O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

A VERDADE MAIOR


Guardai-vos de abrigar a resignação.
Pois a resignação é o disfarce da revolta, sufocada pelo peso do raciocínio, e que um dia haverá de mostrar a sua face; como a fera arrebenta a jaula que a prendia.

Só no conhecimento, encontrareis a Paz.

Porque com ele viaja a aceitação. E apenas aceitando as coisas como verdadeiramente são, afastareis a inquietude; que a todos os momentos ronda o vosso verdadeiro Eu.

Buscai, pois, aceitar o que vos cerca. Outro caminho não existe, para que a serenidade se instale em vós. Como é preciso que se derreta o gelo do inverno, para que possa florir a primavera.

Afastai de vós o preconceito.

Pois na mesma árvore não existem sequer duas folhas iguais; e a canção do regato é sempre diferente, ainda que da mesma forma acaricie os vossos ouvidos.

Assim, cada pessoa tem o seu jeito de ser; e as suas razões, que nem sempre podeis entender. Entretanto, as diferenças entre vós formam o mundo que conheceis; como as cores das plantas fazem a beleza do jardim.

Deixai que, mais uma vez, vos previna contra o medo.

Pois é ele que vos prende ao solo, impedindo os vôos que poderia realizar o vosso verdadeiro Eu. E que vos tolda a visão, fazendo-vos imaginar perigos onde apenas existem novos caminhos.

Guardai-vos do medo; e de que ele se abrigue em vossos corações. Ou os vossos ouvidos, ensurdecidos pelos gemidos da insegurança, deixarão de ouvir a canção da Vida, que ressoa na voz do Universo.

Render-se ao medo, não é apenas duvidar de si mesmo. É duvidar do Infinito, que em todos os dias vem ao vosso encontro e provê às vossas necessidades.

Que vos envia o sol das alegrias e a chuva das privações, para que amadureçam os vossos pensamentos e as vossas emoções.

Pois é assim que se tornará maduro o vosso verdadeiro Eu. E, como o fruto maduro oferece o seu melhor sabor, a maturidade trará o Conhecimento; a ponte que vos pode religar ao Coração do Universo.

É a verdade, que sempre devereis buscar.

E nenhum de nós a encontrará em suas próprias idéias. Como em uma única estrela não pode estar contido todo o brilho do Universo, e a onda solitária não resume toda a força do oceano, cada um tem apenas a sua própria verdade.

E é a sua união que faz a Verdade maior.

61 Comentários:

Anonymous  disse...

No fundo Árabe, acho que todos nós sabemos um pouco disso, até porque a verdade não é absoluta, mas são as circunstâncias que nos leva ao temor e a duvidar até do que temos como verdade.
Mas essa mensagem, além da beleza que encerra, tem um conteúdo valoiso para reflexão.
Bom fim de semana!
Amei a musica!
Beijos

2 de outubro de 2009 20:05  
Blogger FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO AMIGO ÁRABE, DELICIOSO TEXTO... ADOREI CADA PALAVRA AMIGO!!!
JÁ TINHA SAUDADES DE POR AQUI PASSAR... MAS A MINHA SAUDE, TEM-SE PORTADO MUITO MAL... ADORO-TE AMIGO... UM BOM DIA...!
ABRAÇOS DE CARINHO,
FERNANDINHA

3 de outubro de 2009 01:29  
Blogger Patrícia, a miúda do mau feitio disse...

Fantástico Árabe!
Tão bom relembrar isto!
O meu coração agradece a partilha!
Tudo de bom!
bjitos*

3 de outubro de 2009 04:10  
Blogger Maria Valadas disse...

Querido Árabe, Uma reflexão para questionar.

Em mim, fica o conteúdo das suas mensagens.

Obrigada.

Bom final de semana.

Beijos.

3 de outubro de 2009 07:41  
Blogger Spiritual disse...

É, por isso, muito importante auscultar o nosso interior e perceber do seu estado de felicidade e tranquilidade. Por vezes enganamo-nos a nós próprios dizendo que somos felizes como somos e na realidade existe muito lixo de baixo do tapete. Creio que a melhor forma de combater a resignação é tentarmos tornar-nos pessoas melhores a cada dia, a cada instante, fazer dessa a nossa principal motivação de vida. Assim, jamais cairemos na resignação, pois necessitaremos estar permanentemente em contacto com o nosso interior, a reflectir permanentemente sobre nós mesmos, a nossa interacção com o mundo, as nossas atitudes. Para mudar o mundo é necessário mudar-nos a nós próprios e para nos mudarmos a nós próprios, é necessária essa atenção ao nosso interior, essa permanente vontade de progressão e essa não resignação. Progredir, por outro lado, pede que sejamos capazes de retirar o máximo de ensinamentos das lições que nos são oferecidas diariamente, pelo que é interessante que, pelo menos inicialmente, as aceitemos, ainda que, supostamente devamos adaptá-las a nós próprios (e não nós a elas). O nosso verdadeiro Eu surge assim à medida que progredimos e potenciamos quem somos e o que somos através da prática de procurarmos ser o melhor possível, coisa que também só se atinge através de uma profunda análise e reflexão sobe nós mesmos e o Universo. Profunda e, sobretudo SINCERA reflexão a esse respeito. Creio ser essa aparte mais difícil, a capacidade de sermos sinceros connosco mesmos, a capacidade de olharmos para dentro de nós mesmos e termos a coragem e a confiança que é preciso para dizermos: é isto que deve ser alterado, e isto e isto. O facto de querermos melhorar e de estarmos a fazer por isso e de admitirmos os momentos em que devemos reavaliar as nossas atitudes, dá-nos o direito de não sermos perfeitos. E esse direito guarda-nos da punição.

A nossa mente assenta sobre preconceitos; mas como em todas as nossas missões nesta existência, é precisamente no sentido de contrariar essa tendência primordial que devemos agir. Se temos uma mente que assenta em preconceitos, é suposto que nos desfaçamos ao máximo destes. Atravancar a nossa mente com preconceitos é como atulhar uma arrecadação com objectos fora de ordem; todos eles fazem falta: faz sempre tudo falta, mas para poderem ser devidamente utilizadas as coisas devem estar ordenadas, eventualmente até catalogadas e os caminhos de acesso desimpedidos. Só assim conseguiremos aceder aos objectos da arrecadação quando deles houver necessidade. Um preconceito é uma ideia pré-concebida de forma rígida, sem ter em conta as variáveis da situação a que se aplica. É uma caixa de cartão anónima no meio do caminho: ocupa espaço e impede o movimento. Para uma mente sã não é preciso deitar nada fora, mas é preciso sim ter capacidade para reciclar, a criatividade que é preciso para adaptar velhas coisas a novas situações. O preconceito quer trabalho de análise e não simples repressão do conceito. Tudo aquilo que é reprimido volta a surgir, qual erva daninha.

Cada pessoa tem as suas razões, é um facto. Mas da qualidade daquilo que damos ao mundo, depende a qualidade do que recebemos; se damos pouco, tendemos a receber pouco também. Pelo que é interessante compreendermos as nossas próprias razões; se o fizermos, os outros compreendê-las-ão também, não só porque podemos explicar-lhes, mas também porque isso lhes é passado de forma até inconsciente; os outros detectam e respeitam a nossa ordem interior. Poderemos então interagir mais, ensinar mais, dar mais; receberemos mais também, aprenderemos nós mesmos mais também.

4 de outubro de 2009 04:50  
Blogger Spiritual disse...

Explorar as nossas diferenças é, quanto a mim, absolutamente essencial para o desenvolvimento da Humanidade como um só organismo e também, obviamente, para o desenvolvimento de cada um de nós. Afinal de contas, dentro de cada um de nós reside o todo; quantas mais facetas nossas explorarmos, mais próximos do todo andaremos, mais sábios seremos, maior o nosso auto-conhecimento. Quem estuda Matemática sabe que é assim que o Universo funciona: se explorarmos conscientemente as nossas diferenças, se fizermos do ser diferente uma filosofia de vida, não simplesmente ser diferente por ser, mas ser-se diferente porque se É e se tem consciência daquilo que se É, um dia chegaremos a um consenso quanto ao essencial. Afinal de contas... todos diferentes... mas no fundo, todos iguais. Quanto a mim, o segredo de uma maior paz e de uma maior harmonia no nosso planeta diz respeito, precisamente, à exploração das nossas próprias diferenças, que nos levará no caminho de encontrarmos as nossas semelhanças e pontos consensuais (vindo exclusivamente do sentimento interior de cada um de nós) que facilitarão uma vida mais pacífica entre os habitantes deste planeta e, provavelmente, não só.

Quanto ao medo, a sua origem reside na matéria, na densidade da alma, numa mente não fluída, em bruto, não trabalhada. Quando a mente se encontra densa, os caminhos, que existem sempre, ficam invisíveis ao nosso olhar; não conseguimos perceber as saídas, ficamos presos, sofremos, interpretamos como punição, mas curiosamente a dor é um processo de fluidificação da mente; ela torna-a (em princípio), mais fluída, deixando-nos mais propensos, nem que seja apenas por pouco tempo, a vislumbrar, precisamente, essas mesmas saídas. Obviamente, é o processo primordial; não devemos permanecer nele; é nossa missão buscar alternativas. E a melhor alternativa ao sofrimento é buscar essa mesma fluidificação da mente e do pensamento através de métodos próprios, como todos aqueles que nos levam a estados meditativos. Não somos perecíveis; nada é neste mundo, pelo que não existe a necessidade de medo; os nossos medos são sempre infundados, de alguma forma, pois correspondem a formas limitadas de olhar a realidade e a concretização desses mesmos medos significa que não fomos capazes de encontrar uma forma satisfatória de lidar com a situação que nos foi colocada, algo absolutamente normal uma vez que somos humanos.

Discordo quando dizes que não poderemos encontrar a verdade nas nossas próprias ideias; isto é, creio que a ideia não está bem colocada. Gosto sempre de comparar o Universo em que nos encontramos à imagem das matrioskas: funciona mais ou menos tudo sempre da mesma maneira, só diferindo nos referenciais, nas dimensões, enfim, aquilo que torna tudo relativo e nos afasta do absoluto. Explorando até ao seu máximo expoente a nossa própria mente, encontraremos as leis pelas quais se rege o Universo em que nos encontramos, já que a nossa mente é uma espécie de protótipo do próprio Universo. Já lá diz a Matemática: assim como o todo cabe na parte, a parte também cabe no todo. Claro que é da união das ideias de todos que é constituída a verdade, mas todos possuímos o todo em nós. Em nós residem também as ideias alheias. Somos todos feitos do mesmo.

4 de outubro de 2009 05:16  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

um texto para reflectir, e tirar as nossas próprias ilacçoes.

um bom domingo!

4 de outubro de 2009 09:09  
Blogger Claudinha ੴ disse...

Suas verdades são sempre aprendizagem. Obrigada!
Beijo!

4 de outubro de 2009 10:18  
Anonymous Perla disse...

Sou inconformista. Não deixo de lutar por aquilo em que acredito e de buscar o conhecimento, para que conhecendo-me melhor possa aceitar o mundo que me rodeia... mas não é fácil.

Bjos

5 de outubro de 2009 09:05  
Anonymous DO disse...

Sem palavras,meu amigo. Sem palavras!!

Abraços!!

5 de outubro de 2009 10:01  
Blogger Moonlight disse...

Olá

Passei para conhecer seu blog e deparo-me com esta Verdade Maior.Um bom momento de reflexão,sem duvida!

Bj com luar

6 de outubro de 2009 10:17  
Blogger Menina do Rio disse...

Bastante reflectivo!

boa semana pra ti
Beijos

6 de outubro de 2009 11:06  
Blogger São disse...

De facto, só a Sabedoria nos concede serenidade.

MAis uma vez (re)aprendo contigo, Amigo.

Um abraço fraterno.

6 de outubro de 2009 12:26  
Blogger VANUZA PANTALEÃO disse...

"Cada um tem a sua própria verdade."
Seria a aceitação do outro como ele é, porém o ser humano reluta em aceitar essa Lei, infelizmente!
O fundo musical está muito bem apropriado, amigo.
Tocante e verdadeiro!
Abraço carinhoso!!!

6 de outubro de 2009 14:11  
Blogger Lídia Borges disse...

Um excelente texto para reflexão.



L.B.

6 de outubro de 2009 14:46  
Blogger Mustafa Şenalp disse...

Çok güzel site.:)

6 de outubro de 2009 15:14  
Blogger Barbara disse...

E tal verdade maior, se expande lindamente e chega ao Cosmos - berço ou Cosmos - profundidade.
Tenho a esperança de que isso se dá algum dia, de um jeito ou de outro...

6 de outubro de 2009 18:47  
Blogger Sheherazade disse...

Belo texto reflexivo, Árabe! Oxalá os homens o praticassem verdadeiramente, para que a humanidade fizesse jus ao seu Criador.

Grande abraço!

6 de outubro de 2009 22:29  
Anonymous De... disse...

Significativa imagem, Árabe!
Imagens dizem tudo, e pegarei uma conexão através dela.

Tantas vezes estamos realmente enjaulados, acuados, por florestas de gigantes espinhos.
O medo nos paralisa porque acreditamos como reais, o que são apenas imagens que nossa mente fabrica.

Se nos decidirmos a seguir sem medo de bater contra o espelho, a imagem se estilhaça ante a nossa passagem, e mesmo que passemos para o outro lado com alguns cortes, estaremos livre!

Assim também o preconceito, que nada mais é do que uma falsa imagem que temos de alguém.
Além da imagem existe sempre a matriz perfeita.
Conseguir vê-la é realmente caminhar para a evolução e para o encontro do Eu verdadeiro: nosso e dos outros.

Obrigada pela oportunidade de reflexão!

E só me resta dizer: Smile, Árabe...Smile!

7 de outubro de 2009 10:43  
Blogger Maria Valadas disse...

Meu Orientador de auto-estima... nunca é demais reler a tua sabedoria exposta nas tuas palavras.

Boa semana.

Beijos

7 de outubro de 2009 10:48  
Blogger MENSAGENS AO VENTO disse...

________________________________


Meu doce amigo... Como é bom ler os seus textos! São sempre palavras repletas de sabedoria...Obrigada!


Beijos de luz e o meu carinho muito especial!

Zélia (Mundo Azul)

_______________________________

7 de outubro de 2009 13:26  
Blogger GarçaReal disse...

Nos momentos de relexão e na leitura de ti, concordo que o medo que esxiste em nós trava o evoluir do voar, deixa a alma fechada à entrada da liberdade que nos conduzirá à Verdade maior.

Que o resto da semana caminhe envolto na paz.

Bjgrande do lago e obrigada pela constante presença.

7 de outubro de 2009 15:12  
Blogger ♥ ♥ Eu disse...

Ótimo para uma boa reflexão.

muitos beijos prá vc!

7 de outubro de 2009 18:05  
Blogger Luma Rosa disse...

Por isso somos divididos em fases e a cada uma delas, somos despertados para alguma coisa, como etapas! A maturidade é plenitude! Beijus

7 de outubro de 2009 20:13  
Blogger Daniel disse...

Tudo o que leio aqui é fantástico e como sempre você escreve tudo e mais um pouco eu nem tenho muito a acrescentar, como nessa postagem, mas queria que soubesse que me renovo a cada leitura que faço aqui e saio do computador mais confiante, menos inseguro e mais forte.

Obrigado e parabéns.
abs

8 de outubro de 2009 08:14  
Blogger lua prateada disse...

Lindo meu amigo, apesar de vermos a realidade assim pois não nos podemos esconder por detraz de um véu transparente para evitá-la, contudo da forma como a expões toca bastante...LINDO !...
Bjito com...SOL

8 de outubro de 2009 11:47  
Blogger ♥MáH♥ disse...

Como é bom estar aqui
=)

8 de outubro de 2009 14:42  
Blogger Arabica disse...

Olá, meu amigo! :)

O medo do desconhecido (e outra qualquer verdade encerrada noutro ser, encarna bem o desconhecido), o medo do que nunca se sentiu, nunca se viveu, nunca se tocou, é uma realidade bem actual, cruzada numa e por uma globalização, ainda imperfeita a nível de confiança no "próximo".

Tempo de assalto à quietude, devemos sempre procurar em nós e nos outros, a evolução da verdade que, por certo, nos conduzirá ao ideal sonhado.

Um abraço e um pedido de desculpas, sincero, pela ausência.
Tempo de inicios e re-inicios, tentando prender todas as pontas de um lenço, sempre esvoaçante.

:)

8 de outubro de 2009 15:16  
Blogger Whispers disse...

Querido Arabe!
Venho agradecer cada carinho e dizer que sao os carinhos em forma de palavra que aquecem muitas vezes as almas.
Mil beijos
Rachel

8 de outubro de 2009 19:56  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Lu. E essa música... que música! :) Bom fim de semana.

9 de outubro de 2009 06:45  
Blogger O Árabe disse...

Cuide-se, Fernanda. Você é importante para os amigos! :) Bom fim de semana, amiga.

9 de outubro de 2009 06:45  
Blogger O Árabe disse...

Eu agradeço, Patrícia, pela gentileza e amizade. :) Bom fim de semana!

9 de outubro de 2009 06:48  
Blogger O Árabe disse...

E em mim, Maria, a admiração por teus belos poemas. :) Bom fim de semana!

9 de outubro de 2009 06:49  
Blogger O Árabe disse...

Belas reflexões, Spiritual; como sempre, acrescentando idéias e valorizando o nosso texto. Obrigado! :) Bom fim de semana.

9 de outubro de 2009 06:51  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Piedade: só através da reflexão, atingimos as nossas próprias respostas. :) Bom fim de semana!

9 de outubro de 2009 06:52  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Claudinha, pela gentileza e amizade. :) Bom fim de semana!

9 de outubro de 2009 06:53  
Blogger O Árabe disse...

Assim necessitamos ser, Perla... para que sobrevenha o conhecimento. :) Bom fim de semana!

9 de outubro de 2009 06:54  
Blogger O Árabe disse...

Sem palavras e com amizade, DO. :) Meu abraço, bom fim de semana!

9 de outubro de 2009 06:54  
Blogger O Árabe disse...

Volte sempre, Moonlight; o oásis é nosso. :) Bom fim de semana!

9 de outubro de 2009 06:55  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Menina. :) Bom fim de semana!

9 de outubro de 2009 06:56  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, São. Objetiva e verdadeira reflexão! :) Bom fim de semana, amiga; fica bem!

9 de outubro de 2009 06:57  
Blogger O Árabe disse...

Essa música torna tudo melhor, não, Vanuza? :) Bom fim de semana, amiga, e obrigado.

9 de outubro de 2009 06:57  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Lídia. Bom fim de semana! :)

9 de outubro de 2009 06:58  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Mustafa, pelo prazer da visita. :) Bom fim de semana!

9 de outubro de 2009 06:59  
Blogger O Árabe disse...

É isso, Bárbara... mantenhamos essa esperança! :) Bom fim de semana.

9 de outubro de 2009 07:00  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Sheherazade. Um dia a praticaremos, sim! Acredito nisto. :) Bom fim de semana!

9 de outubro de 2009 07:01  
Blogger O Árabe disse...

Bela conexão, De! :) Obrigado e bom fim de semana.

9 de outubro de 2009 07:02  
Blogger O Árabe disse...

E nunca é demais a tua presença, Maria. O oásis é nosso, amiga! :)

9 de outubro de 2009 07:02  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Zélia, pela gentileza e amizade! :) Bom fim de semana.

9 de outubro de 2009 07:03  
Blogger O Árabe disse...

Presença que é sempre uma alegria e um aprendizado, amiga Garça. :) Bom fim de semana!

9 de outubro de 2009 07:04  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Eu. :) Bom fim de semana!

9 de outubro de 2009 07:05  
Blogger O Árabe disse...

Muito bem dito, Luma! :) Bom fim de semana, amiga.

9 de outubro de 2009 07:06  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado a você, Daniel. Sempre podemos aprender mais um pouco, permutando idéias, não é? :) Abraço, bom fim de semana.

9 de outubro de 2009 07:08  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Sol. Bom fim de semana, amiga!

9 de outubro de 2009 07:09  
Blogger O Árabe disse...

E a recíproca é verdadeira, MáH. Bom contar com sua presença. :) Bom fim de semana!

9 de outubro de 2009 07:10  
Blogger O Árabe disse...

Inícios e reinícios que, tenho certeza, trarão novos sucessos e novas alegrias, Arabica. Isto é o principal! :) Bom fim de semana.

9 de outubro de 2009 07:12  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Rachel. Assim é a amizade! :) Bom fim de semana, amiga.

9 de outubro de 2009 07:12  
Blogger Claudinha ੴ disse...

Sempre buscar a verdade é sábio, mas o caminho pode ser bem árduo... Concordo que a resignação é o disfarce da revolta.
Acho que por mais que vivamos, sempre estaremos em busca desta verdade...
Beijo

9 de outubro de 2009 17:05  
Blogger Chris disse...

Reflexões inteligentes que nos ligam ao coração do Uni-Verso...
Um beijo
Chris

9 de outubro de 2009 17:39  
Blogger O Árabe disse...

E viveremos para sempre, Claudinha... o suficiente para encontrá-la. :) Bom fim de semana!

9 de outubro de 2009 20:21  
Blogger O Árabe disse...

... e quanto necessitamos, Chris, desta ligação! :) Bom fim de semana!

9 de outubro de 2009 20:22  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky