O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

UM DIA



Um dia, de repente, tudo termina.

Ficam para trás as angústias e as alegrias, o riso e o choro, os amores e os desamores, os sonhos e as desilusões. Num minuto, eles estão em nossa cabeça; no seguinte, dissolvem-se no nada.

Tudo fica para trás: as nossas conquistas e as nossas derrotas, os nossos bens e as nossas carências. O trabalho por fazer, as palavras por dizer, as pessoas por abraçar, os desejos por realizar.

Restarão, talvez, a satisfação pelo que aprendemos, o orgulho pelo que fizemos de bom e o arrependimento pelo que deixamos de fazer. E talvez desejemos que o tempo volte, para fazermos diferente.

Tenhamos sempre em mente esta verdade: um dia, findará a nossa caminhada sobre o mundo. Em questão de segundos, tudo que julgamos ter passará a outros donos; tudo se irá de nossas mãos.

Todos os nossos sentimentos, todas as nossas inquietações, dúvidas e certezas se acabarão. Todos os nossos conceitos e preconceitos deixarão de existir; tudo que importava se tornará nada.

É assim que é. E ninguém sabe em que curva do caminho chegará a sua vez. Quando ouvirá o chamado para a Grande Viagem, à qual o homem não se pode furtar; nem retardar o seu embarque.

Por que, então, nos agastarmos tanto, se tudo aqui ficará? Por que nos angustiarmos, porque desperdiçarmos em inquietação momentos valiosos, em que poderíamos cuidar de sermos felizes?

Esta é a pergunta que todos os dias me faço. E não consigo entender porque sofremos tanto, por coisas que não levaremos e não nos servem senão enquanto caminhamos sobre esta terra.

Sensato não é o viajante que se alegra apenas quando chega ao destino, mas aquele que aproveita todos os instantes da viagem; e o que chamamos de vida é uma jornada, que nos cabe aproveitar.

O importante não é uma colheita, que talvez não cheguemos a ver; mas a sensação de arar e semear. É sentir o cheiro bom da terra, o prazer de lançar os grãos e ver as plantas que crescem.

O importante não é ter, nem fazer; é viver. De que nos serviria saber provocar a chuva, se não nos fosse dado o prazer de sentir as gotas em nosso rosto, a sensação de caminhar entre os pingos?

O importante não é o resultado do amor; é amar. É viver as sensações maravilhosas que o amor desperta em nós: a intensidade da ânsia, o prazer do orgasmo e a plenitude do carinho depois.

Um dia, de repente, tudo termina. E não seremos mais do que lembranças, imagens que sumirão na bruma do tempo. E o que nos importa não é o que deixaremos no mundo de onde nos fomos.

É o que levaremos para a Mansão da Eternidade.


Música: 
http://ohassan.dominiotemporario.com/marco/1_eddie_calvert_il_silenzio.mid 

37 Comentários:

Blogger Olhos de mel disse...

Um dia, Árabe, a gente começa a entender que não somos, nem significamos nada. Que o caminho onde deixamos nossas marcas, são apagadas e apenas, o silencio se faz presente.
Enfim; a vida como é: labirintos e armadilhas que precisamos aprender a passar, até o dia em que nada mais restará.
Faz parte da nossa evoluçāo espiritual.
Bom fim de semana! Bjs

16 de fevereiro de 2018 20:28  
Blogger ✿ chica disse...

Verdade,Árabe!...
Um dia tuuuuuuuuuuudo termina!
Por isso, temos que tentar viver da melhor maneira e nos cuidar pra manter -nos bem e com dignidade enquanto aqui estivermos...Depois é a única certeza que temos...abração, lindo fds! chica

17 de fevereiro de 2018 00:55  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

é tão verdade, tão verdade, que até doi.
e custa, chegar ao fim e ver que é o fim...e não há retorno.
fiquei deveras comovida.
bom final de semana.
beijinhos
:)

17 de fevereiro de 2018 10:39  
Blogger Rita Sperchi disse...

Vim te fazer uma visita, deixar meu elogio
a agradecer sua amizade, uma frase pra vc

A felicidade aparece para aqueles que reconhecem a importância das pessoas que passam em nossa vida.

Clarice Lispector

Bjuss
Rita!!

17 de fevereiro de 2018 14:46  
Blogger Olhos de mel disse...

Rita, não lembrava dessa frase de Clarice Lispector, mas ela diz tudo!

18 de fevereiro de 2018 17:02  
Blogger Alegria de Viver disse...

Um texto por demais reflexivo, e tendo certeza da efemeridade da vida, viver o agora sempre!
Verdades absolutas e inquestionáveis!
Desejo ótimo fim de tarde!
Abraço!

19 de fevereiro de 2018 10:00  
Blogger Fá menor disse...

Esta é a verdadeira realidade. Importa, pois, saborear o caminho.

Boa semana, meu bom amigo!

19 de fevereiro de 2018 11:24  
Blogger CÉU disse...

Olá, meu querido amigo!

Gostei muito do título, assim, sem pensar, nem ler o texto. Enfim, talvez seja minha tendência para a poesia. Escusado será dizer a você, que o post está excecionalmente bem escrito, para além do valor semântico dele.

Somos tão imperfeitos. Todo o mundo "correndo" para ter e ter e ter e nem pensam que "UM DIA" tudo vai acabar. Qdo chega o natal, as pessoas compram muitos alimentos, doces, etc. E viver a essência do acontecimento? Creio que isso nem passa pela mente de muitos. Vem a Páscoa e lá se compram os ovinhos e o coelhinho de chocolate aos montões. E a essência do acontecimento? Evidente que temos que fazer pelo dia a dia, mas sem ganâncias e sem desejos exacerbados de possesão.

Falo desses acontecimentos principais, já pra não referir os feriados, os feriadões, as festas joaninas, etc. onde o povão se diverte, como se o mundo fosse terminar no dia seguinte, aí e m todo o lugar.

Em minha opinião, com a morte, tudo termina. O depois, se o houver, ninguém cá veio ainda para contar.

Você e todos os outros amigos seguidores e comentadores vão esperar um bom tempo pelo meu próximo post. Para o mês k vem, irei tratar, a sério, da minha mão esquerda. Estou proibida há muito de escrever exageradamente, todavia, não tenho obedecido e não sei se vou obedecer por tanto tempo. Tenho o bichinho da escrita, não só qdo faço uma publicação no meu blogue, mas também quando comento. Tenho de aprender com você e outros amigos a ser sucinta.

Dias felizes e um abraço bem sincero.

19 de fevereiro de 2018 11:42  
Blogger CÉU disse...

Retificando: possessão; e em todo.

Tudo de bom!

19 de fevereiro de 2018 11:44  
Blogger Diana Fonseca disse...

É verdade. Tudo acaba. Gostei muito do texto.

19 de fevereiro de 2018 16:41  
Blogger Mariazita disse...

É uma grande verdade, meu caro Árabe.
Um dia... partimos, e connosco nada levaremos dos bens terrenos que passamos anos a acumular.
Mas... penso que com o avançar da idade essa "apegação" aos bens materiais vai-se diluindo.
Eu, pelo menos, cada dia lhes dou menos valor.
Com esta frase " E o que nos importa não é o que deixaremos no mundo de onde nos fomos." é que não estou totalmente de acordo.
Eu penso que importa, sim, que aos nossos entes queridos deixemos a imagem de alguém que valeu a pena conhecer - que se foi uma boa mãe (ou pai...), uma boa amiga, uma boa vizinha, etc., etc. Não quero ter vivido em vão!

Obrigada pela presença na Festa de Aniversário da minha “CASA”.

Votos de uma boa semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

20 de fevereiro de 2018 09:10  
Blogger Maria Luzia Araujo disse...

"Tudo fica para trás: as nossas conquistas e as nossas derrotas, os nossos bens e as nossas carências. O trabalho por fazer, as palavras por dizer, as pessoas por abraçar, os desejos por realizar."

Então Árabe, tudo deixamos, nada levamos, é verdade! Coisas que eu gostaria de levar, o sentimento bom que sinto pelas pessoas e os momentos maravilhosos vividos aqui na terra.Um texto que todos deveriam ler e refletir, pra ver se desapegam do material. Amei muito, muito o texto viu! Receba um abraço grande e muito obrigada! Uma semana com paz e saúde.

20 de fevereiro de 2018 10:53  
Blogger Ailime disse...

Boa tarde meu Amigo e bom Árabe,
Uma verdade incontestável! Depois se fará silêncio, pegando na música que é linda (gostei de recordá-la).
Todos sabemos que um dia assim será, mas nem sempre temos presente esse facto.
Porquê tantos aborrecimentos, tantas guerras, tantos ódios, se a nossa finitude na Terra é uma realidade absoluta?
Como sempre um tema tratado com a sua habitual elevação que me fez ponderar nesta grande verdade. Viver e deixar viver a vida da melhor forma possível, porque o fim é inevitável.
Beijinhos e continuação de boa semana.
Ailime

20 de fevereiro de 2018 11:48  
Blogger Ontem é só Memória disse...

Como sempre as tuas palavras são sábias!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

20 de fevereiro de 2018 12:19  
Blogger Marina Fligueira disse...

Es verdad no vamos tan desnudos como hemos llegado, todo queda aquí, y mira que hay ambición egoísmo por tener cuanto más mejor ¡total para nada!

Que bonito es marchar y ser recordados por hacer el bien, con las manos limpias y llenas de cosas buenas.
Toda una lección de vida como siempre.

Ha sido un placer, te dejo mi gratitud y estima.
Un abrazo r se muy -muy feliz.

20 de fevereiro de 2018 12:56  
Blogger O Árabe disse...

Concordo com você, Olhos de Mel, em parte. Prefiro pensar que deixamos, neste mundo, algumas marcas que demoram mais a apagar-se; embora seja certo que nada levamos, senão o que houvermos aprendido. Obrigado, bom resto de semana; fique bem!

22 de fevereiro de 2018 08:47  
Blogger O Árabe disse...

Bem como você disse, Chica: "temos que tentar viver da melhor maneira e nos cuidar pra manter -nos bem e com dignidade enquanto aqui estivermos.". É por aí mesmo, amiga! Obrigado, bom resto de semana.

22 de fevereiro de 2018 08:49  
Blogger O Árabe disse...

É isso, Piedade: não há retorno. Mas gosto de pensar que a Vida prossegue em nosso verdadeiro Eu, pela Eternidade. Obrigado, bom resto de semana!

22 de fevereiro de 2018 08:50  
Blogger O Árabe disse...

Sempre uma alegria a sua visita, Rita! Obrigado, bom resto de semana.

22 de fevereiro de 2018 08:51  
Blogger O Árabe disse...

Clarice é fantástica, Olhos de Mel; não há como não concordar com ela!

22 de fevereiro de 2018 08:52  
Blogger O Árabe disse...

É exatamente essa a ideia, Diná: viver da melhor maneira possível, sempre! Seja bem-vinda e volte sempre: o oásis é nosso! Obrigado, bom resto de semana.

22 de fevereiro de 2018 08:55  
Blogger O Árabe disse...

Isso mesmo, Fa: o que importa é saborear o caminho! Obrigado, amiga; bom resto de semana.

22 de fevereiro de 2018 08:57  
Blogger O Árabe disse...

Profundo e eloquente o teu comentário, Céu; diz muito de ti, eu acho. :) É isso mesmo: neste mundo, liga-se mais à forma, do que à essência; o que não me parece muito inteligente, pois a forma um dia se acaba, enquanto a essência permanece. :) Acho que deves realmente tratar a sério essa mão esquerda, amiga; mas espero que não tenhamos que esperar longamente pelo post. ;) Obrigado, bom resto de semana!

22 de fevereiro de 2018 09:02  
Blogger O Árabe disse...

Bom saber que foi do teu agrado, Diana; obrigado, bom resto de semana!

22 de fevereiro de 2018 09:04  
Blogger O Árabe disse...

Não me agradeças, Mariazita; é sempre um prazer ler o que (tão bem!) escreves, e eu não poderia deixar de parabenizar-te pela ocasião! Quanto à tua dúvida, acho que eu não me soube explicar: claro que é importante deixarmos uma boa imagem para aqueles que amamos; mas o que eu quis dizer é que, para o espírito que segue, importante mesmo é o que houver aprendido durante a jornada! Obrigado, amiga; bom resto de semana.

22 de fevereiro de 2018 09:11  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

Amigo Árabe
uma vez que nao tem postagem nova.
aproveito para deixar meu abraço.
beijinhos
:)

22 de fevereiro de 2018 09:12  
Blogger O Árabe disse...

Verdade, Maria Luzia! E o melhor, amiga, é que é exatamente isso que podemos levar: os bons sentimentos e a lembrança dos momentos que fizeram a jornada valer a pena! Obrigado pela gentileza e amizade constantes, bom resto de semana!

22 de fevereiro de 2018 09:15  
Blogger O Árabe disse...

Magnífica, realmente, essa música, Ailime! E a pergunta que formulaste é exatamente a que me faço: "Porquê tantos aborrecimentos, tantas guerras, tantos ódios, se a nossa finitude na Terra é uma realidade absoluta?". Até hoje, amiga, ainda não consegui respondê-la. :) Obrigado, bom resto de semana!

22 de fevereiro de 2018 09:18  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Isy; bom resto de semana, amiga!

22 de fevereiro de 2018 09:19  
Blogger O Árabe disse...

Bela e verdadeira frase, Marina: "Que bonito es marchar y ser recordados por hacer el bien, con las manos limpias y llenas de cosas buenas." Este deveria ser o principal objetivo de todos nós! Obrigado, amiga; bom resto de semana.

22 de fevereiro de 2018 09:21  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Piedade, pela atenção e gentileza! Amanhã, teremos a nova postagem; espero que seja do teu agrado.

22 de fevereiro de 2018 09:23  
Blogger Nidja Andrade disse...

Tudo aqui resplandece luz, emoção, sabedoria!
Beijos!!

23 de fevereiro de 2018 06:08  
Blogger O Árabe disse...

Reflexo dos amigos, Nidja. Você são a luz do nosso oásis! Obrigado, amiga; bom fim de semana.

23 de fevereiro de 2018 17:10  
Blogger Arco-Íris de Frida disse...

As pessoas se importam tanto com o material pq o homem nao consegue perceber a sua finitude, sabe que o fim existe, mas ignora e vive como se a vida fosse infinita... talvez como auto-defesa... aquele que consegue entender nossa transitoriedade, é o que evolui espiritualmente, e para isso,cada um tem seu tempo...

Beijos, Arabe...

25 de fevereiro de 2018 14:15  
Blogger O Árabe disse...

Verdade, Arco-ìris; também acho que nos negamos a reconhecer a finitude da nossa jornada e, inconscientemente, nos comportamos como se a nossa passagem por aqui fosse eterna! Boa semana, minha amiga; fique bem.

27 de fevereiro de 2018 11:10  
Blogger Alegria de Viver disse...

Já li e havia deixado minha marquinha,reli com prazer esta preciosidade e lhe digo que me enquadro no seu texto, nos seus pensares.Não suporto pessoas apegadas a bens material,tem que partir do princípio que nada nesse mundo nos pertence, nem mesmo o nosso corpo. Um texto que deveria ser lido por muitos!
Um abraço amigo Árabe!

27 de fevereiro de 2018 17:45  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Diná. Realmente, o apego aos "bens" deste mundo é o maior entrave ao crescimento espiritual. Bom resto de semana, amiga!

28 de fevereiro de 2018 07:51  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky