O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

A CANÇÃO DO ADEUS

Deixa-me aqui.

E não te preocupes: não chorarei os nossos sonhos, nem mergulharei na densa tristeza que me causa a tua partida. Antes, recordarei os momentos felizes em que a tua presença coloria o mundo.

Porque não é sábio aquele que lastima o fim do caminho e esquece os dias felizes em que desfrutou da jornada. Ou amaldiçoa o fim da nascente cristalina, que por tanto tempo saciou a sua sede.

Vai em paz. E não te condoas dos sonhos que me levas, pois são os mesmos que um dia me trouxeste. Abençôo tê-los colhido das tuas mãos, bebido a luz dos teus olhos e ouvido a música da tua voz.

Que não te aflija o remorso. Porque nenhum mal me causaste, e jamais te agradecerei o suficiente, por todo o bem e toda a felicidade que trouxeste à minha vida.

É verdade que uma parte de mim se sente morrer, ao antecipar o vazio da tua ausência; entretanto, esta mesma parte jamais se sentiu tão viva, como quando estava a teu lado.

É doloroso, sim, sentir que se esvai a felicidade; todavia, mil vezes pior seria o não havê-la conhecido. Ainda que me fira a lâmina da saudade, o bálsamo das lembranças será o meu alívio.

Porque a tua recordação aquecerá as minhas noites. E não será o fantasma do teu corpo que acolherei em meus lençóis, mas a presença viva do amor que existia em nossas noites.

Eis que a planta não tenta deter o sol, ao sentir o vento frio do crepúsculo; aguarda, entretanto, a sua volta, para que à caricia dos seus raios possa mais uma vez oferecer as suas pétalas.

O moinho não tenta aprisionar o vento; apenas utiliza a sua passagem, para moer os grãos que são a sua razão de existir. E a saudade não mata o amor; apenas o torna presente na ausência.

Pudesse eu e pararia o tempo, naqueles dias em que juntos caminhávamos; em que era doce ver refletida nos teus olhos a mesma emoção que fazia brilhar os meus olhos.

De nada me serve, entretanto, implorar para que fiques. Como de nada adianta ao homem manter junto a si o cadáver do ser amado, que o tempo fará em breve decompor-se.

Aquele que se lamenta por um amor que se vai, é como o jardineiro que em pedras soterra o seu jardim, asfixiando as flores que cultivou e por tanto tempo perfumaram a sua vida.

Segue o teu caminho. E que não te preocupem as lágrimas que possam rolar por meu rosto; nelas não está a dor da saudade, nem a amargura de te haver perdido.

Mas a infinita alegria de te haver conhecido.

71 Comentários:

Anonymous Olhos de Mel disse...

Querido Árabe; difícil ainda conter as lágrimas que insistem em cair. Com certeza, o amor jamais se sente afastado do ser que ama. Porque quando é verdadeiro, acaba sempre vencendo as barreiras. Aos olhos de Deus, nem a vida, nem o tempo, nem qualquer que sejam os motivos, consegue afastar pessoas que amam. Ainda que tenham que esperar o tempo.
Nostálgico, triste, mas de uma beleza ímpar!
Bom fim de semana! Beijos

25 de fevereiro de 2011 17:18  
Anonymous Olhos de Mel disse...

Oie Árabe; voltei pra dizer que a imagem e a musica completam esse belo poema!
Beijos

25 de fevereiro de 2011 17:34  
Blogger Silviah Carvalho disse...

"A planta não tenta deter o sol, ao sentir o vento frio do crepúsculo", essas palavras mostram bem a profundidade do texto, mostra que a alegria pode até partir, mas voltará sempre.Parabéns.

26 de fevereiro de 2011 04:09  
Blogger Vanessa disse...

Lindíssimo.....

Um bom final de semana!

Bjs meus querido!

26 de fevereiro de 2011 04:59  
Blogger ISA disse...

Meu Amigo, como não podia de elogiar mais um tema tão belo e que me toca com certa profundidade, mas desde já quando gostamos de alguém de verdade, esse alguém não se esquece tão facilmente, apesar de poder passar anos e haver outro possível candidato. Como se costuma dizer "não há amor como o 1º"

Beijos

Óptima Semana

26 de fevereiro de 2011 05:30  
Blogger Multiolhares disse...

Este texto está repleto de sabedoria e de amor, devemos sim guardar os momentos felizes e quem ama deixa partir faz parte da dádiva do amor
bjs

26 de fevereiro de 2011 12:12  
Blogger helia disse...

Uma linda Canção do Adeus , com muito Amor!

26 de fevereiro de 2011 12:22  
Blogger Pensador disse...

Lindo.
Mas eu sou egoísta, e mesmo que um dia o meu amor se fosse, eu certamente lhe correria atrás.
Abraços, bom fim de semana!

26 de fevereiro de 2011 14:10  
Blogger Paula Barros disse...

É preciso muita serenidade para lidar com o adeus desta forma. E aprender com ele, e deixar partir, e valorizar os momentos bons e bonitos.

26 de fevereiro de 2011 14:14  
Blogger Whispers disse...

Querido Árabe,
assim devia ser a despedida,mas duvido que seja pouco ser humano que se sinta assim, puro egoísmo,sei.

Minha mãe quando partiu eu não soube lhe dizer adeus...Ainda hoje não sei dizer adeus.

Lindas as tuas palavras,mas não são fáceis de se seguirem.
Mil beijos
Rachel

26 de fevereiro de 2011 15:53  
Blogger ISA disse...

Estou de volta meu caro Amigo, pois reli o lindo poema mais uma vez e digo-lhe que aqui podemos ter duas interpretações "O ADEUS À PESSOA AMADA OU AOS N/ ENTES QUERIDOS", nesta última a sensação é bem mais diferente, pois "deixei partir muitos familiares, mas só um me marcou" e hoje quando estou triste ou tenho que resolver algo importante vou sempre ter com ela (ao cemitério - minha avó materna) e saio de lá com um alívio enorme.

Abraço grande

27 de fevereiro de 2011 04:34  
Blogger Magia da Inês disse...

Olá, amigo!
Depois do adeus...
apenas boas lembranças...
Bom domingo!
Beijinhos.
°º♫ Brasil ღ°º
♥°º
.•♥¸.•´•

27 de fevereiro de 2011 05:12  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

Querido Arabe

achei este texto levemente diferente dos outros, com a mesma sabedoria, embora um pouco triste, mas muito bem escrito e comovi-me.

boa semana!

beij

27 de fevereiro de 2011 08:23  
Blogger TITA disse...

Árabe,plenamente de acordo contigo...No adeus dos que amamos nada melhor que recordá~los por tudo o que de bom nos trouxeram e viveram connosco.um abraço.

27 de fevereiro de 2011 11:13  
Blogger NADJINHA disse...

Nossa que saudades de vc ...e do seu cantinho !!vi seu coments no meu blogger atelier que tá fechadinho A TEMPOS KKKK vim te ver..que bom que tá postando kiidO... aparece viu !!beijus aqui tudo muito lindo... msg maravilhosas QUE TOCAM O CORAÇÃO se cuide fique com Deus

27 de fevereiro de 2011 18:07  
Blogger Chica disse...

Maravilhoso,Árabe.É assim sempre ! um abraço e que tua semana seja linda também,chica

28 de fevereiro de 2011 08:44  
Blogger GarçaReal disse...

Teu texto é de tristeza, mas de extraordinária beleza.
A partida de quem se ama deixa sempre marcas profundas e dolorosas.
Quando a alma encontra depois a paz de espirito sente a calma e o aceitar dessa saudade que nunca morre e queima o âmago.

Que tua semana seja de luz amigo

bjgrande do Lago

28 de fevereiro de 2011 09:20  
Blogger Silenciosamente ouvindo... disse...

Lindo este seu texto, tão bonito,
que me atrevo a pedir-lhe autorização para o colocar no meu
novo blogue http://sinfoniaesol.
wordpress.com
com os devidos créditos obviamente.
Basta que num comentário diga se
o permite.
Beijinho
Irene

28 de fevereiro de 2011 10:06  
Blogger Vanuza Pantaleão disse...

A dor do adeus é uma das piore. Mas a vida nos impõe que sigamos sempre em frente, sempre de olhos no porvir e com o coração esperançoso, embora machucado. Faz parte!
Nova postagem depois do carnaval, amigo. Talvez eu viaje...
Até breve!!!Bjsss

28 de fevereiro de 2011 12:32  
Blogger Vanuza Pantaleão disse...

Desculpe-me:
"piores"
[ando engolindo letras, rsrs]

28 de fevereiro de 2011 12:34  
Blogger Vozes de Minha Alma disse...

Meu amigo irmão,
Este texto é um dos mais belos que li aqui.
Li como uma carta, porém com o toque de teu coração poeta.
Parabéns por mais essa jóia.
Um abraço afetuoso.

28 de fevereiro de 2011 13:11  
OpenID emmimumsonhoazul disse...

_____________________________


...que lindo! Esse é o verdadeiro amor... O amor que dá liberdade, o amor que anseia sempre pela felicidade do ser amado... Esse sim, é um amor de verdade!
Aquele que diz amar e depois despreza, fazendo do outro um algoz, nunca soube o verdadeiro sentido dessa palavra.

Que bom ler os seus textos!!!

Beijos de luz e o meu especial carinho...

__________________________

1 de março de 2011 03:16  
Blogger O Árabe disse...

Bela reflexão, Olhos de Mel. Concordo que no verdadeiro amor jamais existe separação; apenas pode existir a distância. :) Boa semana!

1 de março de 2011 07:43  
Blogger O Árabe disse...

Esta música é linda, não? Eu também gosto! :)

1 de março de 2011 07:44  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Silviah: a alegria parte, mas sempre volta... como a tristeza, aliás. :) Boa semana!

1 de março de 2011 07:45  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Vanessa, pela gentileza e amizade. :) Boa semana!

1 de março de 2011 07:45  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Isa: podemos até esquecer as pessoas,mas nunca o amor. :) Boa semana!

1 de março de 2011 07:46  
Blogger O Árabe disse...

Faz, sim, Luna... para ser completo, o amor precisa admitir a liberdade. :) Boa semana!

1 de março de 2011 07:48  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Helia. Sempre uma alegria a tua presença. :) Boa semana!

1 de março de 2011 07:49  
Blogger O Árabe disse...

Acredito, Pensador. Mas não acredito que ela se vá! :) Meu abraço, amigo; boa semana.

1 de março de 2011 07:50  
Blogger O Árabe disse...

Essa é a essência, Paula: para que macular, com a tristeza, momentos que foram felizes e belos? :) Boa semana

1 de março de 2011 07:53  
Blogger O Árabe disse...

Não, Rachel, não são. É difícil, para a nossa natureza, dizer (e aceitar) o adeus. :) Boa semana!

1 de março de 2011 07:54  
Blogger O Árabe disse...

É como você vê, Isa: quando se ama, a separação não passa de uma ilusão dos sentidos. :)

1 de março de 2011 07:55  
Blogger O Árabe disse...

Essa é uma ótima ideia, Inês: guardar apenas as belas lembranças. :) Boa semana!

1 de março de 2011 07:56  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Piedade, pela gentileza do comentário. :) Boa semana!

1 de março de 2011 07:57  
Blogger O Árabe disse...

Esta é, Tita, seguramente, a melhor forma de recordá-los! :) Boa semana.

1 de março de 2011 07:58  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Nadjinha. Grande alegria a sua visita... que retribuirei em breve! :) Boa semana.

1 de março de 2011 07:59  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Chica. :) Boa semana, amiga!

1 de março de 2011 08:00  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Garça: a saudade nunca morre... mas quantas vezes nos aquece o coração! :) Boa semana.

1 de março de 2011 08:01  
Blogger O Árabe disse...

Sinto-me honrado, Irene! :) Não apenas este, mas todos os textos do blog estão à disposição, amiga. Obrigado, e boa semana!

1 de março de 2011 08:02  
Blogger O Árabe disse...

Bela reflexão Vanuza... e divirta-se no carnaval. Só volte breve. :) Boa semana.

1 de março de 2011 08:05  
Blogger O Árabe disse...

Ah, e não se preocupe: acho que não existe quem já não tenha engolido uma letra (ainda que na sopinha). :)

1 de março de 2011 08:05  
Blogger O Árabe disse...

O que dizer, Antonio Lídio, diante da tua gentileza? Obrigado, irmão; meu abraço, boa semana!

1 de março de 2011 08:12  
Blogger O Árabe disse...

Muito bem colocado, Zélia... muito bem colocado! :) Sempre uma alegria a sua presença, amiga; boa semana.

1 de março de 2011 08:13  
Blogger Silenciosamente ouvindo... disse...

Meu amigo, gostava muito de ter
este texto A Canção do Adeus mas
não dá para copiar apenas esse.
Se o amigo tivesse possibilidade
de me enviar o texto em anexo,para o email: iriste@portugalmail.pt
teria muito gosto em o inserir no
meu blogue http://sinfoniaesol.
wordpress.com
Um beijinho
Irene

1 de março de 2011 11:41  
Blogger Cristal disse...

Olá querido, passei pelo seu blog e adorei.
Maravilhoso esse texto. Uma das coisas mais lindas que eu já li....
Estou seguindo tá...
Estarei sempre por aqui e se você puder dá uma passadinha no meu...


Beijos

Ani

1 de março de 2011 12:03  
Blogger Rosa disse...

Viajei no tempo e trouxe belas recordações que estavam guardadas no meu baú. E afirmo que tudo vale a pena,até mesmo aquele amor que se foi, porque de uma certa forma teve o tempo para acontecer, viver e partir.
Gostaria de aproveitar e convida-lo para visitar meu novo blog.
http://rosagomesj.blogspot.com
Bjs amigo!

1 de março de 2011 19:25  
Anonymous De... disse...

Belíssimo!

Verdades profundas que evidenciam a grandeza da alma que as declarou.

Beijosss...

1 de março de 2011 19:31  
Blogger Cássia disse...

Por que eu sinto? Porque eu sinto..."Perdoa se eu chorar...", mas aquestão disto tudo nem é o caminhode pedra, o que acontece é a certeza que o amor é o sentido da imensidão.Eu acreditei no meu amor que ainda me leva palavras também...(não desanimesss)o amor vale, sempre...Bjss*K*

2 de março de 2011 07:14  
Blogger C Valente disse...

Excelente
Saudações amigas

2 de março de 2011 11:05  
Blogger Elizabeth F. de Oliveira disse...

Ah, Árabe, que palavras tão especiais sempre saltam dos teus dedos! Quanta sabedoria há nelas, quanta lucidez!
Quem dera a maioria das pessoas pudessem enxergar o mundo dessa forma! Tudo seria infinitamente melhor.

Fiquei emocionada.
beijo em teu coração

2 de março de 2011 11:46  
Blogger Flor da Vida disse...

Lindas e reconfortantes são suas palavras... Mas sabe meu amigo, não é tão fácil assim se despedir de um amor... Mesmo sabendo que a separação foi pela vontade de Deus... Mas agradecer pelos momentos vividos, isso sim, as lembranças de um verdadeiro amor são eternas... Muito lindo e emocionante o seu texto!
Carinhos pra ti... Bjsss

2 de março de 2011 16:16  
Blogger Claudinha ੴ disse...

Não me preocupar? Ah Árabe, adeuses sempre me entristecem. Sempre convivi com eles... Suas palavras, como sempre, são sábias, mas dizer adeus é muito difícil... Belíssimo texto , mesmo assim! Um beijo!

2 de março de 2011 17:27  
Blogger Nova Civilização disse...

Caro amigo,

Belíssimo!!! O amor é a essênica da vida e a liberdade é o que o
move,

abraços fraternos

Gisele

3 de março de 2011 15:41  
Blogger Daniel disse...

Porque será que o rompimento é tão difícil ao ponto de estragarmos anos em poucos dias? E no final percebemos que nada daquilo era real, que nunca deveria ter acontecido (mágoa pelo rompimento). É difícil, mas necessário para o crescimento. Acredito que não haveria crescimento se ficâssemos presos a alguém por toda nossa vida. Temos pernas próprias. Vida própria. Dividimos apenas momentos. E eles têm de ser bons pra valer a pena pra todo o sempre.

Abs
Daniel

4 de março de 2011 05:12  
Blogger O Árabe disse...

Como viste, Irene, já o enviei. Mais uma vez, obrigado. Bom fim de semana!

4 de março de 2011 10:23  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Ani, pelas gentis palavras. Em breve lá estarei, sim. Bom fim de semana!

4 de março de 2011 10:24  
Blogger O Árabe disse...

Já visitei, Rosa... e gostei. :) Obrigado, bom fim de semana!

4 de março de 2011 10:25  
Blogger O Árabe disse...

Verdadeiramente grandes, De, são as almas que acolhem as vderdades.:) Obrigado, bom fim de semana!

4 de março de 2011 10:26  
Blogger O Árabe disse...

E como vale, Cássia... e como vale! Sempre. :) Grato, bom fim de semana.

4 de março de 2011 10:27  
Blogger O Árabe disse...

Sempre uma alegria a tua presença, amigo Valente.:) Meu abraço, bom fim de semana!

4 de março de 2011 10:28  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Elizabeth, pela amizade e gentileza. :) Bom fim de semana!

4 de março de 2011 10:29  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Flor. E eu também acredito que mais valem as boas lembranças, do que uma frustante saudade. :) Bom fim de semana.

4 de março de 2011 10:30  
Blogger O Árabe disse...

Difícil, sim, Claudinha... mas sempre valem as boas lembranças. :) Bom fim de semana!

4 de março de 2011 10:31  
Blogger O Árabe disse...

Bem defiinido, Gisele... muito bem definido! :) Bom fim de semana.

4 de março de 2011 10:32  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Daniel, pelo comentário que complementou (e muito bem!) o texto. :) Meu abraço, bom fim de semana.

4 de março de 2011 10:33  
Blogger Fa menor disse...

Tão belo quanto triste.
Mas, na verdade, quem ama deixa livre o objecto do seu amor.

"Ninguém é de ninguém".

Bjos

5 de março de 2011 11:17  
Blogger O Árabe disse...

Pura verdade, Fa Menor. Mais uma verdade que precisamos aprender... :) Boa semana!

7 de março de 2011 14:38  
Blogger Sherazade disse...

Árabe; esse texto é brilhante!A canção do adeus, muitas vezes, pode ser um tempo a um recomeço. Um amor verdadeiro, permanece dentro de nós, em qualquer lugar que estejamos e saberemos reconhecê-lo sempre que tivermos oportunidade de encontrá-lo. A filosofia de que “ninguém é de ninguém”, não pode ser levada ao pé da letra, até por nos dar a idéia de falta de compromisso e comprometimento. Os objetos, animais e pessoas, nos pertencem, enquanto conosco estão. Mas não um pertencer atrelado a uma corrente, ou tendo que seguir pensamentos, palavras e ações. Cada um com sua maneira de ser, pensar e agir. Respeitando as individualidades e o livre arbítrio. Exatamente por esse “pertencer” ser uma opção, por questões sentimentais. E fatalmente, o que tiver de ser, será. Sem preconceitos, sem cobranças.
Gostei muito do conjunto da obra: musica, foto e principalmente o texto.

11 de março de 2011 06:24  
Blogger O Árabe disse...

Belo comentário, Sherazade... belo comentário! :) Bom fim de semana.

11 de março de 2011 12:53  
Anonymous Anônimo disse...

essa historia me deixou aqui com lagrimas.
pois lembro do grande amor que eu aindo sinto por um arabe
amei e amo ainda esse homem
mais é um amor impossivel
sofro sofro e muito com isso estou sem rumo desde que o perdi
não sei se foi a distancia ou se ele realmente deixou que o vento levasse o amor que tinha por mim e se perdeu no deserto
mais eu ainda continuo aqui amando esse homem mais do que minha vida

20 de julho de 2011 21:09  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky