O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

DA CONVIVÊNCIA E DA SOLIDÃO


No seu nascimento, o homem está só. E só estará, no instante em que mais uma vez deixar este mundo.

Que me perdoem, portanto, os poetas e aqueles que pregam a necessidade das companhias. Porque, se as presenças confortam, é na solidão que encontramos a nós mesmos.

Porém, é às companhias que buscamos. A solidão sempre nos encontrará, e com ela apenas precisamos saber conviver; para ouvir a voz do nosso verdadeiro Eu e aprender os seus ensinamentos.

É dentro de nós, que nos fala o Universo; e a Sua voz não ecoa em nossos ouvidos, mas em nossos corações.

O porto é necessário, para que a embarcação se recupere das agruras da viagem; e a solidão é o porto seguro, onde pode repousar o nosso verdadeiro Eu.

Todavia, é por temer a solidão que muita vezes o homem se perde entre as más companhias; ou busca o universo ilusório das drogas.

Ninguém pode viver entre os outros, se não consegue viver consigo mesmo. E, entretanto, muitas vezes buscamos a convivência mundana, apenas para não estarmos sós. Ou as conversas triviais, para sufocar a voz do nosso verdadeiro Eu.

Necessitamos de ouvintes; porque ninguém acredita nas próprias verdades, a menos que outrem as repita. E necessitamos de aplausos, porque não acreditamos em nós mesmos.

É pelas opiniões alheias, que nos acostumamos a julgar as nossas próprias opiniões. É ao julgamento alheio, que submetemos as nossas atitudes e até mesmo os nossos pensamentos.

Pelos padrões alheios, questionamos os nossos próprios padrões. E até dos nossos sentimentos duvidamos, se não são aprovados pelos que nos cercam.

Não percebemos que, assim, prostituímos o nosso verdadeiro Eu; que fazemos submergir a sua voz, no oceano de dúvidas que se agita à nossa volta. E multiplica as nossas próprias dúvidas.

Vivemos para o mundo, quando deveríamos viver para nós mesmos. Pois só quem está completo pode dar mais de si próprio.

Só aquele que se ama, pode amar verdadeiramente a outrem; e só quem venceu as próprias angústias, pode trazer paz àqueles que sofrem.

É por isto que nascemos e morremos sós. E, entretanto, não conseguimos aprender esta simples lição.

Pois cada homem continua a viver para o mundo, esquecido de que partirá só.

Com o seu verdadeiro Eu.
UPGRADE: Neste domingo, 6 de janeiro/2008, quero agradecer ao DO, pela honrosa menção, lá no Ramsés. Até para dar a todos vocês uma oportunidade de conhecer aquele excelente blog! DO, amigo, obrigado. De coração!

68 Comentários:

Anonymous Olhos de Mel disse...

Oie Árabe! É um lindo e triste texto. Eu acho que a solidão me deprime. Não saberia conviver com ela. Precisamos da companhia para trocar ideias, carinhos...
Amei a musica também!
Beijos

3 de janeiro de 2008 08:07  
Anonymous DO disse...

Que texto magnifico para começar o ano,ARABE.
Aproveito pra desejar à vc e aos seus,um 2008 repleto de paz e realizações.
Grande abraço!!

http://www.ramsessecxxi.blogger.com.br

3 de janeiro de 2008 10:41  
Blogger su disse...

Excelente reflexão!
A solidão é a nossa própria sombra...é o nosso próprio Eu. Temendo-a alimentamos o medo que pode existir de nós mesmos...querendo calar a sua voz, com a voz dos outros, é aniquilar a nossa própria personalidade.
Tudo tem os seus momentos certos, nas alturas certas...há tempo para tudo...para se perder, para se aprender, para se voltar ao caminho...basta querer e saber ouvir a nossa voz em concordância com o mundo exterior.

Beijos em fio aqui da Teia.

3 de janeiro de 2008 11:53  
Blogger Som do Silêncio disse...

Simpático Árabe!

Digo-te poucas palavras, mas são verdadeiras...
Gosto muito de estar aqui a ler-te...faz-me bem!

Bjs

3 de janeiro de 2008 13:49  
Blogger http://paixoeseencantos.blogs.sapo.pt disse...

sabes que eu gosto muito de estar só ' mas isso se deve ao facto de eu saber que se me apetecer estar acompanhada tenho os meus familiares e amigos . se assim nao fosse me sentiria só e vazia .
deixei um poema novo se kiseres passa por cá
bjo
carla granja

3 de janeiro de 2008 15:45  
Blogger Gerlane disse...

Sim, meu caro amigo! É uma verdade irrefutável esta: que a solidão é verdadeiramente a nossa única companheira eterna. E, que devemos aprender a conviver com ela, não tenho dúvidas disto! Só dessa forma poderemos conhecer a nós mesmos e, saber do que precisamos para estarmos em equilíbrio com o Supremo, com o nosso eu e, com o cosmos.
Todavia, é saudável a partilha de afetos com outrém. Crescemos também com isto!

Abraços pra ti!

4 de janeiro de 2008 05:10  
Blogger GarçaReal disse...

Gosto muito deste teu texto, pois tão sòmente me reporta às origens.
Não estranho nunca a solidão pois ela tem siso companheira indiscutivel ao longo da minha vida.
Aliás em grande parte dos meus poemas faço alusão a isso!

É incrivel mas gosto dela...

Bjgrande lá do lago

4 de janeiro de 2008 07:17  
Blogger Claudinha disse...

Mais um texto sábio meu amigo! Parabéns, vou refletir bastante em seu ensinamento! Beijos!

4 de janeiro de 2008 07:20  
Blogger Márcia(clarinha) disse...

Belíssimo texto meu amigo poeta.
Obrigada por ele.
lindos dias de um feliz ano novo!
beijos

4 de janeiro de 2008 09:03  
Blogger keila, a Loba disse...

Essa dimensão oceânica, universal, do qual você fala aqui, amigo Árabe, nem sempre é sentida e desejada pela ditadura social vigente, onde muitos de nós adora reunir pessoas para mostrar, para explorar os sentidos, com a exposição exagerada de marcas, gírias e afins na tentativa de esconder quem realmente somos.

Acho que ficar sozinho é essencial para ouvir-se, pensar, para buscar soluções e aquietar a alma, mas Vinícius e Toquinho dizem que, "É melhor se sofrer junto que viver feliz sozinho".

BeijUivooooooooooosssssss da Loba

4 de janeiro de 2008 09:31  
Blogger Sol da meia noite disse...

Nós e a solidão... algo inseparável.
Há quem custe a aceitar, eu aceito. Sinto-a e dela preciso. Se não estiver bem comigo, como poderei estar bem com os outros?...

Belo texto.
Beijinho

4 de janeiro de 2008 10:49  
Blogger NETMITO disse...

Que 2008 te consiga dar muitos dos teus sonhos.
Gosto de ler o que escreves.
ABRAÇO:)

4 de janeiro de 2008 11:07  
Blogger Benó disse...

Pasmada eu estou! A Arábia não tem romãs? Se a romãzeira é originária do Irã como pode ter passado sem provar este fruto!!!
No Brazil, claro que foi levada pelos portugueses, está muito difundida, principalmente no nordeste onde é habitual comerem-na na passagem do ano.
Prove-a e bom proveito mas em boa companhia. Não esteja só! E olhe que é melhor viver para os outros do que para si próprio.
Seja Feliz!

4 de janeiro de 2008 12:00  
Blogger Bruna Goulart disse...

Olá Árabe.....
Nossa.....
Ameiiii seu pensamento e seu blog!!!
POxa...vou visita-lo com frequencia....e gostaria se não for incomodar q vc desse uma passadinha no meu...estou começando agora e axo q tenhu muito o q aprender....
Bjooo

4 de janeiro de 2008 13:39  
Blogger SILÊNCIO CULPADO disse...

Amigo Árabe
Nós nascemos e morremos sós. E também vivemos sós por muito rodeados que estejamos doutras pessoas e por muito que amemos alguém que partilhe connosco a nossa intimidade. Nós estamos sempre sós. Porque não há ninguém que desça até ao fundo de nós próprios e desvende todas as nossas sombras. Por melhores que sejamos, cada um de nós tem profundezas, tempestades, abismos e contradições que não quer ver expostos. Às vezes nem quer admitir para si próprio que os tem. Cada pessoa desempenha um papel que mais não é que uma procura constante de corresponder às expectativas que os outros têm de nós. Cada um de nós, tal como faz em relação ao fisico, que é mostrado da melhor forma e preparado no quarto ou no WC para que os outros vejam sob o melhor aspecto, também os nossos sentimentos se revestem das cores que pretendemos mostrar que os têm.
Eu orgulho-me de ser uma pessoa transparente e sincera. Acho que sou tanto quanto alguém pode ser. Todavia não há ninguém que de mim saiba absolutamente tudo.
E a solidão está aí, por mais sociável que se seja.
Um abraço

4 de janeiro de 2008 15:15  
Blogger pentelho real disse...

palavras que fazem pensar, e hoje não me apetecia pensar...

4 de janeiro de 2008 18:16  
Anonymous Lizzie disse...

Todos nós temos nossa parcela de desagrado e solidão...
É como diria Clarice Lispector:


"Que se há de fazer com a verdade de que todo mundo é um pouco triste e um pouco só?"

Beijão


www.lizziepohlmann.com

5 de janeiro de 2008 09:05  
Blogger Yvonne disse...

Querido Árabe, esse texto para início de ano foi uma maravilha. Simplesmente adorável como tudo que você escreve. Beijocas

5 de janeiro de 2008 11:36  
Blogger lua prateada disse...

Belíssimas tuas palavras e cheias de razão, pois é sim na solidão que encontro meu sêr...por isso eu nunca me sinto só porque nunca estou só!eu sou alguém para mim muito importante,pouco me importa o que os outros possam pensar,mas bem ó poeta deixo-te aqui cair uma p'etala prateada da minha lua desejando-te um belo e feliz fim de semana.
Beijinho prateado com carinho
SOL

5 de janeiro de 2008 12:11  
Blogger C Valente disse...

Bom ano 2008, e que tudo corra á medida do seu desejo
Saudações amigas

5 de janeiro de 2008 14:08  
Blogger Tina disse...

Oi Arabe!

(In)Felizmente nascemos e morremos SÓS - ou seria isso um "SOS" que nos segue / persegue desde o primeiro até o derradeiro momento? Para pensar.

Lindo texto, lindo mesmo.

beijo grande querido, lindos dias.

5 de janeiro de 2008 15:56  
Anonymous DO disse...

Oi,ARABE,tudo bem?
Passando pra te agradecer e avisar que vc é o PAPIRO AMIGO de hj por la.

Bom domingo!

Abração!

http://www.ramsessecxxi.blogger.com.br

6 de janeiro de 2008 02:22  
Blogger Eärwen Tulcakelumë disse...

Como gostei que tivesse pegado mais uma pérola! Meu mundo sorriu, tenha certeza disso, por isso venha sempre!.
Nós e a solidão... que tema interessantemente preciso. Por quê temer a solidão? Essa é uma companheira constante para que tenhamos tempo de olhar para nós mesmos... mas o ser humano acabou por “rotular” esse sentimento como uma dor... Consigo ver a solidão da forma que tu vês... é preciso sempre meditar sobre teus escritos meu Árabe.

Entrego em tuas mãos pérolas incandescentes de carinho amigo para que sigam contigo durante este novo ano.

Carinhosamente

Eärwen

6 de janeiro de 2008 05:46  
Blogger Só Magui disse...

É verdade.Aprender a viver consigo mesmo é fundamental .E quem sabe viver assim nem se liga em forçar companhias inoportunas.A solidão não existe para estas pessoas.

6 de janeiro de 2008 17:37  
Blogger O Árabe disse...

Olhos de Mel, realmente esta é uma das nossas maiores dificuldades: conviver com a solidão. Mas, creia, é um aprendizado necessário! Boa semana.

7 de janeiro de 2008 05:22  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, DO. De coração, retribuo os seus votos. Feliz 2008 e um abração deste amigo!

7 de janeiro de 2008 05:30  
Blogger O Árabe disse...

Bem colocado, Su. Temer a solidão é temer aquilo que existe em nós... a nossa própria companhia. ;)

7 de janeiro de 2008 05:33  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Som. Isto faz com que me sinta feliz! :)

7 de janeiro de 2008 05:34  
Blogger O Árabe disse...

Bem colocado, Carla... isto acontece com a maioria de nós, realmente! Mas, acredita, devemos estar prontos para a eventual solidão...

7 de janeiro de 2008 05:36  
Blogger O Árabe disse...

Acrdito, Gerlane que não temer a solidão é a única forma de partilharmos verdadeiramente um afeto. Assim, não existe a dependência... ;)

7 de janeiro de 2008 05:37  
Blogger O Árabe disse...

É isso, Garça amiga: quando aprendemos a com ela conviver, a solidão não nos impede de voar...

7 de janeiro de 2008 05:38  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Claudinha... só não sei se seriam ensinamentos. Reflexos do meu próprio aprendizado, eu diria antes... ;)

7 de janeiro de 2008 05:39  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado a você, Clarinha, pela gentileza de sempre... e tenha um lindo 2008!

7 de janeiro de 2008 05:40  
Blogger O Árabe disse...

É por aí, sim, Keyla. E, já que você falou em música, permito-me lembrar uma, que gosto muito: "Eu preciso aprender a ser só"... precisamos, mesmo! :)

7 de janeiro de 2008 05:43  
Blogger O Árabe disse...

Eu também penso assim, Sol. É necessário que cada um se encontre, para que possa encontrar o mundo e as pessoas que o cercam...

7 de janeiro de 2008 05:47  
Blogger O Árabe disse...

Netmito, obrigado... e que assim seja contigo. Ah, e eu também gosto de ler o que escreves! :)

7 de janeiro de 2008 05:48  
Blogger O Árabe disse...

Acredita, Benó. Juro-te que é a pura verdade. Mas... sabes que me despertaste a curiosidade de provar de uma romã? :)

7 de janeiro de 2008 05:50  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Bruna, e volta sempre; o oásis é nosso. E por favor, linka de novo o teu blog... tentei retribuir a visita, mas não o consegui acessar. :(

7 de janeiro de 2008 05:51  
Blogger O Árabe disse...

Mais uma bela reflexão, amiga Silêncio. A verdade é que a solidão está dentro de nós... embora procuremos nos distrair deste fato! :)

7 de janeiro de 2008 05:53  
Blogger O Árabe disse...

Mas aproveita, princesa... e pensa uim pouco. Nem que seja amanhã. :)

7 de janeiro de 2008 05:54  
Blogger O Árabe disse...

É a pura verdade, Lizzie. Embora a solidão não seja, necessariamente, desagradável... ;)

7 de janeiro de 2008 05:55  
Blogger O Árabe disse...

Adorável, Yvonne, é essa sua gentileza. Obrigado, amiga! :)

7 de janeiro de 2008 05:59  
Blogger O Árabe disse...

Esse é o raciocínio, Lua... todos somos importantes e únicos. E grato pela pétala prateada!

7 de janeiro de 2008 06:01  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, amigo Valente. E que assim ocorra contigo, e todos os que te são caros! Grande abraço.

7 de janeiro de 2008 06:11  
Blogger O Árabe disse...

Belo raciocínio Tina... inteligente trocadilho e inquietante pergunta. Grato pela costumeira gentileza, amiga... e um belo 2008! :)

7 de janeiro de 2008 06:13  
Blogger O Árabe disse...

Como vc deve ter visto, DO, fui conferir a honrosa menção. Grato, amigo, e receba o meu abraço!

7 de janeiro de 2008 06:14  
Blogger O Árabe disse...

Eärwen, amiga, fico profundamente grato. E desejo que 2008 te traga muitas pérolas de incandescente alegria!

7 de janeiro de 2008 06:15  
Blogger O Árabe disse...

É isso, Magui. Paradoxalmente, aprender a viver com a solidão é a melhor forma de evitá-la... ;)

7 de janeiro de 2008 06:16  
Blogger Olhos de mel disse...

Oie Árabe! Jamais vou me acostumar a viver só. Preciso de companhia. Eu me tenho o tempo todo, mas preciso dividir o muito que tenho de sentimento para dar. Além do mais, a morte nos deixa solitários, ainda que não queiramos. Em vida, quero ter quem amo, viver cercada pela familia...
Solidão de vez em quando, para reflexão, para auto conhecimento é bom, porém jamais viver a solidão. E não é dependência, é ter necessidade de dar, tanto que tenho.
Existem pessoas que têm tão pouco, que é o bastante para si. E a solidão é bem vinda.
Estive perto da morte e minha maior dor, era ir embora sem abraçar as pessoas que amo. Mas cada ser tem seu jeito, sua individualidade. E que bom ser assim...
Que sua semana seja de realizações!
Beijos

7 de janeiro de 2008 10:13  
Blogger Whispers in night disse...

Ola Arabe!

Quantos estão vivendo com multidões e no fundo estão tão sós.
Concordo com teu texto, maravilhoso como sempre
mil beijos
Whispers

7 de janeiro de 2008 10:49  
Blogger São disse...

Aos 25 ou 26 anos escrevi" O ser humano é uma ilha cercada por inavegável solidão!"...Você, caríssimo, di-lo de uma forma infinitamemte mais bela!!
Maravilhoso 2008 para si.

7 de janeiro de 2008 12:33  
Blogger Renata disse...

Acho que a solitude é sim condição do ser humano, e necessária ao auto-conhecimento e auto-desenvolvimento. Mas eu diferencio solitude de solidão, e esta última, é de difícil manejo. Nem é inerentemente bom, nem ruim, mas com certeza nada fácil, né...

bjos, adorei o post!!!!

7 de janeiro de 2008 15:02  
Blogger FINA FLOR disse...

acho bacana demais sua iniciativa de fazer as pessoas refletirem sobre assuntos relacionados ao auto-conhecimento :o)

beijocas e bom começo de ano para nós, querido

MM.

8 de janeiro de 2008 09:29  
Blogger Entre linhas... disse...

Poema um pouco triste ,alusivo á solidão embora esta nos dias em que decorrem façam parte integrante da vida do ser humano.
Bjs Zita

8 de janeiro de 2008 12:55  
Blogger O Árabe disse...

Muito bem dito, Olhos de Mel: cada um tem a sua individualidade... e que bom ser assim! :) É a soma das individualidades que nos faz crescer como pessoas...

9 de janeiro de 2008 04:29  
Blogger O Árabe disse...

OLá, Raquel. É muito bom ter você de volta ao nosso oásis! :)

9 de janeiro de 2008 04:29  
Blogger O Árabe disse...

São sei se mais bela, São... mas, com certeza, igualmente sincera. É o que sinto, também...

9 de janeiro de 2008 04:31  
Blogger O Árabe disse...

Não é fácil, mesmo, Renata. Mas necessária... ah, isso é! :)

9 de janeiro de 2008 04:31  
Blogger O Árabe disse...

Mônica, acho que este é o único caminho para aplacar a inquietude... e acho que você também pensa assim. ;)

9 de janeiro de 2008 04:33  
Blogger O Árabe disse...

Realmente, Zita: os meios de comunicação evoluem a cada dia e, paradoxalmente, os humanos se comunicam menos...

9 de janeiro de 2008 04:34  
Blogger Nana Lopes disse...

Habib!! como sempre, encontro novas e belas postagens.Bjkas!!

9 de janeiro de 2008 08:46  
Blogger Márcia(clarinha) disse...

Felizes dias meu amigo poeta,
beijos

9 de janeiro de 2008 08:50  
Blogger O Árabe disse...

É preciso caprichar, Nana. Os leitores são de alto nível! :)

9 de janeiro de 2008 15:28  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Clarinha. Eles são, entre os amigos! :)

9 de janeiro de 2008 15:30  
Blogger São disse...

Só para desejar que viva bem seu tempo!

10 de janeiro de 2008 04:10  
Blogger LuzdeLua disse...

Ninguém pode viver entre os outros, se não consegue viver consigo mesmo.

Acho que essa é uma das maiores verdades que existe.
Lindo texto, como sempre.
Deixo-te beijos com carinho amigo.
Bjs

10 de janeiro de 2008 08:03  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, São. De coração, retribuo os teus votos!

11 de janeiro de 2008 11:47  
Blogger O Árabe disse...

É uma verdade simples, Luz. Mas, acredita, demorei muito a aprendê-la!... :)

11 de janeiro de 2008 11:48  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky