O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 25 de maio de 2018

ESTAR SÓ...



Estar só é um aprendizado.

E nem sempre tem a ver com solidão. Porque, ainda que esteja todo o tempo cercado por pessoas, e por mais que goste dessas pessoas, o homem às vezes sente vontade de estar só.

É quando estamos sós, que podemos conversar com o nosso verdadeiro Eu. Que podemos esmiuçar os nossos pensamentos, sentir mais as nossas emoções, conhecer um pouco mais de nós.

É quando estamos sós, que melhor entendemos o que lemos; que mais viajamos na música; que mais atentamos aos aromas que sentimos e aos detalhes de tudo ao nosso redor.

Precisamos estar sós, para que possamos gozar da nossa própria companhia. E, ainda que muitas vezes evitemos a nós mesmos, isto não é algo que possamos fazer por todo o tempo.

Porque, como o navio precisa ter um ponto de partida, para rumar a novo porto, o homem precisa conhecer a si próprio e estar em paz consigo, antes que se possa relacionar com os outros.

E esta é a razão do fracasso de muitos dos nossos relacionamentos. Pois quem não conhece e não entende a si mesmo, menos ainda conseguirá conhecer e entender aqueles que o cercam.

Aprendamos a limpar e arrumar a nossa casa, e seremos capazes de fazer o mesmo em outras casas. Precisamos conhecer nossos vales e nossas montanhas, nossos rios e desertos.

Todos temos vales e montanhas, rios e desertos. Todos temos nossas luzes e nossas sombras. E, se não admitirmos que tudo isso existe em nós, como toleraremos encontrá-los nos outros? 
   
Estar só. Este é o ponto de partida, para que o homem possa conversar com sua própria alma. Para expor os seus medos e a sua coragem, os seus amores e desamores, suas certezas e dúvidas.

Estar só é o ponto de partida, para que cada um possa fazer as suas perguntas e procurar as suas respostas; contestar os seus sentimentos, as suas ideias e crenças. E ouvir o que diz o coração.

Estar só é o ponto de partida, para que nos tornemos capazes de conviver. Ninguém é capaz de desfrutar plenamente da companhia de alguém, enquanto não desfruta de sua própria companhia.

Estar só é o aprendizado da companhia; a semente de onde brotam os verdadeiros amores e as verdadeiras amizades. Não é sofrer com o isolamento, mas aprender a estar consigo mesmo.

Não é a solidão, que devemos temer; mas a amargura. Como não é a escuridão que nos assusta, mas os perigos que pode conter; e muitas vezes são apenas frutos da nossa imaginação.

Aprendamos a estar sós. E nunca mais o estaremos.


Música:
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/ernesto_cortazar_intimate.mid

28 Comentários:

Blogger Fernandes Diná disse...

Boa noite amigo Árabe!

Menino como gostei da analogia sobre estar só, confesso que adoro ficar só e viajar, é claro que tem as horas com os amigos, com a família. Não gosto de ouvir música ao lado de uitas pessoas, gosto de suavidade. Adorei ler esta pérola!
Bom e produtivo findi com muita inspiração!

Bjss!

25 de maio de 2018 18:25  
Blogger ✿ chica disse...

Sensacional tua reflexão e mensagem... Precisamos momentos sós... E Mesmo assim, nunca estamos, temos nosso cantinho interior e com ele falamos... Adorei! abração,chica

26 de maio de 2018 02:14  
Blogger Arco-Íris de Frida disse...

Somos a nossa melhor companhia, se nao estamos a vontade com nos mesmos, nao estaremos com o outro, nao tem como fugir do nosso interior, quem passa a vida tentando fugir de si mesmo, nunca vai conseguir se encontrar no outro... solidao portanto é fuga de si mesmo... podemos estar so, mas nao sozinho... podemos estar acompanhado e extremamente so... nosso eu interior é que define o que é solidao para nos...

Arabe, meu amigo... que vc tenha uma semana harmoniosa...

Beijos...

26 de maio de 2018 07:25  
Blogger Andre Mansim disse...

Eu gosto às vezes de estar só!
Nesses momentos introspectivos a gente cresce interiormente.
Seu texto mais uma vez é de extrema sabedoria meu amigo.

Tenha um ótimo final de semana.

27 de maio de 2018 07:11  
Blogger CÉU disse...

eu gosto de estar só, geralmente. encontro-me mto mais facilmente.
excelente texto, como sempre.

E suas vistas? está melhor? eu, mais ou menos.

Grande abraço, amigo Árabe!

27 de maio de 2018 14:50  
Blogger Zilani Célia disse...

OI ÁRABE!
EU ACHO QUE PASSAMOS PELA VIDA SEM NOS CONHECERMOS, JUSTAMENTE POR NÃO DEDICARMOS TEMPO A ESTARMOS SÓS E OUVIRMOS O QUE NOS VAI NA ALMA.
BELO TEXTO AMIGO.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

28 de maio de 2018 17:24  
Blogger São disse...

Assino por baixo e na íntegra este teu texto tão claro, tão lúcido, tão magnificamente escrito, Swami!

Tenho como lema de vida: antes só do que em má companhia.

E, passe a imodéstia, gosto muito de me ter como companhia.

Um forte abraço, meu Amigo, boa semana ...em excelente companhia !

29 de maio de 2018 04:05  
Blogger GarçaReal disse...

Como sempre um texto fantasticamente bem escrito e com o qual estou plenamente de acordo.

Desde que saibamos viver e conviver com a solidão, tiram-se sempre bons ensinamentos para a

vida quotidiana.

Gostei muito

Um bom resto de semana

Bigrande do Lago

29 de maio de 2018 08:19  
Blogger Mariazita disse...

Concordo plenamente com este texto tão esclarecido e esclarecedor.
Tenho medo da solidão que às vezes me invade, mas gosto muito, (e muitas vezes sinto necessidade) de estar só.
A minha mãe tinha uma expressão muito sábia - "Só se veja, quem só se deseja".
Dias felizes te desejo, só... ou em boa companhia :)))

Feliz Terça-feira e uma boa semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

29 de maio de 2018 08:29  
Blogger Fá menor disse...

Muito bonito e verdadeiro. Eu gosto tanto de estar só!

Beijinhos, amigo!

29 de maio de 2018 13:20  
Blogger Ailime disse...

Boa noite meu Amigo e bom Árabe,
Um texto repleto de pérolas conhecimento como sempre.
Eu aprecio estar só (não a solidão) e nesses momentos eu me ponho à prova enfrentando os meus temores e reapreciando o meu modo de viver.
Gosto também de falar com o meu eu (escuto-me melhor) e de desfrutar do sossego que esses momentos me proporcionam.
Permita-me que transcreva" Estar só é o ponto de partida, para que cada um possa fazer as suas perguntas e procurar as suas respostas; contestar os seus sentimentos, as suas ideias e crenças. E ouvir o que diz o coração».
Assim penso e sinto, meu Amigo.
A música é linda!
Beijinhos e continuação de boa semana.
Ailime

29 de maio de 2018 15:54  
Blogger Ateliê Tribo de Judá disse...

Lindo texto,lindo! lindo!!!

Eu sou um universo em mim, contenho tudo e o nada em movimento, aprendi a viver bem comigo mesma, assim quando estou só, definitivamente não estou sozinha...

um grande abraço com meu carinho de sempre.

Joelma

29 de maio de 2018 15:56  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Diná! Às vezes, precisamos realmente estar sós, não é? :) Bom fim de semana, amiga!

1 de junho de 2018 05:15  
Blogger O Árabe disse...

E é algo de que todos necessitamos, Chica: conversar com o nosso verdadeiro Eu! Obrigado, minha amiga; bom fim de semana!

1 de junho de 2018 05:19  
Blogger O Árabe disse...

Penso exatamente como você disse, Arco-Íris: "Somos a nossa melhor companhia, se não estamos a vontade com nos mesmos, não estaremos com o outro."; é bem por aí! Grato, querida amiga; bom fim de semana.

1 de junho de 2018 05:21  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, André! Grande abraço, meu amigo; bom fim de semana.

1 de junho de 2018 05:22  
Blogger O Árabe disse...

A vista vai melhorando, Céu, mas a previsão é que recuperação total só em fins de junho; até lá, serei rei... se encontrar uma terra de cego! :) E a mão? ainda dando trabalho? Quanto ao que você disse, concordo: mais fácil nos encontrarmos, quando estamos nós! Bom fim de semana, amiga; obrigado.

1 de junho de 2018 05:25  
Blogger O Árabe disse...

É um pensamento interessante, Zilani! Talvez a razão de não nos conhecermos seja, mesmo, que não dedicamos tempo a estar sós conosco; eu ainda não tinha pensado nisto. Obrigado, bom fim de semana!

1 de junho de 2018 05:27  
Blogger O Árabe disse...

Eu também, São; afortunadamente, gosto da minha própria companhia. Tem sido um aprendizado de anos, mas está dando certo! :) Meu abraço, amiga; bom fim de semana.

1 de junho de 2018 05:29  
Blogger O Árabe disse...

Acho que é assim mesmo, Garça: "Desde que saibamos viver e conviver com a solidão, tiram-se sempre bons ensinamentos para a vida.". Obrigado, bom fim de semana!

1 de junho de 2018 05:30  
Blogger O Árabe disse...

É verdade, Mariazita, por mais paradoxal que pareça: tememos a solidão... mas, às vezes, gostamos de estar sós! :) Obrigado, minha amiga; bom fim de semana!

1 de junho de 2018 05:34  
Blogger O Árabe disse...

Eu também, Fa; muitas vezes! ;) Obrigado, amiga; bom fim de semana.

1 de junho de 2018 05:35  
Blogger O Árabe disse...

Essa é a ideia, Ailime: falar com o nosso verdadeiro Eu e desfrutar do sossego são as melhores coisas de estar só; é por isto, que precisamos tanto desses momentos... e tão bem eles nos sabem! Obrigado, minha amiga; bom fim de semana!

1 de junho de 2018 05:38  
Blogger O Árabe disse...

Por aí mesmo, Joelma: se vivemos bem conosco, quando estamos sós não estamos sozinhos! Obrigado, bom fim de semana!

1 de junho de 2018 05:40  
Blogger Marina Fligueira disse...

Hola Árabe, esta es una buena lección de sabiduría, la soledad a veces en necesaria, los ruidos nos entorpecen y abruman machas veces... Pero cuando se tienen ya muchos años, ya no es tan buena, se necesita en momento dados, una palabra un mimo un abrazo.
Pero bueno, si es lo que escogimos, hemos de saber soportarlo.

Ha sido placentero pasar a leerte.
Un abrazo y mi inmensa gratitud.

3 de junho de 2018 01:53  
Blogger O Árabe disse...

Desculpe a demora na resposta, Marina; só hoje, vi o seu comentário. Grato, e concordo: há momentos, sim, em que precisamos de um abraço... e outros em que, contentes, abraçamos o fato de estarmos sós! Boa semana, cara amiga.

5 de junho de 2018 07:38  
Blogger CÉU disse...

Olá, amigo Árabe!

Estive agora lendo sua resposta e fico feliz por em junho ser "rei". Que sua visão fique nota 10.

Qto às minhas mãos, estão minimamente razoáveis, mas não se podem esforçar e escrever é aquilo k mais me custa fazer e aquilo de k mais gosto. Vamos, devagarinho. A partir de dia 14 desse mês, estarei uns tempinhos ausente da net e de Lisboa, também. Não são propriamente férias, mas umas semaninhas de sossego. Então, aí, elas descansarão. Não deixarei comentário em nenhum blog.

Tudo de bom e mto sucesso em sua vida.

5 de junho de 2018 11:23  
Blogger O Árabe disse...

Só hoje vi este comentário, Céu. Vais fazer falta, com certeza! Mas valerá a pena, se as suas mãos se recuperarem plenamente. Boa viagem, amiga, e divirta-se muito; você merece!

8 de junho de 2018 09:05  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky