O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 6 de março de 2009

O OCEANO E O TEMPO

Fazei, às vossas esperanças, como fazeis às vossas plantas.

Pois a umas e outras precisais enterrar bem fundo as raízes, para que não as arranque o primeiro vento de inverno, ou o primeiro desencanto. E do vosso cuidado dependerá que belas flores possam surgir dos tímidos botões.

Comportai-vos, na vida, como no oceano se comporta o barqueiro prudente.

Que tem a humildade de ancorar o seu barco, na noite escura, até que volte o sol a iluminar a sua rota; enquanto o insensato desafia as vagas do destino, durante a escuridão da noite tempestuosa.

Porque o grande general não é aquele que luta todas as batalhas, mas o que melhor se posiciona com as armas de que pode dispor. E melhor vos saberá o fruto suculento de amanhã, do que o hoje prematuramente colhido.

Não é o tempo que rege as vossas vidas. A escolha é um direito que recebeis do Universo.

Entretanto, se é vossa a escolha, vossa é a responsabilidade por tudo aquilo que ela vos possa trazer. E, se não vos é possível comandar o tempo, bem podeis utilizá-lo a vosso favor.

Aprendei, portanto, a vencer a urgência que vos domina. Pois o sol retorna em todos os dias; como a onda, que agora vos afasta do porto, é a mesma que a ele vos levará, tão logo se altere a maré.

Eis que vos escravizais ao tempo, desde que aprendestes a marcar a sua passagem. E o relógio, que deveria tornar mais fácil a vossa vida, tornou-se o vosso senhor. Como o amor, que vos deveria trazer a felicidade, é a causa dos vossos piores sofrimentos.

Entretanto, não é das horas que sois escravos; mas dos vossos hábitos. Como não é o Amor que vos faz sofrer, mas as imperfeições que existem em vós. E sufocam o Amor, que vos libertaria, no egoísmo que vos aprisiona.

É assim que sois. Para vós, o medo de sofrer é doloroso como o próprio sofrimento; e tanto vos angustiais com o temor da partida, que não vos é dado desfrutar das alegrias da estada. Embora de nada possam valer as vossas angústias, diante do sofrimento e da partida.

Aprendei, portanto, que a Vida é como um oceano. E nada vos cabe, senão dirigir o vosso barco da melhor forma que vos for possível. Porque não podeis deixar de fazer-vos ao mar, ou enfunar as vossas velas, por temer as intempéries que decerto cruzarão a vossa rota.

Lembrai-vos, entretanto, que é inútil reclamar da tempestade que vos alcança. Cuidai, sim, de recolher as vossas velas, antes que as arrebate o vento furioso; é assim que elas vos poderão servir, amanhã.

À brisa suave de um novo dia.

56 Comentários:

Blogger Eärwen Tulcakelumë disse...

Querido O Árabe,

“...E, se não vos é possível comandar o tempo, bem podeis utilizá-lo a vosso favor....”
Mais uma maravilhosa lição aqui aprendo. Por certo que devemos ser um navegante atento as mensagens cifradas do tempo. Devemos tentar fazer dele nosso aliado, aprendendo as lições do caminho. Tuas palavras sempre são um bálsamo para os corações que buscam o conhecimento. Felizes somos por te-lo com amigo.
Pérolas incandescentes de tempo de luz entrego em tuas mãos.

Eärwen

7 de março de 2009 17:39  
Blogger alex disse...

Querido Amigo
as Tuas
palavras
são como punhais
ou gotas de orvalho
apenas
cada uma um mar
juntas um
oceano
Aqui me banho
um beijo

8 de março de 2009 11:22  
Blogger FERNANDA & POEMAS disse...

OLÁ QUERIDO ÁRABE, MARAVILHOSO TEXTO ... MAIS UMA VEZ UMA BELA LIÇÃO DE VIDA...DESEJO-TE UMA BOA SEMANA... DEIXO-TE UM GRANDE ABRAÇO DE AMIZADE,
FERNANDINHA

8 de março de 2009 11:31  
Anonymous Cöllyßry disse...

O tempo que a esperança renova a cada dia, queiram assim a Humanidade...


...._.;_“.-._
...{`--..-.“_,}
.{;..\,__...-“/}
.{..“-`.._;..-“;
....`“--.._..-“
........,--\\..,-“-.
........`-..\(..“-...\
...............\.;---,/
..........,-““-;\
......../....-“.)..\
........\,---“`...\\
....._.;_“.-._ Com estima e amizade, terno beijo

8 de março de 2009 12:19  
Anonymous Olhos de Mel disse...

Árabe, uma bela mensagem de humildade, esperança e fé! Creio que são bases para vida.
Se a escolha do caminho nos pertence, a responsabilidade dessa caminhada também, Portanto, ninguém pode ser culpado pelos pedras do percurso.
Boa semana! Beijos

9 de março de 2009 06:24  
Anonymous DO disse...

Que mensagem,hem ARABE!!!
Daquelas que a gente nem tem o que acrescentar.

Abração!!

9 de março de 2009 10:54  
Anonymous Beatriz disse...

"Aprendei, portanto, que a Vida é como um oceano. E nada vos cabe, senão dirigir o vosso barco da melhor forma que vos for possível. Porque não podeis deixar de fazer-vos ao mar, ou enfunar as vossas velas, por temer as intempéries que decerto cruzarão a vossa rota."

Que grande verdade, amigo!

Fica uma rosa azul perfumando o carinho que te deixo no coração!

9 de março de 2009 16:43  
Blogger Menina do Rio disse...

Intenso! Uma verdadeira reflexão. Envolvente e verdadeiro!

Um beijo pra ti, Arabe!

10 de março de 2009 04:56  
Blogger São disse...

Mais uma bela e sensata lição, meu amigo.
Bem hajas!

10 de março de 2009 05:19  
Blogger Carmem disse...

Muito...muito bom!
Sempre me sinto fortalecida ao ler teus textos...

Obrigada pelo carinho...Juliana tbm agradece!

Beijo

10 de março de 2009 06:07  
Anonymous Luisa Paula disse...

A Paz que se sente neste blog é sem duvida um caminho a percorrer...
Beijinho grande

10 de março de 2009 07:26  
Blogger . fina flor . disse...

tô tentando aprender:

Porque o grande general não é aquele que luta todas as batalhas, mas o que melhor se posiciona com as armas de que pode dispor

beijos, querido e boa semana

MM.

10 de março de 2009 08:46  
Blogger Carla disse...

que bela comparação...boa esta brisa de esperança
beijos

10 de março de 2009 08:59  
Blogger VANUZA PANTALEÃO disse...

Oi, amigo!
Lição de sabedoria, mesmo em mares encapelados...

Nova postagem no final da semana, não tenho condições de mudar, por enquanto.

Uma maravilhosa semana!!!Bjs

10 de março de 2009 12:11  
Blogger Vieira Calado disse...

Sábio.

Eu diria:

O oceano do tempo.

Mas está bem assim.

Um grande abraço.

10 de março de 2009 15:37  
Blogger SILÊNCIO CULPADO disse...

Árabe

Viver sabiamente não é para qualquer um.
As paixões são más conselheiras embora sem elas não haja vida em plenitude.
Até que ponto conseguimos ser loucos e dosear a loucura?
Só neste equilíbrio a esperança é um porto de abrigo e ao mesmo tempo a força que nos impele.

Abraço

10 de março de 2009 15:47  
Blogger Benó disse...

Regressaste bem e os conselhos cheios de sabedoria encantam-nos.

Continuação duma boa semana, meu amigo.

10 de março de 2009 17:50  
Blogger Maria Valadas disse...

Querido O Árabe,

É um bálsamo ler cada ensinamento teu.
Procuro nas tuas palavras sábias,o refúgio para abrigar a minha alma
tumultuosa...

Mas, a aluna segue atentamente os ensinamentos do professor... e a frase que mais fixei foi a primeira do texto:

" Fazei, às vossas esperanças, como fazeis às vossas plantas"

Nunca perderei a esperança de continuar a viver!

Ai Àrabe... o que dizer, para agradecer o dia em que entrou no meu " espaço"?

Abraço de terna amizade.

Maria Valadas

11 de março de 2009 09:44  
Blogger Mariz disse...

Salvé querido amigo

Depois da tempestade vem a bonança e é bem certo.
Serenidade sobretudo em momentos de aflição e tentar ser espectador de si próprio. - difícil hen?
Ainda hoje quando fui á caminha do meu Patoca - bichon maltez que adoptei há 2 anos - rosnava baixinho, não me conhecia, nem podia tocar-lhe...dava esticões, quase não se mexia e eu desatei num pranto! Só pedia a Deus que não me o levasse. Entretanto muito de mansinho ia dizendo: "Patoca querido, é a dona... olha o que eu tenho aqui?! uma coisa muito boa!" esta frase é a expressão base, para ele vir a correr onde quer que esteja,ou para largar algo. Aos poucos, ele lá foi dando sinais de recuperação, peguei-o ao cólo e fui para o páteo olhar o céu e pedir a Deus que não o levasse pois esteve cá pouco tempo...veio de Braga depois de ter feito 2 operações num intervalo de 2 meses...ninguém o quis; então trouxeram-mo para tratar dele aqui em Sintra! Num espaço de 4 anos, já enterrei num terreno próximo de zona protegida: o meu cão que acompanhou há 8 anos mais 2 gatos que nasceram e não duraram mais que 5 meses, mais um pombo que apareceu morto junto á porta de casa. Tenho seguido sózinha - estes são alguns dos muitos episódios que vêm acontecendo - este caminho do deserto ou melhor: das pedras!
Por isso te compreendo bem.
Deixo o abraço de sempre cheio de carinho
Mariz

ESPAVO!

11 de março de 2009 10:53  
Blogger Arabica disse...

Apenas te sorrio :)



Sábios ensinamentos.



Beijos

11 de março de 2009 14:59  
Anonymous Hanna disse...

Belíssimas palavras!! Me emocionas mais uma vez...Muito obrigada por escolher Kenny G, também gosto muitíssimo!
Abraços

11 de março de 2009 17:29  
Blogger Dona Sra. Urtigão disse...

Palavras de sabedoria.
Agradecida.

11 de março de 2009 17:49  
Blogger GarçaReal disse...

Enterrar bem as raízes da esperança e , navegar na tentativa de encontar um mar calmo sem tempestade para não ter que recolher as velas à pressa...

Belissima esta lição de vida

Bom resto de semana

Bjgrande do lago

12 de março de 2009 04:02  
Blogger flor do deserto disse...

Querido o Árabe
Está já tornar-se uma necessidade ler e reler os seus escritos tanto eu gostaria também assim de conseguir expressar-me. Obrigado por partilhar connosco esse dom. Fico também feliz por encontrar ainda tantos de dão mais valor ao ser do que ao ter,obrigado por existir.

12 de março de 2009 05:28  
Blogger C Valente disse...

um encanto de leitura
saudações amigas

12 de março de 2009 09:48  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Eärwen. Feliz entretanto sou eu, que posso contar com a amizade de vocês! :)

12 de março de 2009 12:21  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Alex, pela gentileza de suas palavras! :)

12 de março de 2009 12:21  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Fernanda. É muito bom escrever para pessoas como vocês.

12 de março de 2009 12:22  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Collybry. E que jamais abandonemos as nossas esperanças!

12 de março de 2009 12:23  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Olhos de Mel. Semeamos as nossas próprias pedras! :)

12 de março de 2009 12:25  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Beatriz, pela gentileza e amizade. :)

12 de março de 2009 12:26  
Blogger O Árabe disse...

Envolvente e verdadeira, Menina, como a amizade em nosso oásis. :) Obrigado!

12 de março de 2009 12:28  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, São. Muitas vezes, as lições mais duras são as que melhor aprendemos. :) Fica bem, amiga!

12 de março de 2009 12:29  
Blogger O Árabe disse...

O carinho, Carmem, é a retribuição do que recebo de vocês. Obrigado!

12 de março de 2009 12:31  
Blogger O Árabe disse...

A Paz, Luísa... um caminho que só juntos percorreremos. :) Obrigado!

12 de março de 2009 12:33  
Blogger O Árabe disse...

Aprendemos um pouco a cada dia, Mônica... a vida nos torna bons alunos. :)

12 de março de 2009 12:34  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Carla: uma brisa que nos acaricia o coração. :)

12 de março de 2009 12:35  
Blogger O Árabe disse...

Vamos aguardar, Vanuza... vale a pena! :)

12 de março de 2009 12:35  
Blogger O Árabe disse...

Bela sugestão, amigo Vieira. Assim farei para o livro! :) Abraço.

12 de março de 2009 12:36  
Blogger O Árabe disse...

Inquietante pergunta, Silêncio... sábia conclusão, porém! :) Fica bem, amiga.

12 de março de 2009 12:37  
Blogger O Árabe disse...

Que assim seja, Benó. Alegria em saber-te também de regresso!

12 de março de 2009 12:38  
Blogger O Árabe disse...

Bela reflexão, Maria! Perder a esperança é renunciar à verdade de viver. :) Obrigado, amiga!

12 de março de 2009 12:40  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Mariz... bem te compreendo. Entretanto, precisamos ser capazes de enxergar as flores que brotam entre as pedras do caminho. Fica bem, amiga!

12 de março de 2009 12:47  
Blogger O Árabe disse...

Eu não diara "apenas", Arábica... é imensamente valioso um sorriso de amizade! :) Obrigado.

12 de março de 2009 12:48  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Hanna. Avisa-me, quando retornares ao blog. :)

12 de março de 2009 12:49  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado a você, amiga ermitã... a sabedoria está muito mais em quem ouve! :)

12 de março de 2009 12:51  
Blogger O Árabe disse...

Bela reflexão, Garça... oxalá aprendamos a manejar as nossas velas. :) Fica bem.

12 de março de 2009 12:53  
Blogger O Árabe disse...

Bem vinda, Flor do Deserto. Obrigado pela presença e volta sempre. O oásis é nosso! :)

12 de março de 2009 12:54  
Blogger O Árabe disse...

Grato, amigo Valente. Meu abraço!

12 de março de 2009 12:54  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, DO. Pela gentileza e amizade! Meu abraço.

12 de março de 2009 12:55  
Blogger Eärwen Tulcakelumë disse...

Vim deixar uma pérola incandescente de carinho amigo.

Eärwen

12 de março de 2009 16:23  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Eärwen. Bom fim de semana!

13 de março de 2009 09:03  
Blogger Porcelain Doll disse...

Não é o tempo que rege as nossas vidas... mais vale o fruto que é colhido na altura certa da sua maturação, do que aquele que é colhido ainda verde, consequência da urgência a que nos leva a ideia de que o tempo comanda as nossas vidas... Tudo o que tem belas raízes resiste, até mesmo, ao tempo.

Tempos de impaciência e de marasmo, os que passamos aportados à espera que passe a tempestade, sem conseguir reagir; por vezes dá vontade de ser como o insensato e fazer o que seja para combater o vazio!! O vazio é contudo apenas aparente, pois o silêncio e a quietude são férteis, extraordinariamente férteis!!

Para "vencer a guerra" o General não deve lutar em todas as batalhas, deve saber como gerir os seus recursos e não desperdiçar energias em vão.

Creio que jamais nos afastamos dos nossos desejos e objectivos; por vezes assim parece, porém mais adiante verificamos que mesmo nesses momentos (e talvez sobretudo neles) caminhámos sempre para lá.

13 de março de 2009 13:42  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Porcelain Doll. Alegria com a tua presença no oásis. :)

14 de março de 2009 08:44  
Anonymous Perla disse...

O tempo... o século a subjugar-nos...

Saibamos então recolher as velas na tempestade para que os prejuizos sejam minimos.

Belíssima reflexão!

Bjs

18 de março de 2009 07:44  
Blogger O Árabe disse...

É preciso, sim, Perla... pois as tempestades se sucedem! :) Boa semana.

24 de março de 2009 05:27  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky