O Árabe

Idéias, sentimentos, emoções. Oásis que nos ajudam a atravessar os trechos desérticos da vida...

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

DA AUTO VIGILÂNCIA

Que a prudência não se transforme em covardia, a autoconfiança em arrogância, ou o sonho em uma constante fuga à realidade.

Pois é nos meios que podemos encontrar a virtude, e nos extremos que se costumam abrigar os exageros.

Vigiemos, sempre, as nossas atitudes.

Pois é através delas, e não das nossas palavras, que revelamos o que realmente somos; que, efetivamente, ensinamos e demonstramos os nossos pensamentos.

Mais facilmente se oculta a mentira atrás de uma bela sentença, que de palavras não rebuscadas. Pois a verdade se impõe por si mesma, enquanto a mentira busca sempre agradar a quem a ouve.

Eis que nos têm dito que o preço da liberdade é a eterna vigilância; e, de fato, assim o é. Porém a liberdade é algo maior, que os nossos limitados conceitos não conseguem alcançar.

Pois ser livre não é fazer o que se quer, mas saber o que se pode fazer. É conhecer as próprias limitações, e avaliar as repercussões dos seus atos na vida de outras pessoas.

Porque não devemos duvidar de que todas as vidas se entrelaçam em algum ponto, no infinito do Universo. E o equilíbrio do Cosmo depende do nosso próprio equilíbrio.

Assim, colheremos as lágrimas que em nossos irmãos semearmos; e os risos que de seus lábios fizermos brotar. E experimentaremos as amarguras e as alegrias que, em nossas vidas, tivermos espalhado ao nosso redor.

Amadurecer não é abandonar os sonhos, mas aprender a torná-los realidades.

Pois tudo poderíamos fazer, e todas as obras seríamos capazes de realizar, se de fato soubéssemos como somos e do que somos portadores:
- da natureza, em nossos corpos mortais
- da alegria e da tristeza, em nossos sentimentos
- da sabedoria do Universo, em nosso verdadeiro eu.

Vigiemos as nossas atitudes, para que possamos conhecer, em verdade, os nossos pensamentos. Não devemos acreditar sempre em nossas próprias palavras, pois o homem costuma enganar a si mesmo.

Precisamos aprender a viver. E vigiar a nós mesmos, para que os outros não nos precisem vigiar.

Assim, teremos a verdadeira liberdade.


Texto do livro "A Sabedoria de Hassan"

28 Comentários:

Anonymous Olhos de Mel disse...

Árabe! Lindo e maravilhoso texto! Essa é mais uma grande lição aqui deixada. Mais uma grande verdade, que talvez, a maioria das pessoas do mundo, desconheça. Acredito que todo contexto faça parte da tríade que acredito: compreender tolerar e aceitar.
Compreender que nossos direitos terminam onde começam os dos outros e as razões que os levam a tomar determinadas atitudes;
tolerar os momentos de explosão do próximo, porque em muitos momentos, temos a mesma atitude, a depender do estado de emocional;
aceitar que nós, assim como qualquer pessoa, estamos sujeitos a erros e acertos e principalmente aceitá-las como são.
Parabéns Árabe! O mundo precisa conhecer mais a palavra de Hassan.
Beijos

25 de agosto de 2008 20:25  
Blogger Yvonne disse...

Árabe, o primeiro parágrafo já começou arrasando. Lindíssimo e maravilhoso texto meu querido. Aliás, como sempre.
Beijocas

26 de agosto de 2008 05:47  
Blogger Margarida disse...

É delicioso ler os teus posts...!
um beijo!

26 de agosto de 2008 15:18  
Blogger C Valente disse...

E que sabedoria expressa
Saudações amigas

26 de agosto de 2008 18:22  
Blogger Chama Violeta disse...

Olá lindo ser de luz!
Lindas palavras, linda imagem!! Que mais posso escrever?
Amei!!!

Hoje, deixo-te um grande beijo violeta e muita luz!

26 de agosto de 2008 19:25  
Blogger MoonLight disse...

Assim é!
A Liberdade, tal como o Amor, descritos por palavras nossas, ficam sempre longe do que são realmente.
Belíssima partilha mais uma vez!
Obrigado pela visita.
Bjs de Luz*

27 de agosto de 2008 06:24  
Blogger moonlight song disse...

Olá Árabe :) quando visito o teu blog as tuas palavras sempre me trazem energia positiva.
Quando passo por cá, deixo sempre um pouco da minha, porque quero partilhá-la.
Os posts relembram lições e ensinam outras novas. Obrigada pela partilha.
E que as minhas acções valham sempre mais do que as minhas palavras. Beijo.

27 de agosto de 2008 06:34  
Anonymous Márcia(clarinha) disse...

Despende energia e tempo o ato da vigília, o não nos desapontar para não ferir o próximo.

Liberdade de sentir e expressar em ação todo bom sentimento, isso desejo, isso preciso.

lindo dia poeta
beijos

27 de agosto de 2008 06:50  
Blogger GarçaReal disse...

Arredada há algum tempo......
Leio-te.
A meu lado um livro que tento devorar pois é diferente...

Ele assim se chama
"Não há acasos"
Tudo o que expressas não é por acaso.
Há os chamados fenómenos de sincronicidade.
O teu descrever de situações é abarcante.

Ler-te é cultivar a alma

bjgrande do Lago

27 de agosto de 2008 07:09  
Blogger VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Árabe, caro amigo!
O Caminho do Meio e a Prudência deveriam ser a eterna tônica da humanidade, mas o que vemos?
Melhor nem falar, senão vira discurso...E você, sabiamente, já disse o essencial.
Rssss, com que então, não fazes questão dos "divos"? Pois é, a mulherada vai ficar frustrada...Vou pensar!
Obrigada pela ótima visita e uma tarde super tranquila!!!

27 de agosto de 2008 07:49  
Blogger Menina do Rio disse...

A prudência é a maior das virtudes.
Vigiai...

Um beijo pra ti

27 de agosto de 2008 10:45  
Blogger São disse...

Vigiemos!
Um abraço, Mestre.

27 de agosto de 2008 11:12  
Blogger Mariz disse...

Salvé!
Bonito post...pelo conteúdo.
Este livro é para ler e reler...sempre.

Deixo a minha saudação:
ESPAVO! - como em MU

MAriz

27 de agosto de 2008 19:12  
Anonymous DO disse...

A internet é adorada por mim por causa destas conjunções de fatores.
Precisava mesmo ler esta mensagem.
E hoje!!

Abração!!

28 de agosto de 2008 07:27  
Blogger Gerlane disse...

Lindo! Profundamente sábio!
Identifiquei-me, principalmente, com o seguinte trecho: "Pois ser livre não é fazer o que se quer, mas saber o que se pode fazer. É conhecer as próprias limitações, e avaliar as repercussões dos seus atos na vida de outras pessoas."

Eis uma grande aprendizagem, amigo! Para os que têm a alma aberta para aprender.

Abraços!

28 de agosto de 2008 11:00  
Blogger mundo azul disse...

...sim! Devemos estar vigilantes, pois, nossa mente é ardilosa como uma raposa... Manter atenção plena em nossos pensamentos, palavras e ações... Embora ainda existam os impulsos, que são os mais difíceis de controlar!

Como sempre, seu texto é uma mensagem a ser lida e relida e guardada no coração!

Beijos de luz e o meu carinho!!!

28 de agosto de 2008 12:30  
Blogger Tina disse...

Oi Árabe!

A frase que fica é: !... "precisamos aprender a viver!"... E como precisamos.

Amo e absorvo teus posts (você sabe) e eles são linha de vida. E eu só faço agradecer. De verdade.

beijos querido e bom fim de semana,

28 de agosto de 2008 19:43  
Blogger FINA FLOR disse...

um dos textos que mais gostei por aqui.

acrescento que "disciplina é liberdade", como cantou Renato Russo

beijos

MM.

>>> concordo plenamente: Amadurecer não é abandonar os sonhos, mas aprender a torná-los realidades.

28 de agosto de 2008 22:52  
Blogger Eärwen Tulcakelumë disse...

Querido O Árabe,

A vigilância é algo que devemos manter, assim nos disse o Mestre dos Mestres.
Obrigado meu amigo por mais esse presente de ensinamento.

Pérolas incandescentes de inspiração e luz entrego em tuas mãos.

Com carinho

Eärwen

29 de agosto de 2008 07:06  
Anonymous Beatriz disse...

"Assim, colheremos as lágrimas que em nossos irmãos semearmos; e os risos que de seus lábios fizermos brotar. E experimentaremos as amarguras e as alegrias que, em nossas vidas, tivermos espalhado ao nosso redor."

Uma passagem profunda e significativa que, de todo o texto, sabe bem dizer como pautar o nosso caminhar.

Escolheste uma bela imagem para ilustrar tão profunda postagem.

Ficam flores, estrelas e sorrisos, enfeitando teu final de semana.

Um beijo no coração, amigo querido, no desejo de horas lindas a enfeitar tua vida.

29 de agosto de 2008 14:52  
Blogger ♥M@cellY♥ disse...

"Aprendermos a viver"

Eu to tentando... rsrsrs



Bjoo gigante!

30 de agosto de 2008 13:05  
Blogger Benó disse...

Com o meu pensamento livre de qualquer vigilia ou obrigação daqui te envio desejos de óptima semana.

Viver é uma constante aprendisagem.

30 de agosto de 2008 16:14  
Blogger Vanda disse...

Arabe,

dificilmente esse ensinamento será posto em pratica "pelas massas" nestes tempos turbulentos...de egoismo, ganancia, sede de poder...

Sou de um tempo em que se acreditava que " a nossa liberdade termina onde principia a do outro ou os nossos direitos terminam onde começam os direitos alheios"...


Continuo a acreditar.


Beijo

30 de agosto de 2008 17:02  
Blogger pentelho real disse...

julgo (mas quem sou eu?) que a virtude pode estar no meio, nos extremos ou em qualquer lado. por vezes, muitas vezes, em lado nenhum.

30 de agosto de 2008 17:07  
Blogger margarida já muito desfolhada disse...

"o homem costuma enganar a si mesmo".

por coincidência falei hoje disso lá no meu canto.

31 de agosto de 2008 04:51  
Blogger Paradoxos disse...

brilhante!!!!!

abraços amigo

31 de agosto de 2008 09:12  
Blogger lua prateada disse...

Que dizer perante tamanha beleza de palavras e verdades tão verdadeiras...
Beijinho prateado com carinho

SOL

31 de agosto de 2008 17:07  
Blogger Porcelain Doll disse...

"Que a prudência não se transforme em covardia, a autoconfiança em arrogância, ou o sonho em uma constante fuga à realidade."

Porque sem a prudência nos aniquilaríamos... mas com cobardia anulamos a própria existência, tornando-a inútil...

Porque sem autoconfiança ficamos confinados, não nos conseguimos mover, pois a incerteza não deixa avançar... mas a arrogância impede-nos de ver, cega-nos para a verdade, estagna-nos...

E porque sem sonhar jamais conseguiremos avançar... como dizia alguém, todos os ventos são desfavoráveis para quem desconhece o sítio para onde se dirige... mas o sonho desligado das reais possibilidades constrói castelos no ar e encerra-nos lá dentro, impedindo-nos de ver os resultados das nossas próprias acções e hipotecando o nosso crescimento...

É incrível como os opostos acabam a ter efeitos semelhantes... :-))

Ser livre é perceber ao certo onde estão os nossos limites... ou melhor ainda, é entender esses mesmos limites como os nossos próprios caminhos... (uau, gostei desta agora, estive bem, não estive? ;-D)

Não devemos duvidar de que a harmonia é possível e devemos sempre conjugar os nossos interesses com os dos demais... como eu costumo dizer... muitas vezes é uma simples questão de criatividade... :-)

Adorei o antepenúltimo parágrafo:
"Vigiemos as nossas atitudes, para que possamos conhecer, em verdade, os nossos pensamentos. Não devemos acreditar sempre em nossas próprias palavras, pois o homem costuma enganar a si mesmo. "

Sempre fiz disto uma máxima de vida, por isso superei tantas das amarras que me foram colocadas...

Este livro, a "Sabedoria de Hassan" inspira-me verdadeiramente!! :-))

21 de setembro de 2008 04:37  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics Clicky