O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

O CAMINHO E OS SONHOS

Cuidais, acaso, que possais manter os vossos sonhos?

Sabei, então, que esta é a mais vã das vossas crenças. Porque, como a fumaça que por entre os vossos dedos escapa, também os sonhos vos haverão de deixar. A uma e outros jamais conseguireis reter.

Não vos preocupeis, entretanto. Porque os sonhos são como as nuvens: o mesmo vento que a alguns carrega, haverá de trazer-vos outros, que adornarão o céu das vossas esperanças.

Como as nuvens, os sonhos jamais virão ter às vossas mãos. E é bom que assim seja, pois se a umas e outros conseguísseis atingir, veríeis que longe estão de ser como os pintava a vossa imaginação.

Resignai-vos, portanto. Conservai a capacidade de acreditar em vossos sonhos e substituir aqueles que tombem em vossa estrada; os sonhos vos fazem seguir em frente, e as desilusões formam a experiência que vos ajuda a caminhar.

Necessitais do desencanto, como da própria ilusão. Porque é preciso que a fome se instale em vós, para que o vosso corpo deseje o novo alimento e mais saboroso o faça parecer a vossa imaginação.

Em verdade, eu vos digo que na insatisfação encontrais o combustível para a jornada diária. Aquele que satisfeito se julgasse, decerto se assentaria à beira do caminho, desfrutando a paz de saber-se completo.

É preciso, pois, que vos visitem os sonhos. A felicidade é como o pote de ouro, que buscais no arco-íris da Vida, e esta esperança vos motiva a prosseguir, ainda que árdua se torne a caminhada.

Sede sábios, entretanto. Para que os vossos olhos não busquem apenas o brilho do ouro, mas saibam desfrutar das cores que oferece a viagem. Pois, ainda que o pote não exista, é nelas que está a verdadeira recompensa.

Nisto consiste a suprema lição do Universo. A Vida não é um caminho, mas o fim em si mesma; não leva a um destino, mas é a sua própria razão de ser. Na plenitude da existência, está a felicidade.

Abandonai, por instantes, os conceitos do mundo que vos cerca. E percebereis que os bens materiais apenas vos trazem alegrias. Foi em vossa alma que se fez ouvir a canção do Infinito, de cada vez que vos sentistes felizes.

Esta é a lição a ser aprendida. É para que a possais aprender, que ao fim de cada etapa da jornada necessitais do descanso, que vos permitirá avaliar o vosso percurso.

E vestir novos trajes, para que mais uma vez vos seja possível retornar ao mundo das dimensões e sentir as asperezas do caminho.

Pois o tempo e o espaço não existem, para o vosso verdadeiro Eu.

56 Comentários:

Anonymous Lu disse...

Árabe, esse é um momento em que nada é preciso dizer. Apenas fechar os olhos e deixar que essa musica maravilhosa, nos leve a percorrer esse caminho de sonhos...
Que dizer, diante da emoção que tomou conta de mim, ao ler tão sublime poema? A imagem é belíssima! Tudo em perfeita harmonia.
Que Deus lhe permita sempre, o dom da palavra, para encantar esse mundo, tão desencantado...
Bom fim de semana! Beijos

21 de agosto de 2009 20:36  
Blogger Whispers disse...

Querido Árabe!
Tuas palavras são sempre tão certas.

Triste daquele que não sabe sonhar,mais também devemos saber sonhar com os dois pés bem no chão

Sonhar e meio caminho caminhado pra se realizar.

Os sonhos estão no céu,agora somos nos que temos que construir a escada pra chegar a eles.
Desejo que tenhas um fim de semana de luz e amor
mil beijos
Rachel

21 de agosto de 2009 22:23  
Blogger Porcelain Doll disse...

Sou uma concretizadora de sonhos. Já concretizei muitos, já estou habituada a ver as imagens que a minha mente formula tornarem-se em realidade. Esse "jamais" virão ter às vossas mãos" é claramente abusivo. Ao conseguir atingir os meus sonhos, vejo que são ainda mais belos do que pintava a minha imaginação.

Não sei exactamente qual o significado da resignação; se desisti algumas vezes de algumas coisas, foram de facto coisas menores que provaram não valer o esforço. É, de facto, extremamente raro ver-me desistir seja do que for. Mas acontece.

Claro que, ao longo do caminho, à medida que as possibilidades vão variando, por vezes vou adaptando os meus sonhos ao possível, mas isso não costuma retirar-lhes qualquer qualidade.

Não me parece que as desilusões ajudem quem quer que seja a caminhar. E se ajudarem, é mau sinal para essa pessoa, é sinal de que ainda tem muitas desilusões pela frente. Quando sofro uma desilusão (coisa que sucede com pouca frequência), procuro aprender com o sucedido, tirar disso proveito, colocá-lo a meu favor; no entanto, não é por isso que vou desejar que me sucedam desilusões. Pensarei sempre que se ocorreu desilusão, foi porque a consciência não chegava para mais, não chegava para evitar que isso sucedesse e isso é algo a evitar.

A experiência externa não é assim tão importante na caminhada; a par dela, existe também uma experiência interna tão válida ou mais, pois o caminho por que nos leva não é susceptível a que nos percamos com tanta facilidade.

De facto, vivemos num mundo que oscila entre extremos; mas a prática de uma filosofia de vida que estimule permanentemente a consciência, pode deslocalizar o eixo dessa oscilação: se queremos que o positivo seja mais positivo e o negativo menos, não é enfatizando o negativo; claro que se tomarmos balanço para baixo, conseguiremos chegar mais acima, mas se simplesmente utilizarmos um "dispositivo de oscilação" mais sensível, ele levar-nos-á mais alto, tornando o mais alto na norma, e levar-nos-á a abandonar de vez níveis mais negativos. Assim é a nossa mente.

Numa mente iluminada, altamente consciente e subtil, não é necessário chegar à desilusão e muito menos passar pela ilusão; uma mente consciente apercebe-se da ilusão antes que ela tome definitivamente conta da sua vida; a ilusão numa mente subtil não encontra solo fértil e a durar, dura muito pouco. Logo, não existe desilusão. Existe sim um coincidir de expectativas e reais possibilidades. E agora, algo muito importante: como tornar então a nossa máquina de análise tão eficaz que as desilusões não tenham lugar ou assumam pequenas proporções? Alargando a nossa consciência, tornando a nossa mente subtil. E como se faz isso? Meditando, por exemplo. Mas esvaziar simplesmente a mente parece ser insuficiente para tal. De facto. Esvaziar a mente, quanto a mim, equivale a retirar toda a mobília de dentro de um quarto para o podermos limpar melhor; para que depois, quando voltarmos a colocar tudo de novo, encontremos novos lugares para a mobília, numa disposição mais prática, evitando o desperdício de espaço. Meditar, esvaziar a mente é bom apenas porque estimula o pensamento; travá-lo num certo momento implica torná-lo mais eficaz depois. Intervalar tem esse efeito.

Pessoalmente, a insatisfação sempre me travou. Hoje, tendo aumentado consideravelmente os níveis de satisfação na minha vida, considero fazer frente à insatisfação com mais facilidade. A insatisfação não é combustível; a insatisfação é um bloqueio que ainda não conseguimos ultrapassar, o qual ainda não conseguimos iluminar através da consciência e, por isso, surge a dor. Sempre que não há consciência, há dor. E por vezes a dor é o único caminho que nos resta para levar à consciência; é o possível em muitos momentos, mas está longe de ser a solução ideal.

22 de agosto de 2009 00:46  
Blogger Porcelain Doll disse...

Jamais estaremos completos; estar incompleto é a nossa natureza. Mas devemos, mesmo dentro desse estado, conservar a paz de espírito. E isso consegue-se não com medo, não com angústia, mas com confiança. E a confiança consegue-se sabendo que a nossa consciência se alarga a cada instante, que caminhamos com o fluxo das energias universais, que minimizamos a resistência que lhes oferecemos, estando assim muito mais protegidos pelo Universo.

Conservar a paz de espírito é muito importante, pois o mundo que nos rodeia é um reflexo do nosso mundo interior; se dentro de nós não existirem conflitos, também não tendemos a projectá-los ao nosso redor. Possuir paz de espírito é essencial para não ferir os demais.

Como dizia Gandhi, a FELICIDADE não é a meta, a felicidade é o caminho. Não é o pote de ouro no fim do arco-íris; funcionar de acordo com essa lógica é semear a nossa própria infelicidade. É torná-la em algo que sucede apenas ocasionalmente e não num estado de espírito permanente, torna-nos pessoas com déficit de energia positiva interior, o que vai fazer com que a suguemos do exterior, retirando a felicidade aos demais. É a tal coisa: o perigo de buscar a felicidade no exterior; é fácil acabar-se roubá-la a alguém. Enquanto que se a procurarmos no interior, ficaremos em contacto com uma fonte inesgotável de amor e felicidade; e ao invés de a caçarmos na fugacidade dos momentos da vida, é fácil fazê-la transbordar de nós para fora, para tudo o que nos rodeia.

É de facto, preciso que a fome se instale, mas numa alma trabalhada, essa fome nem chega a ser digna desse nome; é uma alma que reage ao mínimo estímulo negativo e imediatamente é catapultada para o positivo.

É preciso, contudo, que o pote de ouro exista. Se a nossa mente imaginou um pote de ouro que não existe, então necessita ser mais trabalhada.

Na plenitude da existência é que está a felicidade: no ligarmo-nos com a nossa essência; como dizem alguns, com o SER; como eu digo, sermos mais energéticos, possuirmos uma mente mais energética que se expande e ilumina a cada momento.

Os bens materiais não têm nenhum bem em si mesmos, nem tão pouco nenhum mal. Tudo depende da forma como os experienciamos: ficar apegados a eles costuma bloquear o fluxo energético e acaba por levar-nos a perdas e à dor.

Por tudo o que foi acima exposto, há-que perceber o quão cruel é brincar com uma pessoa que, apesar de ter a consciência de tudo isto, se encontra sujeita ao que eu costumo chamar "grumos" no sumo; que busca tornar-se mais energética, mas que pelo caminho vai encontrando nós de energia, os quais tem apenas algumas pistas acerca do motivo pelo qual ocorrem, mas certamente não se deve a nada que tenha feito nesta existência. O quão cruel é brincar com alguém que procura fazer o seu caminho e que se debate para se tornar uma pessoa melhor, levando-a ao medo e à desconfiança. Há coisas que simplesmente não se fazem.

22 de agosto de 2009 00:46  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

Amigo sábio

gosto de o ler.

este poste é quase uma parabola.

deixo um beij

22 de agosto de 2009 08:04  
Blogger Mau Feitio disse...

É mesmo!
as cores de cada momento, quando vividas intensamente, chegam a brilhar dourado. :D
é esse o encanto, o deslumbramento...
obrigado pela partilha!

bjitos*

22 de agosto de 2009 08:16  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Lu. Deus nos permita, sim, que o dom da palavra continue a orientar-nos, pelos caminhos do mundo. :) Bom fim de semana!

22 de agosto de 2009 10:36  
Blogger O Árabe disse...

Frato, Rachel, pela gentileza das palavras e pelo belo comentário. :) Bom fim de semana!

22 de agosto de 2009 10:36  
Blogger O Árabe disse...

Interessantíssimas reflexões, Porcelain Doll. Sinto-me feliz, por ter ajudado a trazê-las à luz, amiga. :) Bom fim de semana!

22 de agosto de 2009 10:38  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Piedade, mas não é sabedoria, acredita. Antes a experiência. :) Bom fim de semana!

22 de agosto de 2009 10:39  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado a você, amiga, pela palavras de belo feitio. :) Bom fim de semana!

22 de agosto de 2009 10:40  
Blogger Tina disse...

Oi Árabe!

Eu tanto queria que sonhos meus ainda ficassem. Queria mesmo, mas não mais espero. Não mais sonho.

Ainda me resta consolo ao ler seus escritos de verdade. De vida.

beijos querido e obrigada pela beleza que divide conosco.

23 de agosto de 2009 15:31  
Blogger Luma disse...

Um ciclo tem que se fechar, para começar outro. Beijus

23 de agosto de 2009 15:57  
Blogger GarçaReal disse...

Se soubermos viver em conjugação do real com o sonho um e outro podem completar-se.

De sonhar nunca se deve deixar. Sabendo que eses sonhos em grande maioria nunca habitarão o mundo do real, mas que dão uma tonalidade de beleza à vida.

Belissimo como sempre.

Boa semana

Bjgrande do Lago

23 de agosto de 2009 17:00  
Blogger Dona Sra. Urtigão disse...

Suas palavras estão sempre certas,e chegam sempre em momentos certos.
Agradecida, uma abraço!

24 de agosto de 2009 10:00  
Blogger . fina flor . disse...

que lindo, isso, do mesmo vento que leva as nuvens e os sonhos trazerem outros....

beijos, querido e ótima semana

MM.

24 de agosto de 2009 10:28  
Anonymous DO disse...

Realmente é uma big lição a ser aprendida,Arabe. Coisa pra poucos realmente.

Abração e uma otima semana a vc.

24 de agosto de 2009 14:33  
Blogger Princesa disse...

Obrigado pela visita e pelo carinho
deixado no meu blog
Visite também meus outros blogs

"Um amigo de verdade
sabe dar e receber o ombro amigo
sem pré-requisitos.
Ele sabe ouvir, tanto quanto escutar..."
Uma boa semana
Beijinhos

24 de agosto de 2009 14:35  
Blogger MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Lindo e suave aqui hoje....
este final de uma tarde qualquer de agosto esta música e suas palavras me acalentaram.
beijossssssss

24 de agosto de 2009 14:53  
Blogger VANUZA PANTALEÃO disse...

É verdade, amigo!
O brilho do ouro nos cega e nos afasta do áspero caminho que nos conduzirá à verdadeira felicidade.
Ler você é um privilégio, Árabe!!!Bjsss

24 de agosto de 2009 16:31  
Blogger Barbara disse...

Amigo Árabe, sinto, mas acho que não tenho sonhos.
Tenho desejos óbvios, como o de ver filhos e netos caminhando, como o de estar atenta a um certo raio de ação através do qual eu possa movimentar-me em prol de mim e do outro.
Isso já ocupa e já requer pensamentos, idéias, criatividade nas adversidades.
Mas para não ser tão dura, diria que gostaria muito de viver de um jeito mais sereno.
Sou serena mas não vivo de forma serena - as coisa chegam mas se não fosse assim, eu seria como pedra e sem brilho algum.
O pouquinho de brilho que imagino ter, vem justamente das augruras e do movimento, do atrito da "pedra".
Sua postagem é de equilíbrio e verdade e às vezes acho mesmo que o senhor é de outro mundo.
Com o devido respeito.
Abraços.

24 de agosto de 2009 16:43  
Blogger Barbara disse...

Não resisti, sou imperfeita e vou comentar uma coisa:
Boneca de porcelana deve ser mesmo uma boneca, porque gente "sabe a dor e a delícia de ser o que é"...
Não me dê bronca não!
Ou dê mas não resisti mesmo!

24 de agosto de 2009 16:46  
Blogger Arabica disse...

Hoje apenas te deixo um sorriso amplo.


E um abraço.

24 de agosto de 2009 17:23  
Blogger Eu sei que vou te amar disse...

Sublime em cada sonhar...o Universo toma conta das nossas accoes, o importante é viver o que a vida nos da, continuando a sonhar!
Um beijo doce

25 de agosto de 2009 03:28  
Blogger São disse...

Citarei aqui, como acabo de o fazer ao ZÉ, Gedeão: o sonho comanda a vida!

Bem hajas, Amigo!

25 de agosto de 2009 08:53  
Blogger O Árabe disse...

Sonha, Tina... ou não escreveria como vc escreve. Mas a verdade é que aprendemos a dimensionar os nossos sonhos. :) Boa semana, amiga!

25 de agosto de 2009 14:04  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Luma. Os ciclos em que se divide a infinita Vida. :) Boa semana!

25 de agosto de 2009 14:06  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Garça. Boa semana, amiga; muita paz! :)

25 de agosto de 2009 14:07  
Blogger O Árabe disse...

Uma alegria revê-la, ermitã amiga. Boa semana!

25 de agosto de 2009 14:07  
Blogger O Árabe disse...

... e verdadeiro, não é, Mônica? Isto é o melhor! :) Boa semana

25 de agosto de 2009 14:09  
Blogger O Árabe disse...

Todos a aprenderemos, DO. O que varia é o tempo de aprendizado! :) Abraço, boa semana.

25 de agosto de 2009 14:10  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Princesa. Boa semana!

25 de agosto de 2009 14:10  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Martha. Uma semana de paz e alegrias! :)

25 de agosto de 2009 14:11  
Blogger O Árabe disse...

Privilégio, Vanuza, é ter amigos como vocês! :) Boa semana.

25 de agosto de 2009 14:11  
Blogger O Árabe disse...

Eu acredito todos sonhamos, Bárbara, apenas dimensionamos os nossos sonhos; é assim que conseguimos viver entre eles e a realidade.
Acredito, também, que cada um tem um modo de pensar... é meditando sobre os pensamentos alheios, que alargamos cada vez mais os nossos horizontes. Por isto, é tão necessária a livre expressão! :) Boa semana.

25 de agosto de 2009 14:17  
Blogger Menina do Rio disse...

É certo que são os sonhos que nos fazem seguir adiante, ainda que não estejam ao alcance das mãos, é iportante que os tenhamos sempre em vista!

Deixo-te um beijo

25 de agosto de 2009 14:17  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Arábica; um sorriso amigo nos faz sorrir o coração. :) Boa semana!

25 de agosto de 2009 14:18  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, minha romântica amiga... é importante continuar a sonhar. Sempre! :) Boa semana.

25 de agosto de 2009 14:19  
Blogger O Árabe disse...

Pura verdade, São. Ainda bem! :) Boa semana, amiga; fica bem.

25 de agosto de 2009 14:20  
Blogger Eärwen Tulcakelumë disse...

Os sonhos são os amigos constantes, aqueles que por vezes nos sustentam os passos...
É difícil dizer qual dos teus textos mais gosto, pois cada um deles encerra uma mensagem magnífica, que nos toca a alma de forma profunda e única.
Que os Anjos da Inspiração estejam sempre contigo, meu amigo.
Pérolas incandescentes de sonho entrego em tuas mãos.

Eärwen

25 de agosto de 2009 20:36  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Menina: muitas vezes, eles formam a coragem que nos sustenta a caminhada. :) Boa semana!

25 de agosto de 2009 20:57  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Eärwen. Tenha uma boa semana, amiga, com saúde e paz! :)

25 de agosto de 2009 20:58  
Blogger Daniel disse...

Olá, sem querer achei o seu blog, e queria dizer que em dois anos que tenho meu blog essa postagem foi a mais bela de todas que eu li.

Gostei demais.
Li mais de uma vez.
Parabéns.

Vou adicioná-lo.
abs

26 de agosto de 2009 18:31  
Anonymous De... disse...

Talvez os sonhos sejam como o ar: você não pode vê-lo, não pode segurá-lo, mas existe, apesar de invisível.
E não se pode viver sem ele.

Talvez os sonhos sejam sementes...plantadas em um mundo invisível, regadas pelo nosso amor...e se mantivermos a porta do coração aberta, um dia a entrega será feita..."Pois o tempo e o espaço não existem..."

Árabe...seus textos sempre são Luz!

Grata...

26 de agosto de 2009 20:26  
Blogger JotaSP disse...

Árabe,

Não quero comentar nada______________ apenas dizer-te que li e que estive assim no teu sítio

Um abraço «««

27 de agosto de 2009 13:25  
Blogger @philipsouza disse...

as vezes vc sempre posta algo que estou precisando ler....qm nao busca seu sonho e nao procura realiza lo fica parado no tempo...omisso....e mesmos com as dificuldades devemos concretiza lo...

gostei demais...

abraçao

27 de agosto de 2009 18:14  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Daniel, pela visita e pela gentileza das suas palavras. Também gostei muito do seu blog! :) Abraço, bom fim de semana.

28 de agosto de 2009 07:28  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, De... mas é em vocês que está a luz. Os textos apenas tentam lembrar esta verdade! :) Bom fim de semana.

28 de agosto de 2009 07:29  
Blogger O Árabe disse...

E eu quero dizer-te, amigo JP, que a tua presença é sempre uma alegria! Abraço, bom fim de semana.

28 de agosto de 2009 07:30  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Philip! Confesso que fiquei feliz, em saber disso. :) Bom fim de semana, meu abraço.

28 de agosto de 2009 07:30  
Anonymous Aninha disse...

Muito perfeito o texto =)

28 de agosto de 2009 08:31  
Blogger Vieira Calado disse...

Sempre igual a si mesmo!

A coerência num estilo próprio
é uma grande virtude.

Abraço

28 de agosto de 2009 14:19  
Blogger Fa menor disse...

Gostei muito de ler...
dizem que o sonho comanda a vida mas, de facto, não todos são concretizáveis e é preciso não desesperar.

Bjos

5 de setembro de 2009 06:22  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Aninha. Boa semana!

9 de setembro de 2009 07:02  
Blogger O Árabe disse...

Grato, amigo Vieira. Meu abraço, boa semana!

9 de setembro de 2009 07:02  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Fa menor... precisamos ser dignos de realizar os nossos sonhos! :) Boa semana.

9 de setembro de 2009 07:03  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky