O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

DE PENSAMENTOS E PALAVRAS


Acreditais que as palavras se percam ao vento?

Abandonai esta ilusão. Quantas vezes ouvistes palavras que ficaram gravadas em vossa memória e em vossa alma? Algumas foram luminosas como estrelas, e outras foram gotas de escuridão.
  
Por isto, pesai bem o que dizeis. Porque as palavras têm asas próprias e, depois que deixam os vossos lábios, não as podeis controlar; nem evitar as suas consequências em vossas vidas.
Porque as palavras podem ser como o fogo que, uma vez ateado, não se detém até reduzir a um deserto calcinado e árido o solo antes fértil, onde desfrutáveis de sombras amigas e doces frutos.
Sim; e as palavras são como a água que, enquanto contida pela represa, gera a energia de que necessitais e aplaca a vossa sede; mas, quando liberta sem controle, a tudo arrasa em seu curso.
Meditai sobre o que vos digo. E vereis que há palavras que confortam e acariciam, recuperando as forças de uma alma ferida e unindo corações, em um afeto profundo, sincero e duradouro.
Mas existem, também, palavras que cortam como afiados punhais. E estas separam amantes, desfazem amizades, provocam feridas que nem o passar do tempo será capaz de fazer cicatrizar.
Há palavras que constroem; que edificam religiões e sentimentos, que podem mudar para melhor o curso de uma vida. Mas também há aquelas que destroem pessoas, reputações e esperanças.
Há palavras que são como o rouxinol, cujo canto mavioso encanta os vossos ouvidos; mas há também aquelas que são como o abutre, sempre pronto a dilacerar a presa incauta e indefesa.
Lembrai-vos, porém, de que a um e outro podeis manter na gaiola; é a vós que pertence a decisão de a qual ireis libertar. Porque a gaiola são os vossos lábios e escolheis as palavras que direis.
Pesai bem, portanto, as vossas palavras. Guardai-vos de mentir e ofender; de desmerecer, desanimar e diminuir aqueles que vos cercam. Escusai-vos de julgar e proferir as vossas sentenças.
Cultivai, em vossos corações, os melhores sentimentos; porque as palavras são a expressão do que está em vós, e assim mais fácil vos será distribuir sempre, ao vosso redor, as melhores palavras.
Abrigai em vós o amor e não pronunciareis palavras de ódio; professai o perdão e não usareis palavras de ira e vingança; abraçai a humildade e não vos acudirão palavras de inveja ou arrogância.
Alijai de vossa alma o preconceito e esquecereis as palavras de discriminação; praticai a tolerância e não oferecereis palavras de irritação; entregai-vos à fé e não pregareis a descrença.
Vigiai os vossos pensamentos e as vossas atitudes; esta é a melhor forma de vigiardes as vossas palavras e seguirdes em paz, cercados pelo carinho e pela amizade de vossos irmãos.
Que vos ajudarão a percorrer os vossos caminhos. 


Música: 
http://ohassan.dominiotemporario.com/midis/emiliepandolfi_ebbtide.mid 

15 Comentários:

Blogger Olhos de mel disse...

Muitas vezes, Árabe, não são as palavras, mas, as atitudes, que dizem muito mais. Em geral é assim; e deveríamos, de fato, observar atitudes e palavras.
Belo post! Bom fim de semana! Beijos

2 de dezembro de 2016 17:12  
Blogger São disse...

As palavras têm uma tremenda força e jamais se apagam no pó nem são levadas pelo vento.

Swami, grande abraço

4 de dezembro de 2016 12:22  
Blogger CÉU disse...

Olá, querido amigo!

Seu texto está impregnado de verdade.
As palavras são importantíssimas, mas cuidado, é preciso saber escolhê-las, pke umas há k beijam, outras, k mordem.

Abraço e boa semana.

4 de dezembro de 2016 16:28  
Blogger Mariazita disse...

Amigo Árabe
Tenho estado doente; hoje é o primeiro dia que ligo o computador desde ter-feira passada (faz amanhã uma semana, precisamente). Felizmente já estou melhor, e o que falta para ficar completamente bem... há-de chegar :))) E, pelo menos, já vai dando para agradecer as visitas entretanto recebidas.

Mais um excelente texto, pleno de verdades incontestáveis.
A palavra tem uma força inaudita, e pode, ao mesmo tempo, acariciar e vergastar, dependendo do tom em que é proferida.
Por ser assim tão poderosa tem que ser usada com parcimónia e muito senso.

Votos de uma semana muito feliz.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

5 de dezembro de 2016 10:02  
Blogger Maria Luzia Araújo disse...

É árabe,seu texto merece uma reflexão de minha parte, por ser uma pessoa muito franca, muitas vezes a franqueza maltrata muito, infelizmente! Maravilhosa semana pra você e um abração.

5 de dezembro de 2016 11:43  
Blogger Zilani Célia disse...

OI ÁRABE!
TEMOS RESPONSABILIDADES COM O QUE FALAMOS POIS A PALAVRA CONSTRÓI, MAS DE FORMA DEVASTADORA, TAMBÉM DESTRÓI E APÓS LANÇADA, NÃO HÁ COMO RETORNAR.
LINDO TEXTO.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

6 de dezembro de 2016 12:03  
Blogger Ailime disse...

Boa tarde meu Amigo e bom Árabe,
Um texto recheado de pérolas como só o meu amigo nos sabe presentear.
A palavra que usamos para comunicar e que tantas vezes provoca em quem a profere e a quem é dirigida desconforto e tantas inimizades, mágoas e tantas outras situações… E há aquelas que como disse e é bem verdade são desferidas que nem punhais e que ferem tanto...
Na nossa vida (quem já não proferiu alguma palavra menos adequada) temos acima de tudo de usar de boa educação e carinho para com os outros. Palavras que não magoem o outro usando a tolerância, o perdão como de forma sublime aqui resume:
«Vigiai os vossos pensamentos e as vossas atitudes; esta é a melhor forma de vigiardes as vossas palavras e seguirdes em paz, cercados pelo carinho e pela amizade de vossos irmãos. Que vos ajudarão a percorrer os vossos caminhos».
Obrigada por mais este excelente momento de reflexão.
Beijinhos, amigo, desta vez já com atraso, aproveito para lhe desejar um óptimo fim de semana.
Ailime

(A música é linda!).

8 de dezembro de 2016 11:12  
Blogger O Árabe disse...

Verdade, Olhos de Mel. Como negar, entretanto, que muitas palavras magoam ou confortam tanto, que jamais são esquecidas? Obrigado, bom fim de semana!

9 de dezembro de 2016 13:09  
Blogger O Árabe disse...

Isso, São! E essa é uma verdade de que precisamos ter consciência, pois todo o tempo nos dirigimos àqueles que nos cercam. Meu abraço, amiga; bom fim de semana.

9 de dezembro de 2016 13:12  
Blogger O Árabe disse...

Exatamente como você disse, Céu: as que beijam e as que mordem! :) Obrigado, bom fim de semana.

9 de dezembro de 2016 13:13  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Mariazita; espero que logo estejas inteiramente bem, amiga! E concordamos: usar as palavras com parcimônia e muito bom senso! Bom fim de semana.

9 de dezembro de 2016 13:15  
Blogger O Árabe disse...

A franqueza é uma qualidade admirável, Maria Luzia; na maior parte das vezes, amiga, o que magoa não é o que dizemos, mas como o dizemos. :) Obrigado, bom fim de semana.

9 de dezembro de 2016 13:16  
Blogger O Árabe disse...

Verdade, Zilani. Um sábio provérbio diz que quatro coisas não retornam: A pedra atirada, a palavra dita, a ocasião perdida e o tempo passado. Simples assim, não? Obrigado, amiga; bom fim de semana.

9 de dezembro de 2016 13:20  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Ailime, pela amizade e gentileza. Sempre encontro carinho e alento nas suas palavras, amiga! Bom fim de semana.

9 de dezembro de 2016 13:22  
Blogger Fá menor disse...

Há palavras que geram vida e há palavras que matam... cabe-nos saber discernir de entre os nossos pensamentos e emoções para que não lancemos da boca para fora palavras destrutivas (mas nem sempre é fácil).
Muito grata pela pertinente reflexão.

15 de dezembro de 2016 11:31  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky