembro de 2012 13:08  
Blogger O Árabe disse...

Talvez um pouco, irmão Antonio Lídio. Mas, acredite, é temporário. Meu abraço, bom resto de semana. Salam Aleikum!

13 de setembro de 2012 13:10  
Blogger O Árabe disse...

Também assim penso, Peregrinus; são dias para o balanço da existência. Grato, bom resto de semana!

13 de setembro de 2012 13:11  
Blogger O Árabe disse...

Confesso, Carla: eu também. :) Bom resto de semana!

13 de setembro de 2012 13:12  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Ailime. E é bom saber que mais gente gosta de dias assim. Bom resto de semana!

13 de setembro de 2012 13:12  
Blogger O Árabe disse...

Isso, Isa. A gratidão por estarmos vivos e podermos sentir! Bom resto de semana.

13 de setembro de 2012 13:14  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Camila. E, às vezes, a inatividade total é realmente doce, não? Bom resto de semana!

13 de setembro de 2012 13:14  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Ana Carla. Ainda bem que os dias se alternam! :) Bom resto de semana.

13 de setembro de 2012 13:15  
Blogger O Árabe disse...

E sempre os haverá, Paula. Sempre uma alegria a sua presença, bom resto de semana.

13 de setembro de 2012 13:16  
Blogger O Árabe disse...

Estou bem, sim, Irene; obrigado pela amizade e gentileza. Bom resto de semana!

13 de setembro de 2012 13:16  
Blogger O Árabe disse...

Isso, Tita! Por mais paradoxal que pareça. Bom resto de semana!

13 de setembro de 2012 13:17  
Blogger O Árabe disse...

Há, Chica. Faz parte dos nossos dias. :) Bom resto de semana!

13 de setembro de 2012 13:17  
Blogger O Árabe disse...

São, Sherazade... e deles necessitamos. Obrigado, bom resto de semana!

13 de setembro de 2012 13:18  
Blogger Vanuza Pantaleão disse...

Um dia, apenas um e único dia em que somos nós mesmos.
A imagem e esse site são de uma sensibilidade a toda prova, ótimos.
Amigo, ando meio doentinha, perdoe-me as ausências.
Mil carinhos!

13 de setembro de 2012 14:14  
Blogger MEU DOCE AMOR disse...

Olá:

Sem dúvida.É o desligar, no bom sentido da palavra.Há que meditar.

Beijinho doce:)

13 de setembro de 2012 16:05  
Blogger O Árabe disse...

Perdoo, Vanuza, com uma única condição: fique boa logo. Obrigado, bom resto de semana.

13 de setembro de 2012 18:31  
Blogger O Árabe disse...

Há, sim, Doce Amor. É preciso desligar um pouco, para prosseguir no caminho. Bom resto de semana.

13 de setembro de 2012 18:34  
Blogger Silenciosamente ouvindo... disse...

Meu querido e estimado amigo,
somo sempre excelente o seu
post. Mas eu quero saber é do
amigo, como se encontra agora?
Gostaria de saber.
Um grande beijinho
Irene Alves

14 de setembro de 2012 01:26  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

a vida repousa em nós
e é tão bom viver, mesmo que nem todos os dias sejam de cores.
um texto muito belo e sentido cheio de saberes
obrigada

bom fim de semana

beij

14 de setembro de 2012 02:52  
Blogger O Árabe disse...

Estou bem, Irene... e fazendo os devidos exames. Obrigado, bom fim de semana!

14 de setembro de 2012 07:30  
Blogger O Árabe disse...

É, sim, Piedade... porque sempre voltam as cores! Bom fim de semana, amiga.

14 de setembro de 2012 07:31  
Blogger silvioafonso disse...

.


O homem bambeia no arame,
entre o casamento e a traição.
Veja o por quê, no meu blog.

Abração,

silvioafonso




.

14 de setembro de 2012 12:14  
Blogger Magia da Inês disse...

¸.•°`♥✿彡✿♥`°•.¸
 ┊  ┊  ✿
 ┊  ✿
 ✿
Estamos sempre buscando alguma coisa que nem mesmo conseguimos definir...
Bom fim de semana!!!
Beijinhos.
Brasil.

14 de setembro de 2012 14:17  
Blogger O Árabe disse...

Verei, sim, Sílvio. Obrigado pela visita; meu abraço e bom fim de semana.

14 de setembro de 2012 18:50  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Inês. Mas, creia, acabaremos por encontrar. :) Bom fim de semana!

14 de setembro de 2012 18:51  
Blogger LUCONI disse...

Boa noite, Árabe aqui vim me deleitar em seus belos textos e este em especial me falou mais fundo à alma, simplesmente por que não me permito ter estes dias, para mim me parecem dias de dor, dias que se nada sinto e a nada me entrego então são dias vazios portanto inúteis, pois se nem o sagrado em mim eu sinto é devido ao fato que por alguns momentos que seja titubeei em minha fé, não saberia passar alguns minutos assim,quanto mais um dia, sentir-me como se não existisse seria horrível, fujo destes momentos, não os permito, beijos Luconi

15 de setembro de 2012 23:19  
Blogger O Árabe disse...

Grato pelo belo comentário, Luconi. E bom fim de semana, amiga!

16 de setembro de 2012 09:41  
Anonymous De... disse...

Existe sempre um átimo de tempo, imperceptível, entre o verão e o outono, entre o dia e a noite, entre o ser e o não ser, entre a vida que se move fora e a vida que existe em nós.

Texto brilhante, Árabe... brilhante!

Beijosss...

16 de setembro de 2012 19:22  
Blogger O Árabe disse...

Assim , De... a vida sempre se faz sentir em nos. Grato, boa semana!

17 de setembro de 2012 07:02  
Blogger Fa menor disse...

E como são precisos também dias assim... para repousar dos outros dias tão vividos!

Bjo

1 de outubro de 2012 07:31  
Blogger O Árabe disse...

Não é, Fa menor? Como são precisos! :)

1 de outubro de 2012 13:47  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky