O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

O QUANTO E O COMO (II)



Permiti que eu vos fale mais um pouco sobre o quanto e o como.
Pois, eu vos repito, o importante não é o quanto viveis e sim como o fazeis. A jornada, por mais longa ou difícil que seja, mais leve se tornará, se for percorrida com alegria e entusiasmo.
Não é o tamanho de um prato, que determina o seu sabor; mas a forma como é preparado. E, decerto, mais será do vosso agrado o prato pequeno e saboroso, do que o grande e insosso.
Do mesmo jeito, sabei, não é o quanto possuís e sim a forma como usais as vossas posses, que determinará a vossa maneira de viver e o conforto de que desfrutareis neste mundo.
Não é do quanto amais, que dependerá a vossa felicidade; mas de como o fazeis. Pois o amor que se basta a si mesmo é fonte de plenitude, enquanto o que exige vos traz frustrações.
Gostais de proclamar o quanto amais; e dizer que o vosso é o amor maior. Entretanto, cada um ama do seu jeito; e são as diferenças entre as formas como amais, que vos levam às separações.  
Não é o quanto falais da paz, que vos levará a desfrutar dela; mas a forma como a buscais. Encontrai-a em vós mesmos e cuidai de passá-la aos outros; assim, ela estará ao vosso redor.
Tampouco importa o quanto pretendeis esclarecer as vossas dúvidas; e sim como buscais as vossas respostas. Porque é através do raciocínio, da vivência e do aprendizado, que as encontrareis.
Não é do quanto desejais uma pessoa, que depende o orgasmo que com ela tereis; mas dos sentimentos entre vós. Porque o prazer mais intenso e completo é aquele que une corpo e alma.
Nem é do quanto conseguis ter, que dependerá a vossa paz de espírito; mas de como o conseguistes. Porque o homem que trai os seus princípios, vende a si próprio e perde a sua paz.
Aquele que se escraviza ao quanto, dele jamais conseguirá desfrutar. Porque, não importa quanto venha a possuir, se perderá em uma busca sem limites, sempre desejando mais e mais.
Já o homem que atenta para o como, não se preocupa com as posses; mas aproveita o que lhe podem trazer. Este é o que sente o vento nos cabelos, e detém o passo para ouvir o mar.
Dependeis das vossas posses, para o sustento do vosso corpo. Mas de nada valerá tudo o que vos seja dado armazenar, se negligenciardes o cuidado que deveis ter com a vossa alma.
Aprendei, pois, a dividir-vos entre o quanto e o como. Ambos vos são necessários, e a sensatez não está em nenhum dos extremos, mas no meio; precisais equilibrar os pratos da balança.
Para que possais pesar o aprendizado de cada jornada.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/richard_clayderman_bridge_over_troubled_water.mid

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

O QUANTO E O COMO


Preocupai-vos demasiado com o quanto.
Deixai-me dizer-vos que melhor faríeis, se mais atentásseis para o como. Porque a árvore mais segura e sadia não é a mais alta, e sim aquela cujas raízes melhor a sustentam e firmam no solo.
Em verdade, o que mais importa não é o quanto fazeis; e sim a forma como o fazeis. O trabalhador satisfeito não é o que ocupa a posição mais elevada, e sim o que gosta do seu trabalho.
Pouco importa quantos amores colecionais, ao longo de vossas vidas; importa, sim, a maneira como vos sentis, com relação aos vossos amores. É esta que determinará a vossa felicidade.
Atentai ao que se passa em vós; aprendei a diferenciar entre as coisas que desejais e aquelas das quais necessitais. Porque as primeiras vos inquietam; e as segundas vos trazem paz.
Julgais que o milionário avarento, recluso em sua torre de marfim, a contar e recontar a sua fortuna, possa ser mais feliz do que o homem simples, que gasta sensatamente as suas moedas?
E - dizei-me - qual dos dois será, realmente, o mais rico? Pois aquele que se escraviza ao quanto, sacrifica o seu direito ao como; e, não importa o quanto possa ter, algo sempre lhe faltará.
Insensato é o homem que se angustia a vigiar o poço e sujeita-se à sede, por medo de que um dia venha a secar; sábio é o que saboreia lentamente a sua taça, sentindo o frescor e o sabor da água.
Por isto, eu vos digo que não importa o quanto viveis; importa, sim, o como viveis, enquanto aqui estiverdes. Mais vale uma vida breve e feliz, do que outra longa e desperdiçada.
E vos digo que não importa o quanto de bens materiais ofereceis aos vossos filhos; ou o conforto e o luxo que lhes proporcionais. Importa, sim, o modo como vos comportais para com eles.
Porque não é do tamanho, do material ou da cor do vaso onde plantais a semente, que irá depender o seu desenvolvimento; mas do cuidado e do carinho que para com ela mostrareis.
Abandonai, pois, as preocupações com o quanto. Porque não é de vós que dependem o tempo de duração, as condições do clima e as direções para as quais soprarão os ventos do destino.
Atentai para o como. Porque sempre vos cabe decidir as atitudes que tomareis e a forma como reagireis às situações que a vida vos trouxer; e são estas que determinarão o vosso rumo.
Atentai para o como. Porque o quanto não importa senão para o corpo; e dele dependem apenas as vossas vontades e ambições de cada dia. Mas não é nele que encontrareis a felicidade.
E sim no vosso verdadeiro Eu. 


Música:
 http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/1_ernesto_cortazar_misty.mid

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

O CORAÇÃO DO UNIVERSO


Buscais, acaso, o Coração do Universo?

Se assim for, é dentro de vós que O deveis procurar. Porque a Sua essência está em vosso verdadeiro Eu; é apenas através dele, que sentireis a Sua presença e podereis ouvir a Sua voz.

De nada vos servirá buscá-Lo em vossas igrejas, se não O encontrais dentro de vós. Porque o Pai não fala aos filhos através de intermediários, nem precisa que repitam as Suas palavras.

Em verdade, altares e rituais são criações do homem, para simbolizar respeito e submissão. É ao vosso redor e em vossa alma, que vereis a ação do Infinito e sentireis a Sua presença.

Pois não vos deveis sentir submissos ao Universo, mas parte Dele. Como o peixe não se sente dominado pela água onde vive; nem as estrelas pelo céu, onde brilham no escuro da noite.

Não é em vossos templos que O encontrareis, nem em vossos hinos que ouvireis a Sua voz. Podeis, porém, percebê-Lo na rosa que se abre e ouví-la no canto do pássaro ao amanhecer.

Não é nas velas que acendeis, que descobrireis a Sua luz; mas no brilho do sol e da lua. Não é no atendimento às vossas orações, que sentireis a Sua força; mas no ventre que gesta a Vida. 

Aprendei a ouvir e escutareis a Sua voz no barulho do mar em fúria e no marulhar do regato; aprendei a enxergar e O vereis no brilho dourado do crepúsculo que cai sobre o mundo.

Não o busqueis, entretanto, para levar-Lhe os vossos pedidos; porque Ele conhece as vossas necessidades melhor do que vós. Ou acreditais que possa o Pai desconhecer o próprio filho?

Levai, antes, a vossa gratidão. Porque é Dele que recebeis cada novo dia e cada nova noite; são Dele as mãos que vos amparam e sustentam, durante cada trecho da vossa jornada.

Não O busqueis, tampouco, apenas em vossas alegrias. Porque muitas vezes também em vossas tristezas podeis sentir a Sua presença, como a Força que vos sustenta para seguir em frente.

Podeis sentir o Coração do Universo, dentro de vós. E, se assim conseguirdes fazer, O ouvireis chorando com cada uma das vossas lágrimas e sorrindo com cada um dos vossos sorrisos.

Porque Ele está em tudo que vos cerca; e em tudo que existe em vós. Podeis sentir o Seu carinho e o Seu amor em vossos pais e em vossos filhos; no ar e na água, no mundo onde viveis.

Buscais, acaso, o Coração do Universo? Aprendei a ver e a ouvir; e O encontrareis. Porque Ele está no sopro do vento, na luz do sol e da lua, nos labores da vida e no descanso da morte.

Em vosso verdadeiro Eu.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/emiliepandolfi_speaksoftlylove.mid

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

PESSOAS




Pessoas cruzarão, todos os dias, o vosso caminho.
E algumas serão como flores, que perfumarão o vosso dia e a vossa jornada; já outras se assemelharão a espinhos, ferindo-vos o corpo e a alma. E outras, ainda, vos trarão uma mescla de alegria e dor.
Tende presente, entretanto, que pessoas apenas cruzam o vosso caminho; e nele não permanecerão, a menos que assim seja do vosso agrado. É a vós, que cabe a escolha das companhias de jornada.
E, se assim é, atentai bem para aqueles que chegam ao vosso lado. Não vos deixeis levar pelos sorrisos que vos dão; nem pelas promessas que vos fazem, nem pelos argumentos que vos apresentam.
Porque palavras podem ser fingidas; e sorrisos podem ser forçados. Cuidai, sim, de olhar nos seus olhos; e, longe de ouvir o que dizem as suas bocas, buscai escutar o que vos fala o seu verdadeiro Eu.
E este, não escutareis senão através do vosso coração. Confiai nos vossos pressentimentos sobre as pessoas, acreditai no que vos dizem as vibrações da alma, e encontrareis as afinidades.
Mais importante do que o tempo que cada pessoa caminhará ao vosso lado, será o efeito que ela fará em vossa vida. A chuva de um instante pode fazer germinar a semente de onde nasce a árvore firme.
Acostumai-vos a discernir entre as pessoas. Este aprendizado pode não apenas vos poupar muitos sofrimentos, mas ser também a principal diferença entre o vosso sucesso e o vosso fracasso.
Descobrireis que há pessoas que vos ajudarão a construir; e outras que, muitas vezes até sem querer, jogarão por terra todos os vossos esforços. Ou vos levarão a desanimar e desistir de vós.
Descobrireis que há pessoas que, embora não estejam fisicamente ao vosso lado, são presença constante em vossa alma; e outras que, mesmo presentes, não vos conseguem afastar da solidão.
Descobrireis que há pessoas iluminadas e outras que ao seu redor espalham confusão e desconforto; não por sua própria vontade, mas porque é tudo que conhecem e tudo que têm a oferecer.
Descobrireis, enfim, que muitas pessoas, de todos os tipos, haverão de cruzar a vossa estrada. E com cada uma delas podereis aprender um pouco mais; todas serão úteis para o vosso aprendizado.
Não espereis demais, entretanto, de nenhuma delas. Nem tenteis atirar sobre os seus ombros a responsabilidade por vossos erros e vossos acertos; esta, acreditai-me, pertence unicamente a vós.
Porque é verdade que não podeis caminhar sós, todo o tempo; e, por isto, muitos vos deverão acompanhar, durante parte da jornada; assim o quer o Coração do Universo, que vela por vós.
Mas apenas de cada homem depende o seu destino!


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/1_eduardo_lages_the_winner_takes_it_all.mid

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

PALAVRAS E ATITUDES


Eu vos tenho recomendado cuidado, com as vossas palavras e atitudes.

E, mais uma vez, preciso falar-vos sobre este assunto. Porque, caminhando entre vós, percebo os danos que com palavras e atitudes causais às vossas amizades e aos vossos amores.

Recordai, sempre, que as amizades e os amores, entre os seres humanos, são como as mais finas porcelanas: embora enfeitem as vossas vidas, depois de rachadas não voltam a ser o que eram.

Como não existe cola que restaure a porcelana trincada, não há desculpas ou explicações que consigam fazer um relacionamento voltar ao que era, depois de um desentendimento mais sério.

Sois mais propensos a desconfiar e revidar, do que a perdoar e esquecer. Não à toa, um dos vossos antigos provérbios ensina: “aquele que bate, esquece; mas quem apanha, lembra sempre”.

Infelizmente, esta é uma boa síntese da forma como pensa a maioria de vós. Longe de oferecer a outra face, cada um conserva na memória a mágoa que sofreu e cuida para que não se repita.

E ninguém vos pode censurar; a defesa é natural em todo ser. Acaso já pensastes, porém, que isto acontece a todos vós? E alguém que magoastes voltaria a ser o mesmo convosco?

Atentai, portanto, para as palavras que proferis e as atitudes que adotais para com aqueles que vos cercam. Decerto, aquele que deseja encontrar flores não deve semear pedras em seu caminho.

Palavras podem magoar e ofender; podem ferir mais do que armas, podem humilhar e destruir pessoas. Podem acabar com a autoestima, fazer com que alguém se sinta abandonado e só.

Mas, também, são capazes de consolar; de proporcionar conforto e autoconfiança. Podem fazer a diferença entre o fracasso e o sucesso, a tristeza e a alegria, a solidão e a companhia.

Vigiai as vossas palavras e as vossas atitudes. Ou podereis perder um amor, ou uma amizade; podereis afastar alguém de vós. Podereis estilhaçar algo valioso, que duraria por toda uma vida.

Palavras são ferramentas, com as quais podeis construir ou destruir. Não vos cabe nenhum direito de culpá-las; ou de atribuir-lhes algum mérito. Apenas de vós, depende o uso que delas fareis.

O mesmo acontece às vossas atitudes. Porque de nada vos serve pregar a paz, se fordes agressivos com as pessoas; de nada vos adianta falar de perdão, se acalentardes o desejo de vingança.

Determinais a vossa rota e escolheis os vossos caminhos; sois os construtores do vosso destino. Atentai para o bom uso das ferramentas que recebeis, e mais fáceis se tornarão os vossos passos.

E mais proveitosa será a vossa jornada.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/1_roger_willians_all_i_ask_of_you.mid 

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

O VOSSO AMOR



Jamais deveis dizer “meu homem” ou “minha mulher”.
Dizei, antes: o homem (ou a mulher) que caminha a meu lado. E rogai, em vosso coração, que assim realmente aconteça; porque muitos são os casais que apenas se toleram, pelo caminho.
E evitai, também, dizer “meu filho”, ou “meu neto”, ou “meu irmão”, ou “meu amigo”. Dizei, sim: os filhos, ou os netos, ou os irmãos, ou os amigos, que a Vida me trouxe e que me acompanham.
Porque a palavra “meu” vos dá a sensação enganosa de posse. E poderá levar-vos a descuidar das pessoas que vos cercam; assim como descuidais de tudo que julgais que vos pertença.
E a ninguém é dado possuir outro ser humano; necessitais, sim, cultivar, todos os dias, o afeto daqueles que vos amam.  Tende isto sempre presente e evitareis, decerto, muitas desilusões.
Nada é tão nocivo aos vossos amores, quanto a enganosa impressão de que o outro vos pertença. Ela vos leva a descuidar da atenção e do carinho que deveis proporcionar a quem vos ama.
Não é a certeza de serdes amados, que deveis evitar; mas a ilusória crença de que o amor se mantenha por si mesmo. Assim como o fizestes nascer, deveis atentar para que se renove sempre.
Eu vos tenho dito que o amor é como uma planta, e necessita ser cuidado todos os dias. De nada vos adiantar lançar a semente, se não cuidais de mantê-la regada e protegida, para que cresça.
Se assim não fizerdes, vereis o amor definhar e fenecer. Como acontece à flor que é colhida viçosa e guardada em seco; até que nada seja, senão a lembrança ressequida do que um dia foi.
Como a planta necessita da terra, da água e do orvalho, o amor necessita do carinho, da ternura e do respeito. E, entre o casal, necessita também do desejo; como a planta precisa do calor do sol.
Estes elementos manterão vivo o vosso amor, ao longo do tempo. Adotai estes cuidados e sempre o tereis presente, entre vós; o vosso amor durará, enquanto fordes felizes em amar um ao outro.  
Sabei, porém, que não podeis pretender que o amor seja o mesmo em todos os momentos. Ele é como o fogo, que às vezes arde impetuoso e em outras apenas se faz sentir como a brasa cálida.
Em todas as suas formas, entretanto, o amor é importante para a vossa vida. É ele que afasta de vós a solidão, que vos faz sentir protegidos e importantes; é o melhor caminho para a felicidade.
Evitai a sensação de posse e cuidai do amor que vos une; assim, estareis cada vez mais próximos. E, um dia, não mais direis "meu homem", ou "minha mulher", mas vos chamareis pelo mesmo nome.  
Meu amor.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/1_orquestra_caravelli_caravelli_himno_al_amor.mid

Quem viveu este tempo, não esquece: https://youtu.be/uoUCEoTB4PQ

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

O VERDADEIRO PAI


Deveis, sim, comemorar os vossos verdadeiros pais.
Porque é necessário lembrar-vos que existem dois tipos de semeadores: os que apenas plantam a semente sob a terra e aqueles que a regam, cuidam e protegem enquanto cresce.
E o homem, como a planta, sem dúvida deve ser grato ao primeiro, pela dádiva da vida. Porém, é com o segundo que desenvolverá laços firmes e duradouros; porque dele recebeu Amor.
Eu vos digo que assim acontece, entre os filhos e os pais. Porque o verdadeiro pai não é aquele que gera, mas o que se dedica ao seu filho; que lhe oferece a sua esperança e o melhor de si.
O verdadeiro pai não é o que conta as melhores histórias, mas o que vos ensina a escrever a vossa história. Não é o que canta as mais belas canções, mas o que vos mostra como cantar.
O verdadeiro pai não é o que vos traz o prato, mas o que vos leva para semear o trigo; que convosco acompanha o crescer da lavoura e a labuta da safra. É o que vos ensina a assar o pão.
É aquele que vos carrega ao colo, enquanto sois pequeninos; e vos estende as mãos, para apoiar os vossos primeiros passos. Que vos ergue, após cada queda, e de novo vos põe para andar.
O verdadeiro pai é o que caminha ao vosso lado, enquanto as pernas lhe sustentam o corpo. E se deixa ficar para trás, quando acredita que o seu peso atrapalharia a vossa jornada.
O verdadeiro pai não vos dá asas, porque essas convosco já nascem. Mas é o que vos mostra como usá-las, esperando que os vossos voos vos levem mais longe do que o levaram os seus.
É aquele que não inveja os vossos sucessos, porque os vê como os seus próprios sucessos; que, mais do que vós, se alegra com as vossas vitórias e sofre com as vossas derrotas.
O verdadeiro pai é o que sente as vossas dores e é capaz de vos ceder os seus próprios remédios. É aquele que vos solta, para que possais voar, e vos segura quando correis o risco de cair.
O verdadeiro pai não é o que tenta ditar o vosso rumo, mas busca mostrar-vos os melhores caminhos. É o que não critica as vossas escolhas erradas, apenas vos incentiva a tentar de novo.
Comemorai os vossos verdadeiros pais. Abraçai-os com amor e gratidão, se ainda estiverem convosco; ou homenageai-os, em vossas lembranças, se já vos antecederam na Grande Viagem.
Felizes daqueles que conheceram um verdadeiro pai. Porque um verdadeiro pai fica, para sempre, na vida dos filhos. Esteve em vosso passado, está em vosso presente e estará em vosso futuro.
Ainda que, um dia, se torne a vossa saudade. 


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midi vocais/fabiojunior_pai.mid
FELIZ DIA DOS PAIS! 

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky