O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 14 de maio de 2010

UMA SAUDADE IMPRECISA

… uma saudade que me vem no tempo.

Na lembrança de dias passados, quando os sonhos ainda habitavam em mim. Quando um simples olhar me devolvia a alegria, o som de uma voz preenchia o meu mundo e a esperança me fazia seguir em frente.

Uma saudade que me vem no vento; nas notas da canção que se extingue lentamente no ar, no perfume que persiste em minhas narinas, no som do sorriso que permanece em meus ouvidos.

Que me assombra na calada da noite, quando dos corpos entrelaçados resta apenas o vazio dos lençóis; quando o calor da pele e da carne cedeu lugar ao tecido grosso do cobertor.

Uma saudade que insiste em viver, quando até os sonhos se desfazem a cada dia. Que permanece latente, sob a minha indiferença defensiva, como a fera que espreita entre as barras da jaula que a prende.

Que, enquanto finjo escrever, me sussurra as palavras que estão gravadas em mim, com letras de fogo e gelo, de espinhos e rosas, de esperanças e desilusões.

Uma saudade que eterniza as lembranças; que traz uma dor tão mais sentida, quanto mais doces são as recordações que provoca. Que mantém abertos os meus olhos, enquanto as horas escorrem na noite insone.

Que já faz parte de mim, que já está no meu ser. Que se dissolve na resignação; na certeza de que nada é para sempre e afortunado se pode julgar aquele que, ao menos por um minuto, conheceu a felicidade.

Uma saudade estranha. De lugares que não vi, de emoções que não senti, de aromas que não conheci, de canções que não escrevi. De dias que não vivi e hoje sei que não mais viverei.

Que traz, na frustração dos sonhos não realizados, o conforto de sempre haver buscado o melhor caminho. Porque é certo que o calor dos sorrisos nos faz esquecer o frio das lágrimas, até que venha o novo pranto.

Uma saudade que se reflete no desânimo do meu coração. E em meus cabelos brancos, onde as pegadas do tempo são cada vez mais nítidas e me fazem lembrar que se aproxima o fim desta jornada.

Que me traz um cansaço infinito, qual inconsistente bruma que às vezes me parece envolver o mundo, transformando o novo dia em mero trecho a ser percorrido.

Uma saudade imprecisa, feita de sonhos mortos e novas esperanças.

Que me ajuda a entender a Vida...

40 Comentários:

Anonymous Olhos de Mel disse...

É Árabe; infelizmente existem essas saudades, que ninguém, nem o tempo conseguem superar. Embora nesses momentos, a alma fale por nós e escreva por nossas mãos, coisas tão sentidas, tão bonitas e tão emocionadas.
Mas, fica o sentimento de impotência diante de disso, de que nem sempre poderemos preencher esses vazios, ou a certeza do quanto estamos distantes dos nossos sonhos.
Á e vida, Árabe! Com seus caminhos incertos.
Bom fim de semana! Beijos

14 de maio de 2010 19:17  
Blogger Benó disse...

Um escrever diferente do que estamos habituados.Mas belo da mesma maneira.
Saudade, palavra tão nossa e que exprime bem esse sentimento que descreves nesta postagem. Saudade que nos mata mas que nos conforta.
Gostei muito de o ler.
Tenha um bom fim de semana.

15 de maio de 2010 02:10  
Blogger Nova Civilização disse...

Caro amigo,

a saudade nos faz sempre rever a vida. A olhá-la de frente e ter a certeza do quanto estamos caminhando. Ela é boa pois nos ajuda a nos reconhercer... E as lágrimas. Essas na grande maioria das vezes ,nos purificam para uma nova jornada,

abraços fraternos,

Gisele

15 de maio de 2010 05:07  
Blogger Claudinha ੴ disse...

A Saudade... Por que nos marca a todos desta maneira?
Mais uma vez você toca fundo em nossos corações!
Beijo.

15 de maio de 2010 15:03  
Blogger Fa menor disse...

Saudade... uma palavra sem tradução.
Saudade do que não mais pode ser possível, dói demais.

Mas se há sonhos que não mais podem ser vividos, haverá sempre outros que podem despontar!
:)

bjinhs

16 de maio de 2010 12:19  
Blogger Whispers disse...

Querido Arabe,
Uma saudade que nunca foi esquecida....lindo como sempre tudo que escreves.
Boa semana com paz e luz.
Mil beijos
Rachel

16 de maio de 2010 15:42  
Blogger © Piedade Araújo Sol disse...

Amigo Árabe

não me leve a mal, mas achei este texto diferente dos que nos vem habituando a ler.

embora nostálgico, e a ao escrever a saudade (uma palavra bem portuguesa) só assim podia ser, achei muito bem escrito. mais que um texto eu diria um poema escrito em prosa poética.

gostei muito de ler, achei um texto fabuloso, e só me resta acrescentar, muitos parabéns.

uma boa semana!

beij

17 de maio de 2010 06:20  
Blogger Chica disse...

Nossa vida é feita de pequenas saudades...

Coisas que ficaram pra trás, pessoas que por nós passaram e se foram... Tantas!

Lindo teu texto

abraços,ótima semana pra ti,chica

17 de maio de 2010 07:49  
Blogger Dona Sra. Urtigão disse...

acho que sei bem como é, só não saberia dize-lo tão bem.

17 de maio de 2010 09:45  
Blogger São disse...

Querido amigo, também partilho essa saudade...só que não tenho esse teu maravilhoso dom de escrita

Bemn hajas!

17 de maio de 2010 11:11  
Blogger Mariz disse...

Querido Amigo
Não existem sonhos mortos...mas vivos...quem sonha como tu, jamais pode perder essa vontade, essa coragem que também é necessária para sonhar!
E é com os sonhos que se consegue alcançar o que se almeja!
Realmente só sentimos saudades do que passou e nos fez feliz...ou do bem que conseguimos sentir e receber.
Abraço-te nessa saudade também
Sempre...
(E)ternamente...
Mariz

17 de maio de 2010 11:55  
Blogger Vozes de Minha Alma disse...

ESSA SAUDADE NOS PROPORCIONA MOMENTOS DA MAIS SUBLIME INSPIRAÇÃO.
MEU QUERIDO AMIGO, MEU ABRAÇO FRATERNO, ATÉ BREVE.

17 de maio de 2010 12:40  
Blogger Fátima disse...

Meu amigo,
existem saudades tão doídas que apagam o prazer de terem sido vividas...

Beijo grande.

17 de maio de 2010 13:25  
Blogger O Árabe disse...

Verdade, Olhos de Mel. Todos temos vazios, que nem o correr dos anos preenche. :) Boa semana!

18 de maio de 2010 05:30  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Benó: saudade que mata e conforta, a um só tempo. :) Boa semana!

18 de maio de 2010 05:30  
Blogger O Árabe disse...

Sem dúvida Gisele: as lágrimas fazem parte da jornada. Sempre. :) Boa semana!

18 de maio de 2010 05:32  
Blogger O Árabe disse...

Eu, Claudinha? A saudade, eu diria... ;) Boa semana!

18 de maio de 2010 05:33  
Blogger O Árabe disse...

Bem colocado, Fa Menor: para cada sonho que morre, há outro que nasce. :) Boa semana!

18 de maio de 2010 05:33  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Rachel: difícil esquecer a saudade... ela sobrevive em nós. :) Boa semana!

18 de maio de 2010 05:35  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Pidade, pelas gentis palavras. :) Boa semana!

18 de maio de 2010 05:36  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Chica: cada um de nós guarda as suas pequenas (e grandes) saudades. :) Boa semana!

18 de maio de 2010 05:37  
Blogger O Árabe disse...

Não precisamos saber, não é, ermitã amiga? Nos basta sentir... :) Boa semana!

18 de maio de 2010 05:38  
Blogger O Árabe disse...

Modéstia, São... e a gentileza de sempre. :) Boa semana!

18 de maio de 2010 05:39  
Blogger O Árabe disse...

Belas colocações, Mariz. Obrigado, boa semana!

18 de maio de 2010 05:40  
Blogger O Árabe disse...

Bem dito, Antonio Lidio! Meu abraço, amigo; boa semana!

18 de maio de 2010 05:41  
Blogger O Árabe disse...

Quase sempre, Fátima, a saudade de hoje é a felicidade de ontem... :) Boa semana!

18 de maio de 2010 05:41  
Blogger Moonlight disse...

Meu querido Árabe,

Existem saudades que nos matam....mas existem saudades que nos dão a alegria de entender que a vida é assim mesmo.repleta de saudades que nos ajudam a continuar em frente.

Bjinho cheio de luar

18 de maio de 2010 06:45  
Blogger Rosa disse...

Ah saudade! Sei bem o que é sentir a brisa tocando a face e a lembrança da mão que a tocava, do beijo, do olho no olho, do riso e do pranto.
Bela postagem parabéns meu amigo.
bjs!!!

18 de maio de 2010 11:24  
Blogger Pensador disse...

Uma saudade que traz, dentro de si, os momentos da vida que valeram a pena.
Uma saudade que nos faz recordar os bons momentos, e as lições aprendidas naqueles menos agradáveis.
Uma saudade que, em si, contém a própria história da nossa vida.
Maravilhoso texto, Árabe, parabéns!

18 de maio de 2010 11:29  
Blogger Marlene Maravilha disse...

"Quem passou pelo céu em brancas nuvens, e em plácido repouso adormeceu, quem nao sentiu o frio da desgraca, passou pela vida e nao sofreu, foi espectro de homem, nao foi homem, só passou pela vida, nao viveu!" (Francisco Otaviano)
Querido amigo, Saudades!!!!
Lembro-me eu, assim como tu, das minhas coisas boas!!
Feliz aquele que tem do que lembrar-se. E para aqueles que acham que nao viverao mais coisas tao belas, fica a esperanca de algo novo. Nao podemos parar. Novas perspectivas, novos hábitos e novas maneiras de viver devem fazer parte do nosso dia a dia.
Mas eu entendo perfeitamente o teu coracao, o que te vai na alma.
"Eis que faco nova todas as coisas".
Deus te abencoe e uma semana cheia de paz, saúde, amor, sabedoria!
beijos

19 de maio de 2010 04:26  
Blogger Jaqueline Sales disse...

Eu faço coro à sua saudade. Tenho saudade até do vento que desalinhava os meus cabelos de criança, do cheiro do café torrado na casa dos meus pais, dos meus pais e irmãos reunidos em dia de festa... sinto falta da vida doce, despreocupante, amparada, lúdica... que eu tinha. Voce conseguiu me desestressar por alguns momentos, meu amigo. E isso foi muito bom.

Estou fazendo provas, por isso não tive tempo de atualizar os Uivos. Mas logo-logo estarei pondo "a conversa em dia".

Beijuivooooooosssssssssssssss

19 de maio de 2010 13:44  
Blogger Khalit Sabanur disse...

Saudade do que nos fez plenos...
Saudade até, do querido não vivido.


Amo teus escritos, habib

Abraço afetuoso

19 de maio de 2010 13:50  
Blogger MEU DOCE AMOR disse...

Tal e qual,Árabe...ajuda a entender a vida,mas de uma forma tão penalizante!

Beijinho doce

19 de maio de 2010 14:08  
Blogger ♥MáH♥ disse...

Que texto lindoooo...
Acho que todos nós temos uma saudade assim, e se por ventura não temos é tudo uma questão de tempo.
Mas toda essa saudade é uma certeza de que tudo, de certa forma, valeu a pena.
Um beijo
=*

19 de maio de 2010 17:11  
Blogger Multiolhares disse...

Difícil lidar com as saudades com as distancias
beijinhos

20 de maio de 2010 13:19  
Blogger antonio - o implume disse...

A vida é redonda como a terra. Não existe caminho que chegue ao seu fim...

21 de maio de 2010 08:24  
Blogger Vieira Calado disse...

Os cabelos brancos são uma chatice.

Não pela brancura do cabelo

mas pelas saudades que vêm ainda

embranquecê-los mais.

Sem remédio.

Bom fim de semana

21 de maio de 2010 13:24  
Blogger Tina disse...

Oi Árabe!

Amigo querido: nem me fale em saudade por esses dias... a dor já começa a "apertar" e nem sei o que fazer quando a saudade certeira chegar... Vou deixar meus "amores" aqui e para casa voltar... só eu e a saudade.

beijos meu querido - textos seus continuam a me acalentar. Lindo!

27 de maio de 2010 15:47  
Blogger Bernardete disse...

Caro amigo Árabe,

Quem, porventura, nunca sentiu saudade, não é mesmo?
Saudade do que passou, saudade do que não passou e, talvez, NUNCA vai passar...
Enquanto isso, vale a pena SONHAR!

"Uma saudade estranha. De lugares que não vi, de emoções que não senti, de aromas que não conheci, de canções que não escrevi. De dias que não vivi e hoje sei que não mais viverei."

Saudações

27 de maio de 2010 19:56  
Anonymous De... disse...

A saudade do que não foi vivido, talvez exista porque o tenhamos vivido sim... e talvez, de alguma outra maneira, ainda o viveremos novamente.

Mas saudade pode não significar "falta", mas apenas a ausência de algo maior que nos preenche, mesmo não estando mais aqui.

Um beijo, Árabe...

28 de maio de 2010 07:44  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky