O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

terça-feira, 4 de setembro de 2007

SONHOS E REALIDADES

Como as ondas do mar, como os dias e as noites, os sonhos vêm e se vão.

E são eles que nos trazem a poesia de que necessitamos, para enfrentar as realidades da vida. Assim o sofrimento que nos deixam, ao findar, jamais deverá suplantar a felicidade que em nós fizeram brotar.

Chorar por um sonho que se foi é aviltar a felicidade que despertou em nós, enquanto nos fez viver em um doce mundo de ilusão.

E maldizer a pessoa a quem um dia chamamos de “amor”, é negar a própria essência do amor.

Porque o amor é, em si mesmo, o maior dos nossos sonhos. E, quando nos dispomos a sonhá-lo, devemos ter presente que o preço da sua doçura é o amargor do despertar.

Assim ocorre, em nossos caminhos. E as lágrimas de cada despertar irrigam a terra fértil do coração, para que dela possa brotar um novo sonho.

Jamais deveremos maldizer a alguém que nos deixou. Antes deve haver, em nossa alma, uma canção de gratidão, pela felicidade que um dia nos trouxe. Os nossos olhos deverão conservar a sua imagem, e os nossos ouvidos guardar a ternura que descobriram em sua voz.

Assim, perderemos a pessoa; mas jamais o amor. Ele continuará em nós, e nos fará perceber que, sempre, pode existir uma vida melhor; que a felicidade existe, e para senti-la basta abrir o nosso coração.

Não temeremos o pranto, mas o veremos como o preço do sorriso. Pois o que somos, em todos os dias, é o somatório das dores e das alegrias, das lágrimas e dos sorrisos que conhecemos em nossas vidas.

Quando a luz fria do dia fizer evaporar um lindo sonho, a noite voltará; e com ela virá um novo sonho, que mais uma vez nos aquecerá o coração. E assim será, em todos os dias em que caminharmos por este mundo.

Porque existem o céu e a terra, e é entre eles que precisamos viver. Assim, enquanto a nossa alma busca o céu, é necessário que os nossos pés estejam firmes na terra, para que a queda não faça desmoronar o nosso mundo.

É assim que eu sou. E, embora me chamem poeta, sou apenas alguém que encontrou a si mesmo; que traça o seu caminho da única forma que sabe viver.

Entre a realidade da vida e o sonho do amor...

35 Comentários:

Anonymous Olhos de Mel disse...

Nossa, Árabe! Esse é o texto mais poético que já li. Lindo como tudo que tenho lido neste blog. Eu concordo plenamente com você, mas talvez eu me negue a ficar com meus pés no chão. Eu queria viver o meu sonho e o despertar me deixa triste. Lendo você, tive a consciência disso e talvez por isso eu sofra. Realmente: não existe um mundo só de sonhos, bem como, não podemos viver sem sonhar.
Amei, viu? Beijos

5 de setembro de 2007 07:22  
Blogger Yvonne disse...

Árabe, sonhar é o que existe de melhor. O sonho não precisa nem ser realizado, basta o desejo de que se realize. Beijocas

5 de setembro de 2007 08:07  
Anonymous Márcia(clarinha) disse...

Sonhar nos motiva a seguir em frente porém a realidade nem sempre é o que buscamos nos devaneios, desejo forte sem relutar e consigo realizar, tendo como base um coração inundado de amor.
lindos dias
beijos

5 de setembro de 2007 08:15  
Blogger Carol Montone disse...

que coisa mais liiiiiiinda!!!!!!!desapego...esta palavra deveria ser sinônima de amor no dicionário...mais ainda é para muitos, inclusive para mim uma certa utopia que as vezes acontece......como estrelas cadentes e visitas de ets...grande beijo
adorei
Carol Montone

5 de setembro de 2007 10:11  
Blogger Whispers disse...

Ola meu poeta lindo!


voltei!!

vim a correr te ver pq as saudades das tuas palavras sao tantas

que tenhas uma semana de amores de mil cores:)

beijinhos
Whispers

5 de setembro de 2007 11:38  
Blogger Menina do Rio disse...

Não há como não se render a estas palavras. O amor está em nós, ainda que outro o desperte e depois faça chover lágrimas de irrigação...
Meu beijo

5 de setembro de 2007 14:29  
Blogger Mônica Montone disse...

também acho que jamais devemos maldizer as pessoas :o)

beijos, querido

MM.

ps: meu post de hoje também fala de sonhos; engraçado isso.....

5 de setembro de 2007 17:53  
Blogger Ane Brasil disse...

"(...)E maldizer a pessoa a quem um dia chamamos de “amor”, é negar a própria essência do amor. (...)"
Tá aí, concordo em gênero, n° e grau!
E o que seria dessa vida louca nesse mundo cão se não fossem os sonhos?

sorte e saúde pra todos - e pra você, bons sonhos!

6 de setembro de 2007 05:31  
Blogger O Árabe disse...

Olhos de mel, realmente o despertar é o tempo da tristeza. Por sorte, é apenas o hiato entre os sonhos... ;)

6 de setembro de 2007 07:40  
Blogger O Árabe disse...

Bem colocado, Yvonne. Conheço pessoas que compram bilhetes de loteria apenas para terem o direito de sonhar... ;)

6 de setembro de 2007 07:41  
Blogger O Árabe disse...

Isso, Clarinha: toda realização, no início, foi apenas um sonho... ;)

6 de setembro de 2007 07:41  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Carol. Volte sempre... o oásis é nosso!

6 de setembro de 2007 07:42  
Blogger O Árabe disse...

Infelizmente, Whispers, "lindo" é um adjetivo que não mereço. Mas credito a gentileza à conta da amizade, e agradeço.:) Bom ver você de volta!

6 de setembro de 2007 07:46  
Blogger O Árabe disse...

Verdade, Menina. É entre a chuva das lágrimas e o sol dos sorrisos que os sentimentos brotam em nosso coração. :)

6 de setembro de 2007 07:47  
Blogger O Árabe disse...

A verdade, Mônica, é que as maldições são como pedras atiradas para o alto: sempre caem sobre quem as lança!... ;) Belo, o seu post...

6 de setembro de 2007 07:50  
Blogger O Árabe disse...

Ane, obrigado. E que tenhamos bons sonhos, sim... afinal, são eles que nos motivam para a vida! :)

6 de setembro de 2007 07:51  
Blogger burro disse...

É bom teres-te encontrato e viveres a tua vida à tua maneira.

6 de setembro de 2007 08:10  
Blogger Olhos de mel disse...

Passando pra deixar beijinhos com votos de um fim de semana feliz!
Bom feriado!

6 de setembro de 2007 19:27  
Blogger Mary Lamb disse...

Eu quero as duas coisas. A realidade e o sonho. Pode ser?

Sai uma noite de luar para a mesa do canto!

beijos

7 de setembro de 2007 18:36  
Blogger Luz&Amor disse...

Olá amigo. Serei repetitiva se dizer que o texto é maravilhoso? (de novo). rsrsrsrs
Porque será que sempre é mais fácil se apegar a tristeza que a felicidade? Bem como o tempo presente quase sempre não nos diz nada, a não ser quando já é passado. Lembramos que fomos felizes um dia e esquecemos sempre de sondar o presente. Será que colocamos os nossos sonhos distantes demais?
Deixo-te pensando... Algo aqui me inquietou.
Beijos e bom findi semana.
Bjs

8 de setembro de 2007 06:28  
Blogger O Árabe disse...

Caro amigo de além-mar, burro não me pareces, ao menos na acepção brasileira... até pelo acerto do comentário! ;) Nada melhor do que encontrar a si mesmo...

8 de setembro de 2007 06:43  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Olhos de mel. Também te desejo um feliz final de semana... bem o mereces!

8 de setembro de 2007 06:45  
Blogger O Árabe disse...

Elas se alternam, Mary. Eis que sempre encontraremos a realidade ao nascer do sol e o sonho nas noites de luar. Ainda bem, não? :)

8 de setembro de 2007 06:47  
Blogger O Árabe disse...

Luz, eu também tenho essa dificuldade, sempre que vou comentar os seus textos... felizmente!;) E você tem razão: passado e futuro sempre nos aparecem com cores mais belas... até porque sobre eles podemos fantasiar.:) Bom fim de semana, cara amiga

8 de setembro de 2007 06:50  
Blogger Susana Jas disse...

Arabe,

Acabei me detendo na parte em que voce diz que nao devemos maldizer quem nos deixou porque negarem,os a essencia do amor...
Olha so' o que diz a poeta Sophia de Mello-Breyner:
"E de novo acredito que nada do que e' importante se perde verdadeiramente. Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Nao perdi nada, apenas a ilusao de que tudo podia ser meu para sempre."

Um grande abraco e uma boa semana,

Susana

9 de setembro de 2007 11:58  
Anonymous ©õllyß®y disse...

Belo texto poetico do sonho, que ele se torne uma realidade...

Doce beijo

10 de setembro de 2007 09:08  
Blogger Olhos de mel disse...

Oie Árabe! Passando pra deixar beijinhos e votos de uma semana feliz!

10 de setembro de 2007 15:31  
Blogger gata disse...

Felizmente não há fronteiras entre a realidade da vida e o sonho do amor. Muitas vezes as duas coisas se conjugam....nem sempre se enlaçam para sempre, mas encontram-se e afastam-se...como uma dança de finos véus de seda, sob o vento fresco das noites do deserto....

Beijo de gata.
Excelente semana.

10 de setembro de 2007 17:39  
Blogger O Árabe disse...

E é a pura verdade, Susana: sentimentos e experiências sempre nos acrescentam. Nada perdemos, senão a ilusão de que algo poderia ser nosso, para sempre...

10 de setembro de 2007 20:56  
Blogger O Árabe disse...

Collybry, este é o nosso maior problema: quando um sonho se realiza, a ilusão se esvai... ;)

10 de setembro de 2007 20:57  
Blogger O Árabe disse...

Olhos de mel, obrigado pelos votos... que retribuo, de coração!

10 de setembro de 2007 20:58  
Blogger O Árabe disse...

gata, bela metáfora: "finos véus de seda, sob o vento fresco das noites do deserto..."; Bela, e verdadeira!

10 de setembro de 2007 20:59  
Blogger Ovelha Branca disse...

Os sonhos podem tronar-se realidade, se quisermos mesmo.
Parabens

13 de setembro de 2007 13:11  
Blogger O Árabe disse...

Ovelha, só hj vi o teu comentário... desculpa-me a demora da resposta, sim? E estás certa: precisamos ir à luta, para realizar os nossos sonhos!

20 de setembro de 2007 06:13  
Anonymous Anônimo disse...

Obrigado por Blog intiresny

20 de novembro de 2009 00:56  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky