O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 12 de agosto de 2022

PAIS E FILHOS

 


Não podeis viver a vida de vossos filhos.

Assim eu vos tenho dito. Porque a rosa e a roseira têm necessidades e objetivos diferentes; e cada uma tem os seus próprios espinhos, para defender-se e cumprir a sua missão.

E, se assim é, tampouco podeis fazer com que vivam a vossa vida. Porque a ave que não deixa o ninho jamais aprende a voar, e tem uma visão muito limitada do que seja o mundo.

Sim; tudo isto, vos tenho dito e repetido. Entretanto, sei o quanto é difícil para o coração ouvir a lógica; ele atende aos sentimentos e emoções, enquanto a lógica é impessoal e prática.

E é preciso que assim seja. Porque o barco não pode seguir em frente sem velas e ventos; mas de nada lhe adiantaria avançar, se não houvesse o leme definindo o rumo a ser seguido.

Acautelai-vos, portanto, quanto à tentação de evitar lágrimas aos vossos filhos. Eles precisam chorar as suas próprias dores, assim como sorrir e festejar nas suas próprias alegrias.

Pois ninguém pode chegar ao Conhecimento, sem passar pelo aprendizado. E não merece usufruir das vantagens da chegada, aquele que não traça nem percorre seus caminhos.

Assim acontece convosco; e, antes de vós, aconteceu também aos vossos pais; e aos pais de vossos pais. Cada um correu seus riscos, chorou seus prantos e sorriu os seus sorrisos.

Por que, então, negaríeis aos vossos filhos as suas oportunidades de crescer? Por que acorrentaríeis os seus pés, tolhendo os seus voos? Isso não seria por amor, mas por egoísmo.        

Bem conheço as dificuldades de ser pai, pois tenho os meus próprios filhos. E, ao tempo em que lhes desejo voos maiores que os meus, sinto a tentação de mantê-los sob as asas.

Acredito que também assim aconteça a todo pai, todos os dias. E nada vos posso aconselhar, senão que ameis os vossos filhos; e lembreis que amor não é posse, mas compreensão.

Mais sensato é ensinar o filho a voar, do que pretender mantê-lo na segurança enganosa do ninho. Porque o tempo passa, e um dia virá em que não haverá como impedir o seu voo.

Nascemos para voar. E ao pai não compete entregar as asas ao filho, que já as trouxe consigo; seu trabalho é proteger e ensinar, para que o jovem esteja pronto quando a hora chegar.

O pai não deve ser como o chicote, que tange; nem como a corda, que limita. Precisa ser como o livro, que ensina; o perdão, que acolhe e protege; a repreensão, que educa e faz crescer.

Amai vossos filhos. E os ensinareis a voar.

Música:

http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/EmiliePandolfi_SomewhereInTime.mid

Link música

Link vídeo

FELIZ DIA DOS PAIS! 

sexta-feira, 5 de agosto de 2022

SOBRE OS SONHOS

 

Acalentai, sempre, os vossos sonhos.

Por mais que vos sintais tentados a desistir deles. Porque os sonhos, sejam ou não realizados, vos impulsionam a prosseguir na caminhada; é deles que vem a força para os vossos próximos passos.

Na verdade, cada sonho é como a luz de uma lâmpada, que ilumina o vosso caminho. E quando essa luz se extinguir, seja qual for o motivo, acendereis outra, para que possais seguir em frente.

Porque não podeis caminhar na escuridão das vossas incertezas. E necessitais de luzes, que vos apontem o caminho; mesmo que essas luzes se apaguem, uma por uma, à medida que as alcanceis.

Porque sonhos são apenas sonhos. E, ainda que não vos seja dado entender, nisso reside o seu maior encanto; não existe um sonho que possa sobreviver, uma vez que se torne realidade.

Lembro-me de já vos haver dito que um sonho pode ter dois fins: realizar-se ou não. E, qualquer que seja, esse será sempre o destino de todos os sonhos que acalentardes em vossas almas.

Não existem sonhos que persistam, depois que se realizam, por mais que o desejeis. Porque os sonhos são como as nuvens; e a realidade é a chuva, onde todas as nuvens se desfazem.

E, entretanto, a chuva que cai sobre a terra volta a tornar-se nuvem. Do mesmo jeito, os vossos sonhos não se extinguem; antes se transformam, e voltam a vagar no céu das vossas almas.

E – tentai entender – a magia não está em realizardes os vossos sonhos, mas sim em serdes capazes de sonhar! E de criar novos sonhos, a cada vez que entendeis que um deles se foi.

Muitas vezes, vos disse que os sonhos são como as flores: a cada um que cai sobre a terra, outro toma o seu lugar. Aqueles que tombaram se tornam adubo, para os outros que nascem.

Mas talvez não vos tenha dito que cada sonho é importante, para vós! Como cada botão é importante para a roseira, que o acalentou até brotar e tornar-se rosa, antes de fenecer e cair.

Este é o maior mistério da Vida, que se perpetua ao longo do tempo; como aos sonhos acontece, ainda quando às vezes parecemos ter ficado no passado, permanecemos vivos.

Continuaremos aqui, enquanto persistirem as recordações de nós. E estas dependem do que fazemos com os sonhos; porque seremos lembrados pelo que construirmos ao nosso redor.

Tende em mente esta verdade: como as aves vão aonde as levam as asas, chegareis até onde chegarem os vossos sonhos. É o tempo que vos conduz, mas são os sonhos que vos guiam.

E deles depende cada uma de vossas jornadas.

Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/1_ernesto_cortazar_dreaming.mid

Link música

Link vídeo. Esta versão é menos conhecida, mas eu gosto. :)

sexta-feira, 29 de julho de 2022

GOTAS DE FELICIDADE


Sim; devemos saborear cada gota de felicidade.

Degustá-la, lentamente, deixando que preencha nossa alma e traga novo alento a nossa vida. Precisaremos de todos os momentos felizes que encontrarmos, para seguir em frente na jornada.

Porque muitos serão os momentos de tristeza e solidão, que surgirão em nossa vida. E não os superaremos, se não contarmos com as doces lembranças dos nossos instantes felizes.

Saboreemos, pois, as nossas ilusões. E procuremos prolongá-las, sempre; armazenar a claridade de sorrisos, para enfrentar a escuridão das desilusões. Pois elas virão, com certeza.

Este não é o mundo do sempre, mas o do agora. E nele pagaremos com lágrimas os sorrisos que os sonhos nos trouxerem. Assim como choramos os mortos, que um dia nos fizeram sorrir.

Pois o mundo das ilusões é, também, o das desilusões. Insensato é aquele que acredita que os seus sonhos possam durar mais do que uma noite: os sonhos se desfazem, ao amanhecer.

Para o tempo, não importa o que sentimos; ou o que queremos. Aproveitemos, então, o perfume das flores quando se abrem; antes que caiam ao chão e nos deixem órfãos e saudosos.

Porque é assim que ficaremos, um dia, das pessoas e dos sonhos que perfumaram nossas vidas. E talvez, se soubermos aproveitar a sua presença, não nos doa tanto a sua ausência.

Precisamos aprender a valorizar o que temos, em vez de angustiar-nos pelo que julgamos que nos falta. Amar as pessoas que nos amam e apreciar as coisas que conseguimos conquistar.

Esta é a nossa realidade. E, ainda que não seja senão uma ilusão do espaço e do tempo, é nela que necessitamos viver; acostumemo-nos, pois, a descobrir motivos para sermos felizes.

Porque encontraremos razões para sentir cansaço ou desânimo. E, se nos deixarmos vencer pela tristeza e pela escuridão de uma noite, difícil nos será perceber a luz de um novo dia.

Estejamos atentos, portanto. Eu vos tenho dito – e repetido muitas vezes – que, embora não possamos controlar os ventos da vida, está em nosso poder aprender a posicionar as nossas velas.

Se assim é, podemos determinar a nossa rota. E, apesar do esforço e do cansaço que exige manobrar o barco, poderemos vencer todas as ondas que surgirem e chegar a um porto seguro.

Aproveitemos, quando soprarem os bons ventos, para repousar os nossos corpos e as nossas almas. Desfrutemos da felicidade, de cada vez que a encontrarmos em nosso caminho. 

Porque, em outro dia, será a tristeza a nos encontrar.

Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/1_roger_willians_las_hojas_verdes_del_verano.mid


Link música

Link vídeo

sexta-feira, 22 de julho de 2022

UMA RECEITA PARA A PAZ

 


Cultivai a paz, em vossa alma.

Porque nenhum motivo existe, que possa justificar a violência. Nada pode ser mais importante, para o ser humano, do que estar bem consigo mesmo. Nada vos deve trazer a inquietude.

Controlai, portanto, os vossos medos e o vosso orgulho. Porque são eles, mais comumente, os pais das vossas zangas e dos vossos aborrecimentos. Vigiai-os e, decerto, vivereis em paz.

Lembrai-vos, ainda, de praticar o desapego. Pois, enquanto caminhais no mundo da matéria, é normal que vos preocupeis demasiado com as vossas posses; que não passam de ilusões.

Ou julgais, acaso, que alguma delas podereis levar convosco, quando chegar a vossa hora? Se assim for, desiludi-vos: nus, chegais a este mundo; nus estareis, quando dele vos fordes.

Esta deveria ser a maior das vossas verdades; porque, se o fosse, outra seria a vossa conduta e outros os vossos cuidados. O que parece, porém, é que vos esforçais para esquecê-la.

De que isto vos serve, entretanto? A verdade continua a ser a verdade, por menos que a desejeis. E, como a poeira escondida sob o tapete, um dia se fará incomodamente presente.

Aprendei a aceitar a verdade. Por mais sedutora que pareça a mentira, dia virá em que precisareis deixar os seus braços; e só a verdade será capaz de iluminar os vossos caminhos.

Longe estou de ser um sábio, mas de coração vos repito aquilo que me ensinou a vida: o desprendimento, a verdade, a humildade e a coragem são os vossos grandes guias para a paz.

Recebei-os, em vossa alma; se o fizerdes com sinceridade, as inquietações vos deixarão. Porque o egoísmo, a mentira, o orgulho e o medo são as causas de todos os desassossegos.

Renunciai a eles, portanto, se pretendeis alcançar a paz. E, acreditai-me, nada perdereis com essa renúncia; antes, sereis melhores. E mais fácil será, daí em diante, a vossa jornada.

Esta, todavia, é uma decisão que necessitareis tomar. Porque a paz não virá ao vosso encontro; antes, cabe a cada homem o encontrá-la em si mesmo e espalhá-la ao seu redor.

Decerto já percebestes que, desde que o mundo é mundo, o homem tece rasgados elogios à paz; e, entretanto, as guerras e a violência se repetem, todos os dias, em todos os cantos.

E assim acontece, porque ninguém se dispõe a renunciar. Esqueceis o quão transitória é a vossa passagem e pareceis acreditar que ficareis para sempre a caminhar sobre esta Terra.

Quando, na verdade, caminhais pela Eternidade.

Música:

http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/1_carmen_cavallaro_smoke_gets_in_your_eyes.mid

Link música

Link vídeo

 

sexta-feira, 15 de julho de 2022

O CAMINHO E A VIDA


Conta-se de alguém que partiu em viagem.

E, nos primeiros tempos, questionou o sentido dessa viagem. Perguntou-se o porquê da partida e até aonde chegaria. Perguntou-se o que aconteceria, depois de chegar ao seu destino.

E levou mais além as suas dúvidas. E todos os dias se perguntava a razão de todas as coisas. E começou a inquietar-se com tudo que encontrava no caminho. E, assim, a sua paz se foi.

Eis que a jornada começou a pesar às suas costas. Perdeu a alegria e os seus dias se tornaram cinzentos e monótonos, imersos na bruma das suas cismas, ansiedades e incertezas.

A cada amanhecer, perguntava-se o que o novo dia lhe traria; imaginava as dificuldades a enfrentar, para prosseguir em sua viagem. Em cada noite perdia o sono, a pensar no dia seguinte.

Assim se passou o tempo; e a viagem tornou-se um fardo opressor. Já não encontrava motivos para sorrir, apenas para angustiar-se; cada colina lhe parecia uma elevada montanha.

Cada rio, em seu caminho, lhe parecia um oceano; cada vala, um abismo perigoso e profundo. Já não via os pássaros, que cantavam para ele; apenas os abutres, aguardando sua queda.

Até que um dia, ao acordar, sentiu o calor do sol em sua pele e a carícia do vento em seus cabelos. Respirou fundo e sentiu o perfume das flores; abriu os olhos e viu o mundo que o cercava.

Então, tudo mudou. Porque, enfim, percebeu que a viagem era tudo, em si mesma. Que o importante não era aonde ou quando chegaria, mas como viajaria; que a jornada era o seu próprio sentido.

Mergulhou os pés nus em um riacho e sentiu o frescor da água, aliviando as suas feridas; ouviu o canto dos pássaros, que alegrou a sua alma, e provou o sabor delicioso de um fruto maduro.

A alegria substituiu a tristeza, o entusiasmo tomou o lugar do desânimo. Passou a ver o mundo colorido, as regiões de luz e de sombra; sentiu o cheiro gostoso e peculiar da terra molhada.

E, de fardo, a jornada passou a ser uma dádiva. A cada amanhecer, sentia renascer a esperança; e à noite adormecia em paz, sorrindo ao pensar nas oportunidades do novo amanhã.

Assim acontece com a Vida. Longe de procurar o seu sentido ou inquietar-nos com as dificuldades da jornada, devemos apenas cuidar de vivê-la. Cada jornada é a sua própria razão de ser.

Não nos devemos angustiar com a possibilidade do fim, mas aproveitar o durante; não deixemos que as preocupações nos vençam, porque tudo se resolverá. Apenas, saibamos viver.

É assim que podemos ser felizes.

Música:

http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/billy_vaughn_petit_fleur.mid

Link música

Link vídeo

sexta-feira, 8 de julho de 2022

A IMPORTÂNCIA DO AMOR

 



É preciso falar de amor.

Para que os seres humanos se entendam e convivam melhor neste planeta, que dividimos durante a atual jornada. Para compreendermos a importância que temos para o Coração do Universo.

Para que a linguagem se possa tornar universal. Para que caiam as barreiras entre as pessoas e os países e enfim nos vejamos como irmãos, apesar das diferenças que existam entre nós.

Para que a violência e a guerra não encontrem guarida em nossos ouvidos e corações; para que o estrondo sinistro dos canhões não mais abafe a melodia harmoniosa e suave da paz.

Mas não basta falar de amor; é preciso viver com amor. Muitas vezes, a palavra não vai além dos ouvidos; e, como a tocha nada ilumina se não for acesa, o amor precisa estar vivo em nós.

Só assim, estará em cada pensamento e em cada gesto. Os famintos serão alimentados, os que sofrem serão consolados e os que se sentem perdidos encontrarão um novo rumo.

Porque o amor é o caminho. É ele que nos afasta do egoísmo e do medo; amar é doar-se e acreditar nos seres amados. Amar é renunciar a ser sozinho, e aceitar a companhia de um abraço.

Amar é ver o mundo de uma nova maneira. É aprender que caminhamos juntos, e nos podemos dar as mãos, embora cada um tenha o seu próprio caminho. Juntos, somos mais fortes e vivos.

Amar é confiar. É acreditar. É esquecer os desenganos passados e acreditar que o novo dia trará um futuro melhor; que o sol nascerá e a sua luz afastará a escuridão da noite que passou.

Amar é olhar nos olhos de alguém e encantar-se. É sentir que uma palavra traz de volta a esperança e o desejo; que a imagem de um rosto sorridente pode afastar a tristeza de uma vida.

Amar é trocar a liberdade de ser só, pela plenitude de querer bem. É perceber que ninguém é mais valioso que o ser amado; é pensar no bem-estar de alguém, antes de tomar decisões.

Sim: amar implica em renúncias. Mas não são renúncias dolorosas ou frustrantes; antes, são muito bem-vindas. Amar é renunciar por sua própria vontade, é ser altruísta por egoísmo.

Amar é, se necessário, deixar de alimentar-se para alimentar o ser amado; é tudo fazer para ver um sorriso em seu rosto. Porque quem ama encontra a felicidade em ver feliz a quem ama.

É preciso falar de amor. E mais necessário é viver com amor. De nada valem palavras vazias, ditas sem sentimentos; não é quando se repete em nossas vozes, que o amor nos faz mudar.

É quando se faz presente, em nossos corações.

Música:

http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/eduardo_lages_love_me_tender.mid   

Link música

Link vídeo


sexta-feira, 1 de julho de 2022

DA SEGURANÇA QUE BUSCAIS


Buscais a segurança. Não percebeis como é insensata essa busca?

Porque viveis no mundo da insegurança, onde tudo pode mudar em um instante. Onde tudo se irá, mais dia menos dia; onde a própria vida pode acabar, em um piscar de olhos.

E, com ela, de uma vez acabam-se as vossas preocupações e os vossos cuidados. Porque, enquanto caminhais sobre a Terra, a cada caminhada relacionais o vosso futuro.

Faríeis melhor, talvez, se menos vos preocupásseis com a segurança e mais atentásseis ao momento que passa. Se, em vez de imaginar o amanhã, tratásseis antes de viver o hoje. 

Pois aquele que se angustia com a chuva que cai, não percebe o reflexo colorido da luz nos desenhos que as gotas formam na vidraça; nem o cheiro gostoso de vida, que sai da terra molhada.

E o homem que teme mergulhar no mar, jamais conhecerá a sensação maravilhosa da água acariciando o seu corpo; nem verá a beleza dos peixes e corais, diante dos seus olhos.

Buscais a segurança de continuidade no vosso trabalho; e, antes, deveríeis cuidar de fazê-lo com amor e de sentir-vos felizes, enquanto o fazeis. Porque a ele dedicais muito do vosso tempo.

E o trabalho não vos deve ser um peso, mas a certeza de que fazeis a vossa parte, na construção de uma vida melhor para todos. Assim, além de ganhar o vosso pão, alimentais a vossa alma.  

Buscais a segurança de longevidade nos relacionamentos. A eles deveríeis, antes, entregar-vos de corpo e alma; assim, conhecereis plenamente as emoções que vos podem trazer.

Pois, eu vos tenho dito, o amor não é usufruto, mas entrega; não é recebimento, mas doação. Ele não vos envolve, mas aflora de vós; e nada vos promete, mas vos faz sentir o seu encanto.

Buscais a segurança da saúde de vossos corpos. Que é importante, para prosseguirdes em vossa jornada; mas deveríeis ter presente que esta é apenas uma etapa de uma jornada maior.

E mais necessário é que cuideis da vossa alma. Pois é o vosso verdadeiro Eu que transcende o tempo; que passeará nos jardins da Eternidade, e estará sempre vivo na Mansão do Amanhã.

Abandonai, pois, as vossas preocupações com a segurança. Nenhum de vós estará seguro, enquanto caminhardes sobre a Terra; ela mesma poderá desaparecer, em um minuto.

Porque o que vos pertence, agora, não é o futuro, mas o presente. Ocupai-vos, portanto, de desfrutar da doce aventura que é a Vida; de viver plenamente cada minuto que vos é dado neste mundo.

Esta é a única certeza que podeis ter.

Música:

http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/1_carmen_cavallaro_autumn_leaves.mid

Link música

Link vídeo

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky