O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

sexta-feira, 11 de julho de 2008

O AMOR E A LIBERDADE

Como o rio sacrifica a liberdade de suas águas, ao percorrer o seu leito, precisamos estabelecer os nossos limites, para que possamos seguir o nosso curso.

Entretanto, a liberdade é necessária ao nosso Eu maior. E, assim como o rio muitas vezes transborda e leva a destruição às suas margens, também o espírito aprisionado busca as formas de exprimir a sua revolta.

Por isto, devemos ter cuidado ao escolher as nossas cadeias. E ter presente que não nos cabe o direito de escravizar a nenhum de nossos irmãos. Ou a sua revolta findará por esmagar-nos, ao romper os diques que lhe tentamos impor.

Por que dizemos “meu marido”, “meu filho”, “meu pai” e “meu amigo”? Acaso podemos possuir alguém, se a verdade é que livres fomos criados, para que pudéssemos aprender o que necessitamos?

Ninguém existe, que aprenda com a experiência alheia; cada homem é o seu próprio professor, e o seu único aluno. Se o homem sente apenas as suas próprias dores, é justo que apenas ele possa escolher o seu caminho.

Algumas cadeias nos são leves; porque nós mesmos as escolhemos. São assim os laços do Amor que, ao estabelecer-se em nosso coração, constroem a ponte invisível que nos liga ao coração do Universo, onde está a nossa verdadeira essência.

Afortunados são aqueles que recebem o Amor em seus corações. Ele desperta em nós a consciência do Ser, que nos conduz a um mundo melhor, onde a Vida reluz em todas as cores e o sopro do vento nos traz as mais lindas canções.

Não devemos, entretanto, escravizar-nos ao amor; ou tentar escravizar o ser amado. Pois o Amor, por emanar do Universo, traz em si o sopro da liberdade, e é apenas em liberdade que o podemos viver.

Muitas vezes, lamentamos o amor que se foi. E não percebemos que, se por ele choramos, o Amor ainda existe em nós; não foi o Amor que perdemos, mas alguém a quem amamos. Como não foi o desamor que o levou, mas o nosso egoísmo que o afastou de nós.

Aquele que a outrem se escraviza, findará por dele afastar-se, premido pela própria revolta. Como aquele que tenta dominar será, um dia, vítima da revolta que no outro despertou.

Do medo, são forjados os nossos grilhões. Mais livre é o encarcerado que luta para defender as suas convicções, do que aquele que as sacrifica para caminhar entre os outros homens.

E o medo, em si, nada mais é do que a falta de confiança no Pai.

E a negação do nosso verdadeiro Eu...

Desculpo-me com os amigos, pela impossibilidade de visitá-los, ou até mesmo de responder aos seus gentis comentários, na semana que passou. Confio em que esta semana consegurei retomar a agradável rotina de amizade e aprendizado.

67 Comentários:

Blogger ..::Confessionário X::.. disse...

Cool blog!

=D

11 de julho de 2008 20:14  
Blogger MoonLight disse...

Mais uma vez... o texto certo, lido por mim na hora certa.
Sim... O Amor É! E anda de mãos dadas com a Liberdade!
Se assim não for, há sufoco, há prisão, há mágoa e revolta...
Disseram-me esta semana que as lágrimas que choramos por alguém que saiu da nossa vida, são porposcionais ao Amor que sentimos. Faz-me sentido.
Só libertando, é que nos libertamos. E só aí, é que percebmos a verdadeira dimensão do que se sente...
Belíssimo texto... como sempre!
Obrigado! Muito obrigado!
É maravilhoso para mim, poder ler de outros as aprendizagens que a vida me traz.
:)
Bom fim de semana.
Bjs de Luz*

12 de julho de 2008 04:58  
Blogger Auréola Branca disse...

Árabe querido...
Sempre a contar-nos um pouco do seu coração.

Certa vez, li em um livro o porquê de gritarmos com pessoas amadas, quando estas nos aborrecem. O livro explicava que, quando estamos chateados, afastamos as pessoas que mais amamos da gente, e o grito é uma forma de aproximá-las do nosso coração.

Agora eu questiono nossa ambição, mesmo inconsciente, de querer um alguém, ou até mesmo um sentimento, de tal maneira a perder controle sobre nós mesmos.

O amor deveria ser calmo, leve, feliz. Mas, às vezes desperta-nos fúrias inconsequentes...

Abraços.

12 de julho de 2008 09:54  
Anonymous Olhos de Mel disse...

Árabe, belo texto, acompanhado por uma bela musica! Realmente, aprisionamento não faz parte do amor, bem como a imposição da presença do outro. Amar deve ser sempre o desejo do corpo, a satisfação da companhia, a plenitude do encontro de corpos e almas, dentre outros...
Bom fim de semana! Beijos

12 de julho de 2008 11:12  
Blogger moonlight song disse...

Olá Árabe :)
(como não encontro melhor palavra, vou utilizar esta)
Curioso... nesse dia também postei sobre o amor e a liberdade. E tenho esta mesma imagem guardada no pc para utilizar num momento específico que ainda não ocorreu.
Quando li o teu post... fiquei com um sorriso enorme. Não há coincidências :)
Desejo-te um bom fim de semana.

12 de julho de 2008 11:30  
Blogger ♥M@cellY♥ disse...

Limites.... ano precisando d elimites...
ai ai...

Bjooo.... exelenete semana pra ti!

12 de julho de 2008 16:50  
Blogger moonlight song disse...

Olá Árabe :) só para agradecer a visitinha, as amáveis palavras e desejar-te boa semana.

14 de julho de 2008 07:37  
Anonymous DO disse...

Arabe,acho o seu blog tão sensacional,sempre com mensagens excelentes que quero linká-lo por lá.
Posso?

Grandee abraço!!

14 de julho de 2008 08:49  
Blogger pentelho real disse...

a música é linda mas tive qie baixá-la para me entrgar ao texto.

como sempre para pensarmos...

14 de julho de 2008 09:46  
Blogger O Lápis disse...

Belissima partilha de vivências e de olhares profundos sobre a vida e os sentimentos!

14 de julho de 2008 09:52  
Blogger mundo azul disse...

Sim! Suas palavras encerram sabedoria e verdade...
Somos sempre os responsáveis por tudo que nos acontece...O outro, serve apenas de desculpa para nossos arrebatamentos...

Gosto sempre de ler seus textos! São realmente muito bons!!!

Beijos de luz e o meu carinho...

14 de julho de 2008 10:07  
Blogger FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Amigo Árabe, belíssimo texto...
Parabéns... Adorei!!!
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

14 de julho de 2008 11:04  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Moonlight. E você está certa, sim: às vezes precisamos ouvir as palavras de outrem, para que possa aflorar o que já existe em nós. :) Boa semana.

14 de julho de 2008 11:48  
Blogger O Árabe disse...

Auréola, será que é mesmo o amor que nos desperta essas reações negativas? Prefiro acreditar que seja a nossa insegurança... ;) Boa semana.

14 de julho de 2008 11:49  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Olhos de Mel, e concordamos em tudo. Inclusive que essa música é linda! :) Boa semana.

14 de julho de 2008 11:50  
Blogger O Árabe disse...

Amor e liberdade... sem dúvida, um não pode existir sem a outra, Moonlight Song. Juntos, formam a bela canção. :) Boa semana.

14 de julho de 2008 11:51  
Blogger O Árabe disse...

E só você pode estabelecê-los, Celly.. acredite! :) Boa semana.

14 de julho de 2008 11:52  
Blogger O Árabe disse...

DO, amigo, nem precisa pedir. Para mim é uma honra, e só lamento não ter links aqui no oásis, para retribuir. Como você sabe, sou assíduo leitor do Ramsés. :) Meu abraço, boa semana.

14 de julho de 2008 11:53  
Blogger O Árabe disse...

Pensa, Princesa, mas aproveita depois para ouvir e sentir a música. Ela é realmnte linda! :) Boa semana.

14 de julho de 2008 11:54  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Lápis... e parabéns pelo belo blog! Boa semana.

14 de julho de 2008 11:55  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Zélia. As verdades estão em nós... as palavras apenas as fazem aflorar. :) Boa semana.

14 de julho de 2008 11:56  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Fernanda. É o incentivo de vocês que me leva a procurar retribuir cada vez mais.

14 de julho de 2008 11:57  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, amigos do Confessionário. Também gostei muito lá do seu blog! Boa semana.

14 de julho de 2008 12:02  
Blogger Menina do Rio disse...

Porque o amor é a manifestação livre de todo o ser e expande-se na sua plenitude!

Como sempre, um texto maravilhoso!

Um beijo

14 de julho de 2008 12:43  
Blogger Vieira Calado disse...

"livre é o encarcerado que luta para defender as suas convicções"

é coisa que poucos são capazes de fazer, hoje em dia.

Mas essa é a grande verdade que guia aqueles que têm convicções fortes.

Um forte abraço

14 de julho de 2008 14:06  
Blogger Deusa Odoyá disse...

Oi meu estimado amigo ÀRABE:
è muito belo e sublime seus textos.
O amor e a liberdade caminham juntos.
São sintonias da profundeza de nossas almas, os apelos e os gritos da liberdade do nosso ser.
Beijos amigo e fique na paz.
Regina Coeli.


.

14 de julho de 2008 17:29  
Blogger Tina disse...

Oi Árabe!

Tu és o bálsamo no começo da semana: escritos lindos, que serenam alma minha. Obrigada querido.

beijo grande, tenha uma linda semana.

14 de julho de 2008 17:31  
Blogger São disse...

Amor é Liberdade.
Liberdade é marca de se ser pessoa.
Mas , por vezes, dói.
Fica bem, Mestre.

15 de julho de 2008 03:38  
Anonymous Beatriz disse...

A música e a mensagem complementam-se na intensidade daquilo que o amor representa em nossas vidas. Linda postagem, amigo, como todas aquelas em que teu carinho e dedicação pelos leitores o faz buscar as mensagens que mais irão tocar nosso coração, para assim nos presenteares com reflexões tão preciosas. Grata, meu anjo!

Deixo-te flores e estrelas entrelaçando sorrisos na tua semana e um beijo no coração!

15 de julho de 2008 07:10  
Blogger Yvonne disse...

Árabe, é impressionante como esse seu post caiu bem para mim. Muito obrigada por suas palavras tão maravilhosas.
Beijocas cheias de saudades

15 de julho de 2008 07:20  
Blogger Giu disse...

Amigo Árabe!
Mais um belo texto, sobre a liberdade: um bem tão precioso, tão caro e tão difícil de ser preservado.
Agradeço a sua passagem, sempre, pelos meus Temporais.
Fique bem e em paz.
Beijos meus,
Giulia

15 de julho de 2008 09:11  
Blogger Porcelain Doll disse...

Porque a verdadeira liberdade é aquela que decorre dos limites que nos auto-estabelecemos... só assim o espírito não fica aprisionado e não necessita de destruição... e por isso devemos ter cuidado ao escolhermos esses mesmos limites... que essa escolha seja feita baseada no Amor... no Amor universal.

Adorei o antepenúltimo parágrafo!! Adorei mesmo!

"Do medo, são forjados os nossos grilhões. Mais livre é o encarcerado que luta para defender as suas convicções, do que aquele que as sacrifica para caminhar entre os outros homens."

Concordo em absoluto. :-)

15 de julho de 2008 09:52  
Anonymous Márcia(clarinha) disse...

Salve, salve a liberdade!!
Que em suas asas possamos voar nesse vale que é vida.

lindo dia poeta querido,
beijos

15 de julho de 2008 12:04  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Verônica. Maravilhoso, mesmo, é o amor que consegue colorir o mundo. :)

15 de julho de 2008 18:46  
Blogger O Árabe disse...

Precisamos defendê-las, amigo Vieira. Nada pode haver de mais triste do que aquele que não defende as coisas em que acredita. Meu abraço.

15 de julho de 2008 18:47  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Regina. Que a paz esteja contigo, sempre.

15 de julho de 2008 18:48  
Blogger O Árabe disse...

Mais uma vgez obrigado, Tina, por tua gentileza e amizade. Boa semana, amiga!

15 de julho de 2008 18:49  
Blogger O Árabe disse...

Mestre, São? A verdade é que aprendo convosco, a cada dia. E muito grato vos sou, por isto. Boa semana!

15 de julho de 2008 18:51  
Blogger O Árabe disse...

Beatriz, amiga, sou eu quem te agradece, pela gentileza, e de coração retribuo os teus votos.

15 de julho de 2008 18:52  
Blogger O Árabe disse...

Yvonne, é um grande prazer ver você de volta! Mas eu nem precisava dizer isto, não é? Bem-vinda, amiga! Boa semana.

15 de julho de 2008 18:57  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Giulia. E parabéns: são realmente certos, todos os adjetivos com que você define a liberdade!:) Boa semana.

15 de julho de 2008 18:59  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Porcelain Doll; pela gentileza e pelo acertado comentário. :) Boa semana.

15 de julho de 2008 19:00  
Blogger O Árabe disse...

Salve, sim, Clarinha. Sem ela, de nada nos valeriam as asas! :) Bela semana, amiga.

15 de julho de 2008 19:01  
Blogger SILÊNCIO CULPADO disse...

Àrabe
Meu amigo, estou em falta contigo. Não daquelas faltas da "obrigação da visita" mas da falta que me faz repousar nstas palavras em que me revejo. Hoje vou comentar este texto mas quero também ir pondo em dia os que não tenho lido.

Relativamente à liberdade e ao amor eu entendo que ambos são inseparáveis e que o amor morre quando as pessoas não entendem isto.

Abraço

16 de julho de 2008 14:48  
Blogger C Valente disse...

Boa noite com saudações amigas

16 de julho de 2008 15:15  
Blogger Olhos de mel disse...

Oie Árabe! Fiz uma exposição dos meus bens, por lá. Passa pra conhecer.
Beijos

17 de julho de 2008 04:43  
Blogger lua prateada disse...

"Não foi o amor que se perdeu,mas alguém a quem amamos" como sei o que isso é amigo.Lindas palavras as tuas sobre a liberdade do nosso sêr, e nunca poderia deixar de concordar contigo, estas, não são palavras soltas ao vento.
Aproveito para dizer que estou de volta e ...Quanta falta senti de todos vós.
Passamos por máus momentos,mas quem espera pelos bons ,sempre os alcança.Estou feliz estou de volta para vos dizer que vos adoro.
Beijinho prateado com carinho,acompanhado de um lindo fim de semana
SOL

18 de julho de 2008 02:52  
Blogger Paradoxos disse...

só tu mesmo amigo!! :-)

abraços

18 de julho de 2008 03:17  
Blogger Carla disse...

porque a nossa liberdade começa quando acaba a dos outros
bom fim de semana
beijos

18 de julho de 2008 06:02  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado,Lídia, pela gentileza e pelo valioso comentário! :) Bom fim de semana.

18 de julho de 2008 06:19  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, amigo Valente. Bom fim de semana!

18 de julho de 2008 08:55  
Blogger O Árabe disse...

Já a vi e concordo: os filhos são, realmente, os mais preciosos bens desta vida! :) Bom fim de semana.

18 de julho de 2008 08:56  
Blogger O Árabe disse...

Feliz por vê-la de volta, Sol, agradeço e desejo que muitos bons momentos se apresentem, agora, em seu caminho, para que os maus logo sejam esquecidos! Bom fim de semana.

18 de julho de 2008 08:59  
Blogger O Árabe disse...

Meu abraço, paradoxal amigo! ;) E um bom fim de semana.

18 de julho de 2008 09:00  
Blogger O Árabe disse...

Esse é o ponto, Carla... e a chave da convivência em harmonia. :) Bom fim de semana.

18 de julho de 2008 09:01  
Blogger sol poente disse...

Amar é largar, é saber deixar voar. A posse, o sentimento de posse, mata o amor.
Abraço

18 de julho de 2008 10:24  
Blogger mundo azul disse...

Passei para reler e deixar o meu desejo de um ótimo final de semana!!!


Beijos de luz e o meu carinho...

18 de julho de 2008 13:00  
Blogger espirra canivetes disse...

Aaa...aaaa...
aaaa


Aaatchiim

18 de julho de 2008 19:39  
Blogger ♥M@cellY♥ disse...

Esperando anciosa pelo seu comentário no meu último post
:P

Bjoo00ooo

19 de julho de 2008 10:37  
Blogger Loba, a Keila disse...

Mais um belo texto para ler, pensar, guardar e repassar às pessoas. Você é uma pessoa muito especial, meu amigo Árabe.

Passou aqui uma Loba...

19 de julho de 2008 14:55  
Blogger O Árabe disse...

Com certeza, Sol Poente... nada é tão fatal ao amor, como o dever de amar, em troca do direito de ser amado.

22 de julho de 2008 09:39  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Zélia. Boa semana!

22 de julho de 2008 09:39  
Blogger O Árabe disse...

Saúde, Espirra Canivetes! :) Boa semana.

22 de julho de 2008 09:40  
Blogger O Árabe disse...

Por sinal, Celly, um belo post! :) Boa semana.

22 de julho de 2008 09:41  
Blogger O Árabe disse...

Nem tanto, Keila Especiais são vocês, que dão sentido às minhas palavras. :) Boa semana.

22 de julho de 2008 09:42  
Blogger Perla disse...

O amor e a liberdade devem sempre caminhar de mãos dadas.
Quem ama deixa livre o objecto do seu amor!

Desculpe a minha ausência...

22 de julho de 2008 13:30  
Blogger O Árabe disse...

Assim é, Perla... e este é um dos encantos do Amor. Não o que desculpar, mas o seu retorno nos alegra. :) Boa semana.

23 de julho de 2008 10:11  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky