O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

O AMOR E A RENÚNCIA


Julgais, acaso, que o amor seja o Paraíso?
Sabei, então, que o Amor não é mais do que um dos vossos sentimentos. E que ele não se constrói com grandes gestos, nem com belas palavras; ao contrário, é feito de pequenas renúncias.
Se alguma prova necessitardes, para crer nesta verdade, lembrai-vos apenas que não existe maior símbolo do Amor que a mãe; e ela é, também, o símbolo vivo da dedicação e da renúncia.  
Como as ondas que se sucedem formam a imensidão do mar, assim  as vossas atitudes de todos os dias solidificarão o Amor entre vós... ou o farão ruir, substituído pelo muro da indiferença.
Para aprender a amar, deveis aprender a renunciar. Todavia, o mais curioso do Amor é que cada renúncia não vos traz a sensação de sofrimento; mas uma felicidade inexplicável, ao ceder.
Porque aquele que ama encontra na alegria do ser amado a sua própria alegria; e nos seus sorrisos, os seus próprios sorrisos. E se entristece, quando vê triste a pessoa que o torna feliz.
Assim é o Amor. Que vem para ensinar-vos que dar é, sempre, a melhor forma de receber; e que o egoísmo não traz felicidade, enquanto o altruísmo pode ter em si mesmo a própria recompensa.
Assim é o Amor. E, por isto, eu vos tenho dito que não o deveis confundir com os vossos desejos e sonhos; nem esperar que nele esteja a cura para as vossas carências e a vossa solidão.  
Pois o amor tem as suas próprias carências. E o encontrareis em vossos caminhos, quando fordes capazes de reconhecer a sua face; e estiverdes prontos para recebê-lo em vossa alma.
Quando assim for, não necessitareis procurar o Amor; ele virá a vosso encontro. E caminhará a vosso lado; e vos apoiará com o seu abraço, quando fraquejarem as vossas pernas.
Não espereis, porém, que ele vos sirva. Pois o Amor não existe para fazer-vos felizes, mas para tornar-vos melhores; nem para fazer-vos voar, mas para que aprendais a caminhar juntos.  
Preparai-vos, antes, para servir ao Amor. Pois ele não é como o instante, que utilizais a vosso bel-prazer; mas como o tempo, no qual estais mergulhados e onde se passa a vossa vida.
O Amor não é uma ilha, onde podereis viver felizes para sempre e ver realizados todos os vossos sonhos; é como um arquipélago, onde viajais de ilha para ilha, ao sabor das vossas emoções.
O Amor não é uma conquista; é um caminho a ser percorrido de mãos dadas, todos os dias da vossa vida. Não é receber, é dar-se; não é uma resposta, é uma série de novas  perguntas.
O Amor é feito de renúncias. Mas torna melhor a vossa vida. 


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midi vocais/connie_francis_love_is_a_many_splendid_thing.mid
Vejam que lindo vídeo!

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

O POTE E O ARCO-ÍRIS




Deveis, sim, acreditar que encontrareis o pote de ouro.
Pois são os sonhos que vos sustentam, durante a caminhada; assim, eu vos tenho dito. Muitas vezes, a esperança se deita convosco e vos faz atravessar a noite, até que venha o novo dia.
Acreditai, portanto, em vosso pote de ouro; seja ele qual for. Cada pessoa é um mundo em si mesma, com as suas tempestades e calmarias; com as suas próprias necessidades e esperanças.
Por isto, não poderia a mesma água saciar a sede de todos vós. O solitário deseja a companhia, o amante busca a amada; o jovem procura a sabedoria e o idoso quer o vigor da juventude.  
Por isto, cada homem enxerga diferente o ouro de que está cheio o seu pote; embora todos os potes reflitam o mesmo brilho de esperança, que ilumina os vossos olhos e vos aponta o caminho.
Buscai o vosso pote. Evitai, todavia, perder-vos nessa busca; aquele que não vê senão aonde pretende chegar, deixa de perceber as belezas e os encantos do caminho onde passa.
Sede viajantes sensatos; não vos deixeis distrair pelo brilho do pote, a ponto de desprezar as moedas que encontrais pelo caminho. Precisareis delas, para sobreviver durante a jornada.
Sede como o lavrador que, embora sonhe com o trigal dourado oscilando ao sopro do vento, sabe que necessita cavar, semear e cuidar da plantação todos os dias, até à colheita.
Sede como a mãe devotada que, pela felicidade dos filhos, não atende a todos os seus desejos; ou como o homem verdadeiramente sábio, que não responde a todas as vossas perguntas.
Pois a mãe sabe que os filhos não terão sempre as vontades satisfeitas, e precisarão lidar com a frustração; e o sábio aprendeu que cada homem deve encontrar as suas próprias respostas.
Não vos preocupeis demais com o pote de ouro; o tempo vos ensinará que sois capazes de sobreviver com as moedas que o Coração do Universo, generosamente, derrama em vosso caminho.
Nem desperdiceis a vida, correndo atrás de um arco-íris; muitos aparecerão, em vossa jornada. E não vos apresseis em alcançar o fim de cada arco-íris que surja; admirai as suas cores.
Ensopai os vossos cabelos e lavai as vossas dores, nas gotas de chuva que os formam; aquecei vosso corpo e vossas almas no calor do sol, que por instantes lhes empresta o seu brilho.
Deixai que vos invadam a força e a essência do Ser; encontrai, em vosso íntimo, a sensação de plenitude. Percebei que cada um de vós é único; e escutai, em vossa alma, a canção do Universo.

Este é o caminho para o vosso pote de ouro.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/faustopapetti_overtherainbow.mid
Vale a pena assistir aqui

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

UMA IDEIA DE VIDA


A sua vida é o que você faz dela.


Sim: haverá momentos bons e momentos ruins. Tempestades e calmarias; instantes de uma brisa calma e amiga e outros de vento forte e devastador. Haverá calor e frio, dias e noites.

Você pisará na grama macia, sentindo o aroma de flores e ouvindo o murmúrio de riachos. Mas, também, magoará os pés nas pedras, sentirá cheiro de lodo e tremerá ao fragor do trovão.

Porque assim é a vida. Não estamos em um passeio, mas em uma jornada; não estamos no Paraíso, mas em uma escola. Como na escola, temos momentos de recreio e outros de aprendizado.

Aproveitemos o recreio e façamos valer o aprendizado. Porque não é sensato o homem que, estando na escola, insiste em manter os olhos fechados; ou não aproveita o tempo de alegria.

A verdade é que não temos controle sobre os ventos; mas depende de nós a posição das velas. Não escolhemos os aromas que nos chegam, mas definimos a intensidade da respiração.

Não podemos escolher o que vem em nosso caminho, mas é nossa a escolha de como reagimos, a cada novidade que a Vida nos traz. Nós escolhemos olhar para o céu, ou para o chão.
Por isto, não se deixe tomar pela angústia de existir; apenas exista, saboreando tudo de bom que cada momento lhe possa trazer. Porque não há angústia em existir, mas oportunidades.

Também não se perca na urgência de viver; apenas viva e sinta-se vivo, em cada hora de cada dia que lhe for concedido. Porque nada pode ser mais urgente ou mais importante do que viver.

Nunca se acostume à paisagem que você vê da sua janela. Porque, enquanto você a fitar com novos olhos, todos os dias nela encontrará novos encantos, que farão mais bela a sua vida.

Da mesma forma, nunca acredite que conhece completamente o ser amado. Porque ninguém pode conhecer tudo sobre outra pessoa, e um pouco de mistério é essencial ao amor.

Não tenha pressa em entornar o cálice da Vida. Ao contrário: beba lentamente, saboreando cada gota, à medida que passar pelos seus lábios; só assim, você poderá sentir o gosto de viver.

Seja, sempre, paciente e carinhoso com as crianças e os velhos. Porque lhe cabe a tarefa de ensinar a umas e aprender com os outros; eles representam o seu passado e o seu futuro.

Não reclame da Vida, e nunca acredite que lhe tenha sido dado menos do que você merece. A frustração envenena a sua alma, enquanto a gratidão é o caminho para a felicidade.

Faça o melhor que puder, com a sua Vida. E ela será melhor para você.
Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midi vocais/canto_gregoriano_imagine.mid

Vejam que lindo vídeo

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

ESPERANÇAS E LEMBRANÇAS


Triste daquele que precisa voltar para o ontem.

Porque é preciso viver no hoje. E de nada adianta terem sido doces os dias passados, se é amargo o presente. De que nos vale o ontem, se precisamos viver no hoje e fazer o amanhã melhor?

Os nossos sonhos de ontem, as nossas alegrias de ontem e as nossas tristezas de ontem, ficaram no ontem. O gosto amargo ou doce, em nossas bocas, não muda com as lembranças.

Ontem, foi ontem; hoje é hoje. Assim como o hoje é o que fizemos ontem, o amanhã será o que hoje fazemos. E é preciso saber se o que estamos fazendo hoje, trará o amanhã que queremos ter.

Não nos podemos prender ao passado. Se desejamos que os sonhos de ontem se realizem amanhã, precisamos agir diferente do que até hoje temos feito; porque ainda não passam de sonhos. 

As lembranças de ontem tornam-se, muitas vezes, esperanças no amanhã. Mas, se as esperanças de ontem não se realizaram no hoje, não há lógica em esperar que se realizem no amanhã.

Entretanto perseguimos os nossos sonhos; e insistimos em vê-los realizados, tentando mantê-los vivos, a cada morte que sofrem. Lutamos sempre, para que possamos continuar sonhando.

Porque os sonhos são nossa maior motivação para seguirmos em frente. Se desistirmos deles; se reconhecermos que são e serão somente sonhos, que motivação teremos para continuar?

Por isto, perseguimos os nossos sonhos. Precisamos das nossas lembranças e das nossas esperanças; e não há lembrança ou esperança mais forte do que um sonho que desejamos ver realizado.

E esta é a razão porque nos debatemos entre o ontem e o hoje. Insistimos em manter vivas as esperanças do passado, como se assim pudéssemos trazer de volta a nossa juventude de ontem.

Mas – e esta é a pergunta – de que nos adiantaria trazermos de volta a juventude? Seriam os mesmos os nossos desejos e os nossos pensamentos? Nós próprios, acaso, seríamos os mesmos?

Não. Todos mudamos, ao longo dos anos. E não apenas nós, mas tudo aquilo que nos cerca; mudou o mundo, mudaram as nossas necessidades. E estas mudanças mudaram  a nossa realidade.

Contudo, existem aqueles que se recusam a mudar. Que fazem questão de acreditar nos sonhos, na felicidade e no amor. E gosto de pensar que sou assim: insisto em seguir mantendo a esperança. 

Continuarei a dizer o que penso, a mostrar as coisas em que acredito, a crer que a felicidade pode estar à nossa frente. Precisamos acreditar no futuro, já que não podemos voltar no tempo. 

Temos o dom de mudar o futuro. Mas não podemos viver no passado.


Música: 
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/kenny_g_somewhere_in_time__piano.mid 

Este é um vídeo que merece ser assistido. Vejam

sexta-feira, 26 de julho de 2019

O INTEIRO E AS METADES



Não vos vejais como metades que se completam.
Vede-vos, antes, como inteiros que se encaixam. Porque ninguém pode, realmente, amar outra pessoa, se não estiver inteiro em si mesmo; como o pássaro não voa, sem as próprias asas.
Amor não é troca; é doação. A troca acontece quando ambos se amam; e, por isto, a doação ocorre de lado a lado. Mas é preciso que cada um esteja inteiro, para que possa doar-se ao outro.
Amar não é buscar no outro a compensação de suas carências; ao contrário, é oferecer o carinho e a dedicação que existem em si. Não é completar alguém, mas encaixar-se no seu jeito de ser.
Aquele que ama, não é incapaz de viver sem o amado; mas reconhece que, com ele, a vida é mais feliz e completa. Não se desespera pela ausência, mas sonha com o momento em que estarão juntos.
O verdadeiro amor não angustia, acalma. Não provoca o medo da solidão, mas proporciona a plenitude da companhia; não faz perder noites, mas adormecer com um sorriso de alegria nos lábios.
Não sois metades. Pela própria definição de “metades”, isto significaria que estaríeis incompletos; e como alguém que não está completo poderia dedicar-se a outra pessoa? O que teria a oferecer?
Necessitais ser inteiros, para que algo possais doar de vós mesmos. E o maior erro que podeis cometer, é entrar em uma relação esperando receber. Se desejais ser felizes, pensai antes em doar.
O amor não é uma conquista; é uma construção de todos os dias. Dia a dia, vos cabe pavimentar o caminho que percorrereis juntos. Não vos podeis furtar a fazer a vossa parte, ou ambos vos perdereis.
O amor é como uma árvore, plantada em vossos corações; nutre-se da seiva que fornecem as suas raízes. É preciso que no solo, onde se encontram, existam o carinho e a confiança que o alimentam.
Sim, o amor é um sonho. Mas, como acontece a todos os vossos sonhos, precisa ser também construído na realidade onde viveis; ou jamais chegará a existir plenamente em vossas vidas.
Cuidai-vos, pois, para que não vos vejais como metades, que dependem uma da outra para existir. Tende consciência de que cada um de vós é um inteiro; assim, mais oferecereis um ao outro.
A dependência não é fruto do amor, mas da carência. O medo não provém da escuridão, mas da insegurança; e a saudade não é causada pela ausência de alguém, mas por sua presença em vós.
Acostumai-vos à ideia de que o melhor possa ser não alguém que vos complete, mas que se encaixe em vossa vida; e a torne melhor. Que, talvez, não vos entenda; mas vos dê o melhor de si.
Assim, conhecereis o verdadeiro amor.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/1_kenny_g_unchanged_melody.mid


Post inspirado pela bela imagem, que circula na internet.

Acho que este video tem tudo a ver. Confiram aqui.

sexta-feira, 19 de julho de 2019

OS VOSSOS MOMENTOS



O momento que se vai, jamais retornará.

Assim, eu vos tenho dito. Cada instante que se passa é como uma gota de água a menos, no oceano da vossa vida atual. E, quando todas se forem, nada vos restará, senão o deserto imenso e vazio do nada.

Sim. E cada instante que se passa é, também, como mais uma moeda que se vai do cofre que recebeste repleto, com a quantia suficiente para adquirir o aprendizado de que necessitais nesta jornada de agora.

E, se assim é, deixai que vos pergunte mais uma vez: por que tanto insistis em desperdiçar os vossos momentos? Por que vos comportais como se o vosso tempo e a vossa vida não fossem ter fim, um dia?

Por que gastais os vossos preciosos instantes em angustiar-vos, por coisas que logo serão passado e não valem o vosso sofrimento? Por que vos preocupais, se o próprio tempo se encarrega de levar o que traz?

Abandonai as vossas angústias vazias, para que melhor possais desfrutar da dádiva que é cada um de vossos momentos de vida. Sede rápidos, ao gastar as vossas lágrimas, para que o riso retorne a vosso rosto.

Não deixeis que o medo vos tolha os passos; nem que a tristeza se instale em vosso coração. Não vos permitais duvidar de vós mesmos; aquele que não acredita em si, não terá forças para realizar os seus sonhos.

Não acalenteis a mágoa, nem o desejo de vingança; acolhei, antes, a tolerância e o perdão. Porque mágoa e ressentimento são cruzes pesadas, que envergam os vossos ombros e tornam difícil o vosso caminhar.

Não dai guarida ao ciúme de quem amais, nem à desconfiança quanto aos vossos amigos. Porque infeliz é o homem que caminha espreitando cada sombra, ou aguardando a qualquer momento ser traído.

Não vos aferreis aos vossos bens; ou, mesmo, às vossas crenças e ideias. Porque os bens vos serão, de uma forma ou de outra, tomados pelo tempo; e as crenças e ideias variam, à medida que ocorre o aprendizado.

Não vos escravizeis às conveniências, ou vos perdereis de vós mesmos. Segui, sempre, a vossa consciência e os vossos princípios; porque através deles vos fala o verdadeiro Eu, e  necessitais escutar a sua voz.

Atentai para os vossos amores; entregai-vos a eles e vivei-os intensamente, sem recear o amanhã. Pois, ainda que no futuro vos possa atingir algum arrependimento, a felicidade que tivestes decerto o compensará.

Plantai um sorriso, em vosso coração. E vereis que a semente bendita se multiplicará, enchendo de sorrisos o vosso caminho e tornando mais leves os vossos passos. Aprendei a sorrir, e a vida sorrirá para vós.

Não desperdiceis nem um dos vossos momentos. Insensato é o homem que gasta o seu tempo a remoer desgostos e frustrações, quando pode aproveitá-lo para recordar momentos positivos e sentir-se feliz.

Sois os responsáveis por vosso caminho. E podeis escolher o que nele semeareis: a urtiga cruel, que vos queimará a pele e provocará dor, ou a grama macia, que acariciará suavemente os vossos pés.

Não desperdiceis os vossos momentos. Eles não retornarão a vós.

Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/chopinsnocturne.mid

sexta-feira, 12 de julho de 2019

PESSOAS


Pessoas existem, que são como árvores: dão sombras e frutos.

E são como fontes, de onde brota a água cristalina que dessedenta aqueles a quem amam e refresca os seus corpos cansados; como flores, que perfumam e embelezam o ar ao seu redor.

Oferecem de si próprias, porque esse é o seu jeito de ser. Como o vento suave, que faz voar as pipas, apoiam os seres amados e os incentivam, para que possam realizar os seus sonhos.  

Pessoas que se dedicam, esquecendo os seus desejos; e não o fazem por altruísmo, mas por um doce egoísmo. Porque na felicidade de quem amam, encontram a sua própria felicidade.

Assim acontece, no verdadeiro amor: a luz que ilumina os caminhos de quem ama, é a que brilha nos olhos amados; o seu sorriso é o sorriso da boca amada, a sua tristeza é o choro do amado.

Pois o amor não é a agonia do desejo de posse, mas a felicidade da doação. O amor não cobra, oferece; não prende, liberta; não limita, abre novos horizontes. Nada exige, apenas une e realiza.

Pessoas existem, que se esquecem de si mesmas; e, ao fazê-lo, não se tornam menores. Ao contrário: crescem, em sua humildade e seu desprendimento. Não se perdem; antes, se encontram.

Porque a rosa simples, que se contenta com a sua humilde posição no ramalhete, também espalha o perfume e compõe a beleza do buquê, mesmo após colhida e afastada de suas irmãs.
E a espuma alva, que corre sobre a onda, em breve se desfará; mas, enquanto existe, cumpre o seu papel de enfeitar o oceano. Nada é eterno, e servir é o aprendizado da grandeza.
Assim pensam as pessoas que amam. E, muitas vezes, se ocultam entre as sombras; porque não buscam a luz vazia dos holofotes, mas a certeza e a paz do dever bem cumprido.
Por isto, quase nunca aparecem; e dificilmente recebem a gratidão daqueles a quem ajudam. Porque todos sentimos a picada do espinho, mas nem sempre reparamos na beleza da rosa. 
Em verdade, assim é o homem: mais propenso a reclamar, do que a agradecer. Mais inclinado a angustiar-se pelo que julga que lhe falta, do que a sentir-se feliz por tudo aquilo que tem. 
É assim que somos. E, no nosso egoísmo, às vezes não percebemos o valor de uma pessoa, senão depois da sua partida; é quando, à dor da saudade, se junta o remorso pela  falta de gratidão.
Entretanto, esse remorso não deve existir. Porque aquele que serve de coração, não busca agradecimentos; contenta-se em ajudar e apoiar. Esta é toda a recompensa que quer e de que precisa.
Pois é assim que se sente feliz.
Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/instrumentais_richard_clayderman_se_todos_fossem_iguais_a_voce.mid

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky