O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

A CANÇÃO DA SAUDADE

Eu finjo que não sinto a tua falta.

Como a planta que necessita viver no deserto finge não precisar da água; e a todos os dias esmiúça o céu, buscando nuvens de chuva.

Aprendi a viver sem ti.

Assim como o peixe, confinado em um aquário, aprende a viver sem o mar.

Entretanto, não sou completo.

Pois tanto te dei de mim, que hoje me falta a porção que confiei às tuas mãos.

Vivo.

Pois a saudade deixa intacto o corpo, enquanto dilacera a alma.

Já não preciso ouvir a tua voz.

Pois, em todo esse tempo, ensinei os meus ouvidos a esquecer a esperança.

E não preciso do calor dos teus braços.

Consegui acostumar-me ao frio em que a tua ausência envolveu a minha alma.

Já não vejo o mundo pelos teus olhos.

E, assim, sou como o cego que abençoa a escuridão que o envolve.

Entretanto, embora a razão me tenha ensinado a viver sem ti, o que direi ao coração que te pertence?

Não choro por ti.

Hoje, apenas acalento esta saudade. Como a mãe que adormece no berço do filho que se foi.

Pois as lágrimas do coração nem sempre escorrem pelos olhos; são, as vezes, como raízes que crescem sob a terra.

E é assim o meu amor.

Que nada exige, apenas existe. E, sem ti, é como um céu que houvesse perdido as suas estrelas.

Ou como um sonho, que teme esfumar-se ao nascer da manhã.

Mas os dias continuam a passar. E o mundo não se detém em respeito à minha saudade.

Por isto, eu continuo a viver. Para que um dia me possas encontrar, se acaso me buscares.

Acredita! Eu sempre estarei à tua espera.

Mas, enquanto não voltas, preciso fingir que não sinto a tua falta.

Como se alguém pudesse esquecer a própria vida...


Texto do livro "A Sabedoria de Hassan".
UPGRADE: Da amiga Auréola Branca, recebi este belo presente, que agradeço de coração. Obrigado, amiga, pelo selo e pelo grande prêmio que é a tua amizade!

45 Comentários:

Blogger Tina disse...

Oi Árabe!

Noooossa! Dessa vez superou: AMEI! (e já adianto que vou copiar para guardar). Que coisa mais linda meu amigo, obrigada mesmo.

beijo enorme e boa semana,

11 de agosto de 2008 16:32  
Blogger FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido Árabe, belíssimo texto de amor, saudade, espera... Simplesmente adorável! Tocou meu coração!
Beijinhos de carinho e uma boa semana,
Fernandinha

12 de agosto de 2008 02:51  
Anonymous DO disse...

Ah,como é verdadeiro isto,meu caro ARABE.
Qtas vezes a gente finge que a saudade não nos domina...
Adorei!!

Grande abraço!

12 de agosto de 2008 07:59  
Blogger Yvonne disse...

Simplesmente lindo querido Árabe.
Beijocas emocionadas

12 de agosto de 2008 08:35  
Blogger Porcelain Doll disse...

Caramba... tão triste, mas tão bonito! É que o amor nunca morre... nem com a ausência... como eu disse uma vez a alguém, é guardá-lo numa caixinha e esperar pacientemente, aguardar as condições adequadas para florescer, mesmo que seja voltar a florescer...

:-)

12 de agosto de 2008 12:54  
Blogger Olhos de mel disse...

Árabe, mais um belo texto! Aqui o surpreendente não são os escritos, porque tudo escrito aqui é maravilhoso! Mas o próprio Hassan, pelo lado espiritual magnífico... Esse é o amor que acredito. Porque é o único sentimento que nos acompanha. E não existem distâncias, quando duas pessoas realmente se amam, porque o coração não as conhece. As vezes, as pessoas precisam de tempo, para que se cumpra todo o percurso da caminhada. Mas aquilo que é do homem, voltará para o homem.
Sempre que preciso de ^animo, procuro refugio na sabedoria, no site de Hassan e lá alimento meu espírito. Porque injusto seria com o autor, copiar sua obra. Assim como sei, que quem tão espiritualmente escreve, jamais espera agradecimentos, nem recompensas. Agradecer a Deus, sim! Por nos colocar uma centelha de esperança, em suas palavras, quando estamos descrentes, que ainda teremos um mundo melhor. Quando doces palavras de um amor profundo, nos faz aquecer os corações e acender a chama desse sentimento tão esquecido.
Beijos

12 de agosto de 2008 14:17  
Blogger Benó disse...

É diferente esta linha da "Sabedoria do Hassan". Fala-nos de sentimentos tão profundos como a saudade e o amor, mas aqui, sentidos por si próprio. Abre-nos um bocadinho da sua alma e sem nos dar os conselhos já habituais da sua sabedoria, deixa-nos sentir, com ele, um amor que não é exigente mas existe como as raizes da árvore que se não vêem mas são a fonte do seu alimento.
Obgda.por partilhares connosco tão belo sentir.
Felicidades sem fim!

13 de agosto de 2008 02:56  
Blogger Perla disse...

Como me tocou este poema!
Há sempre alguém que nos faz falta...
de quem sentimos saudados e por quem esperamos.

13 de agosto de 2008 03:08  
Blogger Menina do Rio disse...

Eu também finjo, mas não aprendi a viver de saudade...

Um beijo imenso pra ti

13 de agosto de 2008 09:45  
Blogger VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Oi, Árabe!
A saudade dói, mas prosseguimos fingindo como se ela nunca existisse...Um poema e tanto!Bjs

13 de agosto de 2008 10:17  
Blogger Carla disse...

...viver com saudader!!! é viver um pouco menos!
beijos

14 de agosto de 2008 09:52  
Blogger Gerlane disse...

Lindíssimo! Profundo! Sincero! Expressivo! Comovente!
E expressaste bem o quanto nos custa o esforço para sobrevivermos sem a quem amamos.

Abraços, amigo!

14 de agosto de 2008 10:44  
Anonymous Beatriz disse...

Numa linha diferente, mas o mesmo tema do Amor, doação, esperança, compreensão e tolerância. Bela página, amigo! Grata pelo presente ofertado!

Ficam flores, estrelas e sorrisos no teu caminhar. Um beijo no coração!

14 de agosto de 2008 19:50  
Blogger MoonLight disse...

Que toque no coração!
Árabe, Árabe... também eu sei que as lágrimas do coração não caem pelos olhos...
Magnífico texto.
Grande Amor este.
Muita força!
Que aconteça o que tiver de acontecer.
Bjs de Luz*

15 de agosto de 2008 11:32  
Anonymous Olhos de Mel disse...

Árabe! Que seu fim de semana seja feliz!
Beijos

15 de agosto de 2008 18:42  
Anonymous Márcia(clarinha) disse...

Que maravilhoso texto de amor e dor de saudade...nunca faltarão palavras que descrevam esses sentimentos, você é mestre nessa arte.

lindo dia,
beijos

15 de agosto de 2008 19:35  
Blogger Antunes Ferreira disse...

LISBOA - PORTUGAL

Olá!

Cheguei a este blogue através de outros que costumo visitar e neles postar comentários. Cheguei, vi e… gostei. Está bem feito, está comunicativo, está agradável, está bonito – e está bem escrito. Esta é uma deformação profissional de um jornalista e dizem que escritor a caminho dos 67…, mas que continua bem-disposto, alegre, piadista, gozão, e – vivo.

Só uma anotaçãozinha: Durante 16 anos trabalhei no Diário de Notícias, o mais importante de Portugal, onde cheguei a Chefe da Redacção – sem motivo justificativo… pelo menos que eu desse com isso… E acabo de publicar – vejam lá para o que me deu a «provecta» idade… - o me(a)u primeiro livro de ficção «Morte na Picada», contos da guerra colonial em Angola (1966/68) em que bem contra vontade, infelizmente participei como oficial miliciano.

Muito prazer me darás se quiseres visitar o meu blogue e nele deixar comentários. E enviar-me colaboração. Basta um imeile / imilio (criações minhas e preciosas…) e já está. E se o quiseres divulgar a Amiga(o)s, ainda melhor. Tanto o blogue, como o imeile, tá? Muito obrigado

www.travessadoferreira.blogspot.com
ferreihenrique@gmail.com

Estou a implementar e desenvolver o projecto que tenho para o meu www.travessadoferreira.blogspot.com e que é conferir ao meu/vosso/NOSSO blogue a característica de PONTO DE ENCONTRO entre os Países fraternalmente ligados – Portugal e Brasil. No que estou, pela minha parte, a desenvolver todas as diligências que, naturalmente, me forem possíveis.
E, naturalmente também, para poder enviar-te «coisas» que ache interessantes. Se, porém, não as quiseres, diz-me que eu paro logo. Sou muito bem-mandado (a minha mulher que o diga…) e muito obediente (cf. parênteses anterior).
Já solicitei a colaboração da Embaixada de Portugal em Brasília, que tem à frente dela um diplomata fora de série, o meu querido Amigo, Dr. Francisco Seixas da Costa e na qual se integram mis dois bons Amigos de longos nos: o Adriano Jordão e o Carlos Fino. Seixas da Costa criou um blogue magnífico Embaixada de Portugal no Brasil, www.embaixada-portugal-brasil.blogspot.com, que vos recomendo vivamente visitar. Tem tudo sobre as relações entre as duas Nações. E já fiz o mesmo aqui em Lisboa. Espero receber resposta da Embaixada brasileira.
Este é um desejo que já ultrapassa a simples intenção. Felizmente, neste momento possui muitos comparticipantes – como desejo que seja o teu caso. Mas, com o empenhamento, a ajuda, o entusiasmo e a alegria que tenho encontrado – iremos longe. A internet (apesar dos aspectos negativos que ainda apresenta) tem uma força incomensurável e desenvolvimento tecnológico que se actualiza dia a dia.
Abrações e queijinhos, convenientemente repartidos e distribuídos

PS 1 – Quando navegarmos em velocidade de cruzeiro, quero alargar o Travessa aos outros PALOP. Que achas?
PS 2 – Desculpa por este comentário ser tão comprido e chato. Como a espada do D. Afonso Henriques…
PS 3 - Já conheces o me(a)u «Morte na Picada»? Há quem diga que é muito bom. E até que é o melhor que se escreveu em Portugal sobre o tema. Dizem… Obviamente que não sou eu a dizê-lo… Só faltava… E também há quem tenha escrito que sendo contos da guerra colonial em Angola 66/68 (em que infelizmente e contra vontade participei), é SANGUE & SEXO… Malandrecos… Depois de leres, se, por singular acaso, tiveres gostado dele, terás de comprar muitíssimos mais exemplares. São excelentes prendas de aniversários, casamentos, divórcios, baptizados, e datas como Natais, Carnavais, Anos Novos, Páscoas, Pentecostes, vinte e cincos de Abris, cincos de Outubro, dezes de Junhos. Até para funerais. Oferecer o «Morte» na morte fica bem em qualquer velório que se preze. E, além disso, recomenda-o, publicita-o, propagandeia-o, impinge-o aos Amigos, conhecidos, desconhecidos & outros, SARL. Os euros estão tão raros e... caros...
++++++++++++
A editora da obra é a Via Occidentalis (occidentalis@netcabo.pt) cujo site é www.via-occidentalis.blogs.sapo.pt. Neste blogue podem ser consultados mais dados sobre o livro, cujo preço de capa é € 14,70. ATENÇÃO: Pode ser comprado pela Internet.
++++++++++++
NOTA IMPORTANTE: Este texto de apreciação e informação é similar em todos os casos em que o utilizo. Digo isto, para quem não surjam dúvidas ou suspeitas sobre a repetição em diferentes blogues. E para que ninguém se sinta ludibriado – ou ofendido… Há feitios que… Mas, sublinho, apenas o uso quando o entendo, isto é, quando gosto mesmo dos que visito. Nos outros onde também vou, se não gosto, saio sem comentários. Há muitos mais. Aqui na terrinha diz-se que «se não gostas, põe na beirinha do prato»…

16 de agosto de 2008 10:39  
Blogger mundo azul disse...

...que lindo!!!
Belíssimo texto... Às vezes, precisamos mesmo fazer de conta que esquecemos, que já passou... Embora o coração teime em continuar cantando a mesma canção...

Beijos de luz e um domingo muito feliz, meu querido amigo!!!

16 de agosto de 2008 11:28  
Blogger Claudinha disse...

Olá Árabe! Que lindo texto! Vejo um amor cristalino e imenso nele.
Um beijo!

16 de agosto de 2008 14:57  
Blogger lua prateada disse...

Meu Deus quão doloroso tudo isso.........Porque? essa a pergunta que nos fazemos e nunca axamos uma razão válida,sempre se encontra uma para nossa pr´opria desculpa mas se olhássemos bem dentro de nós, se tivessemos coragenm de enfrentar tudo e todos. acima de tudo nós mesmo será que não podiamos fazer mesmo nada?Por vezes se sofre por um certo comodismo que nem nós próprios nos damos conta....


Vai atrás do teu sonho...dá um passo de cada vez, e não te detenhas, continua a escalada, pois lá xegarás...Feliz fim de semana
Beijinho prateado
SOL

16 de agosto de 2008 16:42  
Blogger O Árabe disse...

Obrigada, Tina? Sou eu que agradeço toda essa gentileza e amizade! :) Bom fim de semana, amiga.

16 de agosto de 2008 20:04  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Fernanda. Qualquer dia , talvez eu conte aqui a história deste texto... não é o que parece, mas também me tocou muito.Bom fim de semana.

16 de agosto de 2008 20:06  
Blogger O Árabe disse...

É a vida, DO... ela precisa continuar, sempre. Abração, amigo, bom fim de semana.

16 de agosto de 2008 20:06  
Blogger O Árabe disse...

Grato, Yvonne. E espero que você tenha um belo fim de semana, amiga.

16 de agosto de 2008 20:08  
Blogger O Árabe disse...

Com certeza, Porcelain Doll: o que morre não é o amor... é a ilusão. :) Bom fim de semana.

16 de agosto de 2008 20:10  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Olhos de Mel. Mas a beleza está em vocês, não em simples palavras. :) Bom fim de semana.

16 de agosto de 2008 20:11  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado a você, Benó, e bela colocação: talvez o amor seja mesmo como as raízes, enquanto o ser humano apenas procura os frutos... :) Bom fim de semana.

16 de agosto de 2008 20:13  
Blogger O Árabe disse...

Realmente, Perla... sempre há! Alguém... ou, quem sabe, apenas um sonho. :) Bom fim de semana.

16 de agosto de 2008 20:14  
Blogger O Árabe disse...

Talvez não seja viver dela, Verônica... apenas com ela. A gente aprende, sim, acredite. :) Bom fim de smena.

16 de agosto de 2008 20:16  
Blogger O Árabe disse...

É isso, Vanuza... e talvez nem fingindo: apenas sobrevivendo. :) Bom fim de semana.

16 de agosto de 2008 20:16  
Blogger O Árabe disse...

... e com a lembrança, Carla, de um tempo em que se viveu muito mais! :) Bom fim de semana.

16 de agosto de 2008 20:19  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Gerlane. E um belo fim de semana, amiga!

16 de agosto de 2008 20:19  
Blogger O Árabe disse...

Estás certa, Beatriz... o Amor é o tema de todos os nossos dias. :) Bom fim de semana, amiga!

16 de agosto de 2008 20:20  
Blogger O Árabe disse...

Realmeente não, Moonlight... escorrem pela nossa alma. :) Bom fim de semana.

16 de agosto de 2008 20:22  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Olhos de Mel. Sinceramente, desejo-te o mesmo! :)

16 de agosto de 2008 20:23  
Blogger O Árabe disse...

Mestre, Clarinha? Longe disto me encontro... mas agradeço-te a gentileza, amiga! :) Bom fim de semana.

16 de agosto de 2008 20:24  
Blogger O Árabe disse...

Amigo Antunes, agradeço-te a gentileza e a visita, que em breve estarei retribuindo. Volte sempre, o oásis é nosso! :) Bom fim de semana.

16 de agosto de 2008 20:26  
Blogger O Árabe disse...

Obrigado, Zélia. E você tem razão: só o coração determina as suas próprias canções. :) Bom fim de semana.

16 de agosto de 2008 20:28  
Blogger O Árabe disse...

Imenso, mesmo, Claudinha. Como já disse, qualquer dia conto a história dele... talvez. :) Obrigado, bom fim de semana.

16 de agosto de 2008 20:30  
Blogger O Árabe disse...

Verdade, Sol: muitas vezes, é o comodismo que nos faz sofrer, por medo de tentar um novo sonho. :)Bom fim de semana.

16 de agosto de 2008 20:31  
Blogger Eärwen Tulcakelumë disse...

A ti saúdo meu Amigo!
Talvez aqui, neste texto, tivesses escutado a confissão do coração que carrega em si vestígios de um amor...mas pergunto se foi um amor que amamos como o ser amado ou amamos sozinhos...
Aprendi que quando este sentimento é real simplesmente deixamos ir...e livre, quem sabe, ele veja a grandeza do que lhe era dedicado...deixamos ir para que livres possam entender como amamos.
Obrigado pelas palavras que acalmam a alma.

Pérolas incandescentes de luz e carinho amigo.

Eärwen

20 de agosto de 2008 13:23  
Blogger O Árabe disse...

É isso, sim, Eärwen... o amor é naturalmente livre! :) Boa semana.

23 de agosto de 2008 19:59  
Anonymous Anônimo disse...

pir

oso

27 de agosto de 2008 12:05  
Blogger Porcelain Doll disse...

E como a ilusão não é amor... se ela morrer, tanto melhor... pois purifica o sentimento... :-))

21 de setembro de 2008 04:09  
Anonymous Leeti disse...

Ouvindo música triste e lendo isso, só não chorei porque algumas conversas virtuais interromperam minha leitura. ô_o

9 de julho de 2009 16:39  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky