O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 19 de abril de 2019

A VOSSA FÉ



Professai a vossa fé.

Pois necessitais crer em uma força maior do que vós, de onde vos venha o amparo e a ajuda, quando forem insuficientes as vossas próprias forças. O homem necessita da esperança.

E confundis a fé e a esperança; sois como crianças, que pedem ao pai as coisas que desejam. Que agradecem, quando as recebem; ou reclamam, quando se julgam não atendidas.

Sabei, entretanto, que embora vos acompanhe e proteja o Coração do Universo, realizar os vossos desejos não está entre os Seus cuidados. Para isto, dependeis apenas de vós mesmos.

E o podeis fazer, porque em vós existe a Sua essência. Cada homem que caminha sobre a terra, é uma pequenina partícula do Infinito; como cada gota d’água faz parte do imenso oceano.

Esta, é a verdade que vos escapa: que não precisais procurar o Coração do Universo, porque Ele já existe em vós. E, se necessitais sentir a Sua presença, é em vós que O encontrareis.

Tampouco precisais de um nome para invocá-lo, porque Ele já está em vós. Os diversos nomes pelos quais O chamais, criam as crenças que vos dividem, quando deveríeis estar unidos.

Porque, já disse o poeta, a flor que de rosa chamais, com qualquer outro nome rosa seria. E o Coração do Universo é um só, não importa de quantos nomes O chamem, em todas as línguas.

Abandonai a intolerância religiosa e aceitai o Amor do Coração do Universo. Deveis unir-vos, em nome desse amor, ao invés de vos separardes em crenças, em nome do vosso orgulho.

Mergulhai, por um momento, em vosso verdadeiro Eu. Encontrai, em vossa alma, a humildade para reconhecer a vossa pequenez; e a sabedoria de perceber quão grandes podeis ser.

Encontrai, em vossa inteligência, a capacidade de reconhecer a existência do Criador, pela magnitude da sua obra: o céu e a terra, as montanhas e os abismos, os mares e os desertos.

Aprendei a olhar com olhos de ver e percebereis o milagre da gestação, da visão e da audição; vereis o botão que se abre em flor, a semente que se torna árvore, o fruto que vos alimenta.

Mas, acima de tudo, cultivai em vosso coração o aprendizado do amor; oferecei o vosso perdão a quem vos ofender, as vossas posses a quem necessitar, o vosso abraço àquele que chorar.

Tornai-vos melhores, a cada dia; seja esta a vossa crença, seja esta a vossa fé. Assim, percebereis que de nada importa o nome que escolherdes para atribuir ao Coração do Universo.

Porque Ele está convosco, em todo o tempo.

Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/1_ernesto_cortazar_forever_maria.mid


FELIZ PÁSCOA, AMIGOS!

sexta-feira, 12 de abril de 2019

OS VOSSOS SENTIMENTOS



Atentai para os vossos sentimentos.

Pois, ainda que por algum tempo possais sufocá-los, não o conseguireis fazer para sempre. E sentimentos reprimidos são como águas de uma represa: uma vez livres, a tudo levam de roldão.

Não vos enganeis a este respeito. E não deixeis que o orgulho ou o receio vos levem a menosprezar os vossos sentimentos; aprendei a ouvir a vossa alma, que vos fala de vossas verdades.

Porque o homem que tenta ignorar o que sente, caminha, por uma corda frágil e tênue, sobre um perigoso abismo; quando poderia abrir as asas do seu coração e voar livre pelo céu azul.

E, eu vos asseguro, sois movidos pelo que sentis, muito mais do que pelo que pensais. Porque mais facilmente controlais os vossos pensamentos, do que os sentimentos que vos dominam.

Isto acontece, porque os pensamentos são criações da vossa mente, enquanto os sentimentos vivem no vosso verdadeiro Eu; na essência do que sois, que vos liga ao Coração do Universo.

Talvez não sejais produtos do que pensais; mas sois, decerto, resultados do que sentis. Muitas vezes, as vossas reações não são determinadas por pensamentos, mas por sentimentos.

E precisais assumir o que sentis, para que possais entender as causas das vossas atitudes. Se não o fizerdes, correreis o risco de desabafar sobre alguém a irritação que outro vos causou.

Não tendes de que vos envergonhar por vossos sentimentos. E, entretanto, costumais ocultar o que vos está no coração: como se revelá-lo vos tornasse mais fracos ou mais vulneráveis.

Sabei, porém, que sentir não é fraqueza. E não existe homem mais forte do que aquele que luta por seus sentimentos; esse não fraquejará ou tombará, mas seguirá em frente até o final.

Atentai para os vossos sentimentos. Assim como necessitais atentar para os vossos amigos e inimigos, para que uns vos ajudem na jornada e os outros não possam deter os vossos passos.

Atentai para o vosso coração. Sede sinceros para convosco e sereis sinceros para com ele. E ele vos retribuirá essa sinceridade, trazendo a paz de que necessita o vosso verdadeiro Eu.

Atentai para os vossos sentimentos, porque necessitais encontrar as vossas verdades. O homem que não conhece as suas verdades é como o viajante que, sem bússola, se perde no deserto.

Atentais para os vossos sentimentos, ou jamais encontrareis a vós mesmos. E aquele que não se encontra, nada será capaz de encontrar e muito sofrerá, para prosseguir perdido em sua jornada.

Rumo ao Coração do Universo.

Música:
        

sexta-feira, 5 de abril de 2019

UMA FORMA MELHOR DE VIVER



Busquemos ser melhores, em cada dia.
Não pela recompensa de um hipotético paraíso, após a morte. Mesmo porque a morte não existe; é apenas uma ilusão dos sentidos do corpo. O nosso verdadeiro Eu habita na Eternidade.
Nem, tampouco, para sermos simpáticos àqueles que nos cercam. O homem que finge ser o que não é, para tornar-se popular, nada conseguirá senão amigos falsos como a imagem que apresenta.
Busquemos, sim, ser melhores, por nós mesmos. Porque os pensamentos e as emoções formam as asas que nos fazem voar longe e mais alto; ou os grilhões que nos mantêm presos ao chão.
E mais sensato é ser como a ave, que do céu contempla a beleza do mundo, do que assemelhar-se à serpente, que se arrasta por entre pedras, poeira e lama, e tem limitado campo de visão.  
Precisamos aprender a perdoar. Porque o ódio nos conserva presos àqueles por quem o sentimos; enquanto o perdão nos dá a sensação de liberdade, que nos permite traçar novos rumos.
Precisamos deixar os preconceitos. Porque jamais conheceremos alguém pela cor de sua pele, pela religião que professa, por sua situação econômica, ou pela orientação sexual com que nasceu.
Precisamos buscar o aprendizado. Porque, quanto mais sabemos, mais capazes somos de traçar o nosso caminho; infeliz daquele que não se orienta pelas estrelas, e se vê perdido no deserto.
Devemos cultivar a tolerância. Porque é preciso compreender, para ser compreendido; escutar, para ser escutado. É preciso respeitar as ideias alheias, para que as nossas sejam respeitadas.
Procuremos a alegria, e não a tristeza; o amor e não a indiferença; a companhia e não a solidão. Aprendamos a dividir o que temos, e a não exigir tanto dos outros e tão pouco de nós mesmos.
Sejamos devotados; executemos com amor e paciência todos os trabalhos que nos caibam fazer. Porque aquele que trabalha sem amor nada constrói, além da revolta e da própria frustração.   
Abracemos a esperança, não o desânimo; a fé, não a descrença; o altruísmo, não o egoísmo. Aprendamos com os nossos idosos, para que possamos depois ensinar às nossas crianças.
Busquemos ser melhores, em cada dia. Porque o meio onde vivemos e as pessoas que nos cercam, são consequências de nós mesmos; cada pessoa que melhora, faz o mundo melhor.    
E, assim, ser melhor não é apenas uma questão de tornar-se bom; é a melhor forma de ser feliz. Mais agradável é passear entre as flores do jardim, do que entre os fétidos odores do pântano.
Busquemos ser melhores. Será mais fácil sermos felizes.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/1_franck_pourcel_ben.mid

sexta-feira, 29 de março de 2019

OS VOSSOS VELHOS


Sede pacientes e carinhosos, com os vossos velhos.

Buscai entender a forma como eles se sentem. Porque, para vós, cada dia é um novo dia; um dia a mais, que viveis. Já para o velho, é um dia a menos; menos um dia que viverá, adiante.

Sede pacientes com os vossos velhos. Porque, nos dias passados, eles já foram pacientes convosco; já vos aguardaram, sorrindo, enquanto fazíeis as vossas explorações pelo mundo.

Hoje, deveis ser pacientes, enquanto eles se despedem do mundo. Assim como no passado lhes coube escutar as vossas esperanças, hoje vos cabe escutar as suas lembranças.

Porque esta é a maldição do tempo; ou, talvez, o seu encanto. Da fonte de onde brota a vida, a cada dia corre uma água nova e fresca; enquanto a de ontem caminha para seu desaguar.

Ontem, uma pétala foi carregada pelo rio; hoje, enquanto a pétala de ontem afunda e apodrece, uma nova pétala flutua nas águas. E o seu perfume se fará sentir, pelo tempo que durar.

Este é o mistério da vida: não o quanto, mas o como. O que vos cabe não é viver para sempre; mas construir algo que fique, naqueles que vos cercam, depois que fizerdes a Viagem.

Sede pacientes e carinhosos, com os vossos velhos.

Porque foi convosco que eles, ao longo dos anos, exercitaram a sua paciência. E muitas foram as vezes em que vos abriram os braços, depois de alguma travessura ou birra inconsequente.

Porque, em cada um deles, há uma história de vida. E essa história, em muitos momentos, precisou passar pela tolerância. Sede tolerantes; como alguma vez, antes, eles foram convosco.

Recordai que o tempo passará para vós. E, quando velhos estiverdes, desejareis encontrar, nas pessoas ao vosso redor, a mesma paciência e o mesmo carinho que hoje podeis oferecer.

Sede pacientes e carinhosos, com os vossos velhos.

Amai-os, como vos amaram e vos amam. Acariciai os seus cabelos brancos, ouvi as suas lembranças, afagai a sua pele frágil. Beijai os seus rostos envelhecidos, com todo o vosso amor.

Desfrutai, com prazer e alegria, cada um dos minutos que a seu lado passardes. Essas serão as vossas lembranças mais queridas, no futuro, quando eles não estiverem ao vosso lado.

Porque os vossos velhos jamais serão apenas apenas o passado. Eles são a vossa própria história, os vossos próprios anseios; a imagem vívida das vossas esperanças e desenganos.

Somos, todos nós, os velhos de amanhã.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/emiliepandolfi_somewhereintime.mid

sexta-feira, 22 de março de 2019

CANÇÃO DA FELICIDADE


Espalhai a felicidade ao vosso redor.
Como a flor espalha o seu perfume e a estrela espalha a sua luz. Porque a flor se envolve na própria fragrância e a estrela se destaca pelo brilho que a torna linda, no escuro do céu.
E, porque dão de si mesmas, ambas marcam as suas presenças. A flor faz o encanto dos namorados, e a estrela socorre o viajante perdido, guiando-o pela noite até o seu destino.
Abençoado é o homem que dá de si mesmo, porque mais receberá em troca. As pessoas que vos cercam são como espelhos; refletem, em vossa direção, o que recebem de vós.
Aquele que espalha felicidade a recebe de volta. A sua presença será bem vinda, como uma brisa suave e amiga; todos buscarão a sua companhia, e a solidão não o visitará.
Mas aquele que apenas oferece tristeza ou amargura, será evitado por todos; dele fugirão, como do odor fétido dos pântanos. E a solidão o tornará ainda mais amargo e infeliz.
Espalhai a felicidade ao vosso redor; esta é a melhor forma de serdes felizes. O homem é escravo de seus hábitos; se sempre vos mostrardes felizes, um dia decerto o sereis. 
Espalhai a felicidade ao vosso redor. Se dúvida tiverdes sobre isto, recordai que cada um colhe aquilo que semeou; de acordo com o que desejais colher, fazei a semeadura. 
Espalhai a felicidade ao vosso redor, ainda que vos procure a tristeza. O semeador, antes de atirar ao solo as sementes, as terá em suas mãos, mesmo que por segundos.
E, ainda que sejam breves os momentos em que estiverem convosco, as sementes da felicidade vos pertencerão; iluminarão o vosso rosto e aquecerão o vosso coração.
Eu vos tenho dito que é sempre vossa a escolha. Depois que a fizerdes, entretanto, arcareis com as suas consequências, boas ou ruins; escolhei, pois, o melhor para vós.
Escolhei a bondade e não o egoísmo. Escolhei o perdão e não a vingança; a tolerância e não a incompreensão, a paz e não a guerra. Escolhei serdes felizes e o sereis.
Um sorriso é como um sol, em vosso rosto; e as lágrimas são como a chuva de um dia cinzento. As palavras de alegria são como asas; e as de mágoa, como pesados grilhões.
Assim é. E, como vos cabe a escolha, espalhai a felicidade ao vosso redor. Vereis que menores se tornarão os vossos problemas; mais fácil a caminhada, mais colorida a Vida.
É assim que podereis ser felizes.
Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/1_eduardo_lages_the_winner_takes_it_all.mid

sexta-feira, 15 de março de 2019

O ORGULHO E O AMOR-PRÓPRIO


Vigiemos o nosso orgulho.

Como o homem que mora à beira do rio vigia o seu curso, para que num instante a força das águas não carregue para longe tudo aquilo que construiu com o seu trabalho, ao longo do tempo.

Ou como o bombeiro que combate o incêndio vigia o fogo, que precisa manter sob cuidado, para que uma labareda mais forte não se torne a chama incontrolável, que tudo pode destruir.  

Porque a verdade é que o orgulho nos inspira palavras e atitudes impensadas; e não as podemos apagar, depois que as dizemos ou adotamos. A porcelana que se quebra, jamais será a mesma.

Os nossos amores e as nossas amizades, são as porcelanas que modelamos ao longo da vida. Não é sábio permitir que, em um instante de insensatez, se quebrem em nossas próprias mãos.

E nada como o orgulho, para levar-nos a perder um amor ou uma amizade! De todos os nossos defeitos, ele é, de longe, aquele que nos sopra os piores conselhos e os piores pensamentos.

Ninguém existe, que seja superior aos seus irmãos. E o homem que assim se julga, por certo será reconduzido pela Vida ao seu lugar; é sempre ela que nos ensina a difícil arte de caminhar juntos.

Vigiemos o nosso orgulho. Porque cada um tem os seus pontos fortes e as suas limitações. E o oceano não existiria, como um todo, se alguma das suas gotas não se aceitasse igual às outras.

Recordemos, sempre, o que nos ensina a lenda de Ícaro: todos somos capazes de voar; entretanto, aquele que tenta ir mais longe do que lhe permitem as asas, acaba por sofrer a queda fatal.

Necessário é que tenhamos amor-próprio. Porque a cada um cabe cuidar de si mesmo; defender-se dos obstáculos que possam surgir à sua frente e concluir a jornada, pelo caminho que escolheu.

O amor-próprio nos faz capazes de encontrar o nosso lugar no Universo. Porque devemos caminhar sobre os nossos pés; aquele que avança de joelhos, torna mais longo e penoso o seu percurso.

Sim; o amor-próprio é como a água benfazeja, que faz germinar as sementes plantadas em nossa alma. O orgulho desmedido, entretanto, é como a torrente furiosa, que a tudo leva de roldão.

O orgulho é como um tigre, que existe em nós. Enquanto é contido pelo bom senso, o seu pelo brilha e  atrai olhares de admiração; quando solto, todavia, pode ferir tudo e todos à sua volta.

Vigiemos, portanto, o nosso orgulho. Porque o mais importante não é estar sempre certo; nem ser o mais bonito, nem o mais inteligente, nem o mais poderoso. Nem ser o mais amado.

O importante é ser feliz.

Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/emiliepandolfi_ebbtide.mid


Vejam que belo vídeo:https://youtu.be/jloCKq6HngM 

sexta-feira, 8 de março de 2019

COMO OS GIRASSÓIS


Cada novo dia é um presente.

Uma nova oportunidade de ver o sol brilhando, entre as nuvens brancas, no céu azul. Ou de sentir a carícia do vento na pele; e as gotas de chuva, que molham o nosso corpo e ensopam os nossos cabelos.

Uma nova oportunidade de ver a lua cheia, que se reflete nas águas mansas, em um cone prateado e lindo. Ou de admirar o brilho das estrelas, que são como diamantes no veludo azul escuro do céu noturno.

Cada novo dia é uma nova oportunidade de ver as flores brotando, de sentir o seu perfume. De acompanhar o botão que se transforma em flor; de ouvir o córrego que canta a canção das águas límpidas e puras.

Uma nova oportunidade de apagar os erros do passado; deixar para trás nossos ódios, nossas culpas e nossos medos. Começar uma nova caminhada, em que os nossos passos nos possam levar mais longe.

Cada novo dia nos traz a benção de estarmos com aqueles a quem amamos. A oportunidade de pedir perdão por nossos erros; de perdoar as pequenas mágoas do dia-a-dia. A chance de amar mais e melhor.

Cada novo dia é uma pequena maravilha. Mais uma moeda de conhecimento, que colocamos no cofre das experiências. Mais uma gota que acumulamos, no poço da Vida; uma página a escrever em nossa história.

Busquemos escrevê-la da melhor forma que nos for possível. Pois, ao final, é a nós mesmos que caberá a tarefa de ler tudo aquilo que escrevemos; e ninguém gosta de sentir-se mal, ao ler o que ele mesmo escreveu.

Pessoas existem, que preferem considerar cada novo dia como um desafio a ser ultrapassado. Batalhas a serem lutadas, opiniões a serem impostas, dificuldades a serem superadas, lutas a serem vencidas.

E, talvez, às vezes assim até seja. Mas a jornada de cada dia não será realizada apenas pelo caminho de pedras inclementes; haverá, também, os trechos a serem percorridos na grama macia e suave aos nossos pés.

O principal, entretanto, é a dádiva de poder caminhar. Seja escalando montanhas, ou atravessando planícies floridas, o que nos cabe é agradecer a graça do caminho; não escolher a revolta, sempre a gratidão.

Porque, após cada montanha, haverá um novo vale; em meio a cada deserto, surgirá um novo oásis. Depois de cada tempestade, virá uma nova bonança; que nos fará acreditar no amanhã que nos espera.

Cada novo dia é um presente que a Vida nos dá; e não sabemos qual será o último. Por isto, não o desperdicemos em queixas. Agradeçamos, sim, por tudo que temos; e, muitas vezes, nem nos damos conta.

Não lamentemos as horas escuras; sigamos a luz.

Como fazem os girassóis.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/ernesto_cortazar_aurora.mid

Vale a pena assistir este vídeo: https://youtu.be/Hb74TT3tjPY

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky