O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

domingo, 28 de outubro de 2007

O TEMPO

O que fazeis do vosso tempo?

Não sabeis, acaso, que é ele o vosso capital mais precioso, o único que não podeis repor?

Credes poder recuperar o minuto passado? Podeis voltar ao dia de ontem? E não vedes que, à medida que o tempo escorre, mais se aproxima a nova viagem?

Não; decerto, não o sabeis.

Ou não trataríeis tão levianamente o vosso tempo.

Eis que procurais um trabalho, para que possais ganhar o vosso sustento; para que a vossa família tenha o teto e o alimento. E tanto vos escravizais a ele, que não vos sobra tempo para aproveitar a vossa vida.

Ou vos entregais a jogos, a que chamais “passatempos”. E neles gastais o vosso tempo.

Ou, ainda, vos aborreceis por motivos insignificantes. E no aborrecimento gastais os momentos em que poderíeis ser felizes.

Deixai que eu vos diga: não deveis desperdiçar o vosso tempo. Ou dia virá em que vos arrependereis; e nada podereis fazer, porque tereis gasto quase todo o vosso tempo.

Em verdade, é do erro que nasce a sabedoria.

De que, entretanto, valeria a sabedoria, se não pudesse consertar os erros da ignorância? Acaso vos adianta apagar o incêndio, depois que tenha consumido os vossos bens?

Prezai o vosso tempo.

E aprendei a dividi-lo, para que vos possa ser útil. Assim, reservai o tempo para o vosso trabalho; e, também, para que possais cultivar os vossos sentimentos e o vosso lazer.

Pois, assim como as flores não existiriam sem as raízes, também o homem não existe sem o seu verdadeiro Eu. E não podereis encontrá-lo, se não cultivardes o que vos fala ao coração.

Entretanto, que não vos preocupe o tempo.

Porque, assim como todas as dádivas que vos concede o Pai, o que tendes é o que vos é necessário.

Preocupai-vos, sim, com o uso que dele fazeis. Pois não é sábio aquele que desperdiça as provisões de que necessita, apenas porque as recebeu.

Buscai, portanto, apenas viver.

Trabalhai, amai e descansai. Deixai que o tempo corra, e vos traga novos dias e novas noites.

É assim que escapareis ao tempo: descobrindo o que, em vós, existe na Eternidade:

o vosso verdadeiro Eu.

O texto é do livro Hassan, e a ilustração do site 1000 imagens. De coração, agradeço à amiga Whispers pelos selinhos que, mais uma vez, conferiu a este blog e com todos vocês reparto esses prêmios. Afinal, sem vocês não existiria o nosso oásis...

51 Comentários:

Anonymous Olhos de Mel disse...

Oie Árabe! O tempo é o senhor da razão, mas não se pode, olhar um lado só da vida, quando ela nos apresenta tantos, para serem vividos com intensidade!
O racional e lógico tem que se aliar ao emocional, para que a vida tenha sentido.
Mas um texto com sabedoria, beleza e doçura!
Que sua semana seja de realizações e felicidades!
Beijos

28 de outubro de 2007 22:24  
Blogger tagarelas-miamendes disse...

O Tempo! Sem duvida um bem precioso. O Tic-Tac que nos conduz.
Gosto muito do seu blog. Sem duvida um Pensador! Raca em extincao!
Parabens!

29 de outubro de 2007 00:15  
Blogger Yvonne disse...

Árabe, os gregos estavam certos quando compararam o tempo com o deus Cronos que tudo devora. Nada resiste ao tempo.

Esse texto foi de uma grande sabedoria e eu gostei muito porque me fez refletir.

Beijocas

29 de outubro de 2007 05:32  
Blogger Carol disse...

Na verdade, todos falamos muito do tempo, mas acabamos por o desperdiçar com coisas/ pessoas/ momentos fúteis.
Por vezes só percebemos a sua real dimensão quando já é tarde demais!

29 de outubro de 2007 14:37  
Blogger Mary disse...

Lindo texto meu querido amigo.O tempo é mesmo a peça mais importante pra nós seres humano,só que não sabemos aproveitar este bem precioso que temos.As vezes até reclamamos dele e esquecemos que ele nos ajuda em tudo.
beijão meu amigo

29 de outubro de 2007 17:21  
Anonymous Márcia(clarinha) disse...

E o que é nosso verdadeiro eu senão nosso rascunho?
dias lindos,poeta
beijos

29 de outubro de 2007 18:02  
Blogger . disse...

Venho agradecer as palavras de incentivo...

Na madrugada, inspiro- me no som do silêncio...

Amanhã voltarei para ler os ensinamentos de Hassam

Beijos da

Maria Valadas

29 de outubro de 2007 20:26  
Blogger Palavras ao vento disse...

Não resisti... e tive que ler agora todo o texto.

Mais uns momentos para meditar...

Bem hajas... meu àrabe!

Beijos da

Maria valadas

29 de outubro de 2007 20:45  
Blogger Luz&Amor disse...

Não resisti...
Deixo-te aqui a Oração do Tempo-cantada por Caetano Veloso.

Es um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo tempo tempo tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo tempo tempo tempo

Compositor de destinos
Tambor de todos os ritmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo

Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo

Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que te digo
Tempo tempo tempo tempo

Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo

De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo

O que usaremos pra isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo

E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo

Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo

Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo
Tempo tempo tempo tempo

Como sempre, teus textos maravilhosos nos fazendo pensar. Desculpe-me por tamanho comentário e obrigada por teu carinho comigo. És um grande amigo que o "tempo" cada dia mais reafirma. Beijos e uma excelente semana à ti.
Bjs

30 de outubro de 2007 03:06  
Blogger Adriana disse...

Tempo, tempo, tempo, a gente vive correndo contra ele né.....e como está passando rápido o tempo....precisamos aproveitar cada momento, pq realmente é algo que não volta atrás
Bjs

30 de outubro de 2007 03:25  
Blogger sveronica disse...

E ao tempo é dado o tempo de escorrer em vida antes que chegue a morte, porque o tempo se faz sempre no momento presente.

Beijos

30 de outubro de 2007 04:20  
Anonymous Magui disse...

Belo texto defendendo uma tese.Mas não precisamos , necessáriamente, pensar igual, certo?

30 de outubro de 2007 04:49  
Blogger pentelho real disse...

As coisas maravilhosas que aqui transcreveis.Na teoria, até eu sei isso, mas não consigo pôr em prática.

30 de outubro de 2007 05:10  
Blogger Vieira Calado disse...

Obrigado pelas suas palavras no meu blog.
Quanto a este belo texto sobre o tempo, devo dizer-lhe, a propósito, que tenho um poema inédito chamado
NU TEMPO, de 75 páginas, que começa assim:

Comentar o tempo, a sedução dos seus atributos,
as flores presumíveis e os sedimentos do abismo,
o abismo dos seus atributos e dos seus adornos,
é contemplar a nossa própria ideia de tempo,
comentar a utopia de referenciar os seus limites
no mesmo incêndio de antes e depois das chuvas.

Esta é 1ª estrofe.

Um abração.

30 de outubro de 2007 05:50  
Blogger Sol da meia noite disse...

Belíssimo!
O tempo... algo em que ninguém mexe.
Nem reduz, nem aumenta, nem pára, nem acelera...
Apenas ou aproveita, ou desperdiça.

Beijinhos!

30 de outubro de 2007 11:58  
Blogger NINHO DE CUCO disse...

O tempo é um bem que, uma vez perdido, jamais se recupera. Mas o tempo é mais que tempo. É um mestre e um curandeiro. Às vezes também um juiz e um carrasco.Franco Ferrarotti diz que a história das emoções é a história dos advérbios de tempo. Eu acrescentaria aqui: e de lugar onde. Porque o tempo tem diferentes ritmos em diferentes contextos. Porque o tempo não admite subornos nem se detém perante os poderosos.

30 de outubro de 2007 12:02  
Blogger SILÊNCIO CULPADO disse...

O tempo é irreversível. Cada coisa na vida tem o seu tempo e uma vez passado o tempo perdeu-se a oportunidade do que ficou atrás. Por isso eu entendo que nós todos deveriamos representar os bens que possuímos como se os tivéssemos perdido. Porque só depois de perdermos conseguimos dar valor às coisas que tivémos.
Belissímo post, como sempre.

30 de outubro de 2007 12:05  
Blogger São disse...

O tempo é infinito, talvez mesmo a única coisa que não se esgota.
E não era Pessoa a lembrar o prazer de não ter nada a fazer?
è bom apreciar o tempo por ele mesmo...
Saudações!

30 de outubro de 2007 12:24  
Blogger Tina disse...

O tempo: com certeza temos que prezá-lo e não desperdiçar os preciosos momentos que nos oferece: estes, não voltam.

beijos querido amigo e obrigada pelo carinho constante. Faz toda a diferença.

30 de outubro de 2007 15:47  
Blogger Renata disse...

Me considerarei uma pessoa sábia o dia que souber lidar com o tempo do Tempo...

bjos!!!!

30 de outubro de 2007 17:34  
Blogger De disse...

Buenas :o)

Seja bem-vindo ao meu cantinho e sinta-se em casa.

Sobre o tempo... pois bem, eu creio que quando nos materializamos, quando do nosso "nascimento", recebemos dois presentes: o nosso corpo físico e o tempo.
Ambos são governados por nós, conforme o nosso livre-arbítrio e somos os responsáveis por esta equação: o que fazemos (ou não) com o tempo que temos (e desconhecemos) enquanto estamos aqui, "vivos".
Por conta disso, deficiências ou limitações físicas são importantes para aqueles que valorizam a matéria, enquanto que virtudes e defeitos morais são os reais problemas daqueles em evolução espiritual.
À César o que é de César :o) e por conta disso, como costuma SEMPRE me lembrar a minha mãe: quem ama o feio, bonito lhe parece!

Abraços e ótima semana.

Denise

30 de outubro de 2007 19:07  
Blogger O Árabe disse...

Tagarelas, pensamento correto... e bem expresso. Nada tagarela, eu diria! :) Obrigado e volte sempre... o oásis é nosso!

30 de outubro de 2007 19:17  
Blogger O Árabe disse...

Com certeza, Yvonne, pouca coisa existe que resista ao tempo... até os sentimentos a ele se amoldam. :) Obrigado pela lisonjeira opinião, boa semana.

30 de outubro de 2007 19:18  
Blogger O Árabe disse...

É por aí, sim, Carol. Gastamos inutilmente o nosso tempo... o único capital que não podemos repor! :(

30 de outubro de 2007 19:19  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, amiga Mary... e você tem razão, sim: o tempo tudo altera, mas não o podemos pegar de volta... ;)

30 de outubro de 2007 19:21  
Blogger O Árabe disse...

Boa pergunta, Clarinha! E esse rascunho não seria algo que precisamos passar a limpo? :) Linda semana, amiga!

30 de outubro de 2007 19:23  
Blogger O Árabe disse...

Olhos de Mel, é por aí sim. Mas o pior é que não aprendemos a usar o nosso tempo... ;) Boa semana, com muitas realizações!

30 de outubro de 2007 19:24  
Blogger O Árabe disse...

Maria, amiga, mui grato te sou pela gentileza! E que o silêncio te inspire, sim, para que nos tragas outros belos poemas!

30 de outubro de 2007 19:26  
Blogger O Árabe disse...

Conheço a música, Josse... é linda, sim! Fico feliz em ver-te bem... não te dizia eu que o tempo sempre nos traz um novo sorriso? Boa semana, amiga!

30 de outubro de 2007 19:28  
Blogger O Árabe disse...

É isso, Adriana: ele não volta... e, entretanto,o desperdiçamos loucamente. ;)

30 de outubro de 2007 19:29  
Blogger O Árabe disse...

É isso, Verônica: a cada momento, determinamos o que será o resto do nosso tempo... ;)

30 de outubro de 2007 19:31  
Blogger O Árabe disse...

Não, Magui, com certeza! Dizem, aliás, que a amizade é a arte de respeitar os pensamentos diferentes, para que se completem... :)

30 de outubro de 2007 19:32  
Blogger O Árabe disse...

Acredite, cara princesa: às vezes, eu também não. Mas tento, sempre! :)

30 de outubro de 2007 19:39  
Blogger O Árabe disse...

Pela primeira estrofe, amigo Vieira, já se percebe a beleza do poema. Mas não poderia ser diferente, sendo da tua lavra!:) Grande abraço.

30 de outubro de 2007 19:41  
Blogger O Árabe disse...

É isso, amiga Sol. Pena que, na maioria das vezes, o desperdiçamos...

30 de outubro de 2007 19:42  
Blogger O Árabe disse...

Grande verdade, amiga Ninho de Cuco: a relatividade do tempo. Ele parece eternizar-se nas dores, e voar quando somos felizes...

30 de outubro de 2007 19:44  
Blogger O Árabe disse...

Grato pela gentileza, amiga Silêncio Culpado... e o teu, realmente, é um belo pensamento. Se pensarmos que cada dia pode ser o último de nossas vidas, decerto aproveitaremos melhor o nosso tempo!

30 de outubro de 2007 19:49  
Blogger O Árabe disse...

São, com certeza há coisas que devemos apreciar por elas mesmas. Como o tempo, a vida e um momento de felicidade...

30 de outubro de 2007 19:51  
Blogger O Árabe disse...

É isso, Tina: aprendemos a valorizar o tempo, à medida que ele transcorre... ;) Quanto ao carinho, amiga, não agradeça: você bem o merece!

30 de outubro de 2007 19:53  
Blogger O Árabe disse...

Acho que todos nós o seremos, Renata... mas é tão difícil tirar um pouco do nosso tempo, para percebermos a importância do tempo! :)

30 de outubro de 2007 19:54  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Denise, pela gentileza e pelo comentário. E saiba que concordamos inteiramente, inclusive quanto ao livre arbítrio...

30 de outubro de 2007 19:57  
Blogger São disse...

Sou eu de novo para te presentear com um desafio, por isso se quiseres e puderes passa pelo saobanza, sim?
Shalom!

31 de outubro de 2007 06:27  
Blogger Entre linhas... disse...

O tempo é das "peças" mais importantes,pois tem várias facetas e aplicações,no seu todo torna-se multifacetado.
Bjs Zita

31 de outubro de 2007 13:15  
Blogger luma disse...

Árabe, o tempo existe? Dizem que é imposição do homem. Eu mesma não conheço ele! (rs*) BEijus

31 de outubro de 2007 14:21  
Anonymous Katia disse...

Sabe, moço.
Há muito eu determinei minha não-preocupação com o tempo, indiferente se ele me leva muito ou não, me assusta ou me assalta muito ou não.
Tenho perseverado. Se eu deixo na mão dele ou penso-o em excesso, já me fatiga os segundos em que paro para pensar nisso.
Me fez lembrar o quadro clássico do Dalí, "persistência da memória".

31 de outubro de 2007 21:08  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado pela confiança, amiga São, e tentarei atender na próxima postagem... paciência, sim?

1 de novembro de 2007 05:24  
Blogger O Árabe disse...

E entre as suas facetas, vivemos, amiga Entre Linhas. São as entrelinhas da nossa vida... ;)

1 de novembro de 2007 05:26  
Blogger O Árabe disse...

Conhece, Luma: é a sombra dele que vemos no espelho, à medida que os anos passam... :) Mas não pensar nele é a forma correta de viver... isso é certo! ;)

1 de novembro de 2007 05:27  
Blogger O Árabe disse...

Essa é a forma certa de viver, Kátia. Mas, acredite, torna-se mais difícil adotá-la, à medida que o tempo transcorre... :)

1 de novembro de 2007 05:30  
Blogger Olhos de mel disse...

Árabe! Passei pra lhe ver e desejar um bom feriado!
Beijos

1 de novembro de 2007 19:34  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Olhos de Mel, e saiba que lhe desejo o mesmo. Apesar de um dia com conotações de luto, feriado sempre é feriado. Bom fim de semana!

1 de novembro de 2007 21:07  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky